SpaceX 20 anos: como a empresa de Elon Musk transformou a indústria espacial?

SpaceX 20 anos: como a empresa de Elon Musk transformou a indústria espacial?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 14 de Março de 2022 às 12h39
SpaceX

Há 20 anos, em 14 de março de 2022, Elon Musk fundava a empresa que logo se destacaria na indústria espacial por suas visões revolucionárias: a SpaceX. Hoje, ela se destaca não apenas pela façanha de se usar foguetes reutilizáveis, como também de ter poderosos sistemas de lançamentos, além da constelação de internet Starlink, estabelecida na órbita da Terra.

Ao tornar a reutilização de foguetes algo possível e acessível, a SpaceX tornou os lançamentos espaciais mais baratos e, consequentemente, mais frequentes. Graças a ela, os EUA voltaram a enviar seus astronautas à Estação Espacial Internacional (ISS) a partir de solo estadunidense, e também contando com espaçonaves igualmente americanas. Assim, a NASA se independeu dos russos nesse transporte rotineiro — algo que acontecia desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais.

A nave Crew Dragon, da SpaceX, é o principal meio pelo qual a NASA envia astronautas de e para a ISS (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Além de tudo isso, a SpaceX também encabeçou a primeira missão espacial comercial totalmente tripulada por civis, incentivando e abrindo caminhos para a comercialização do espaço próximo à Terra. Até agora, a empresa de Elon Musk já realizou 148 lançamentos até então, mas sua “fronteira final” é tornar a humanidade uma espécie multiplanetária — ou seja, fazendo os humanos pisarem em outros planetas e se estabelecerem por lá.

Como a SpaceX surgiu?

Até o final da década de 1980, a NASA lançou seus astronautas ao espaço através de seus ônibus espaciais, uma máquina potente, mas ainda com grandes custos para realizar seus voos. Em 14 de março de 2002, Elon Musk funda a SpaceX com a promessa de revolucionar a tecnologia espacial.

Sede da SpaceX em Hawthorne, na Califórnia (Imagem: Reprodução/Domínio Público)

Por volta daquele mesmo ano Musk, começou a pesquisar quais eram os planos da agência espacial para levar pessoas a Marte e, para sua surpresa, a NASA não tinha nenhum material publicado sobre isso ainda. Então, ele pensou que uma missão ao Planeta Vermelho seria um bom estímulo nacional.

O primeiro foguete da SpaceX, chamado Falcon 1, era muito mais barato para produzir e operar do que qualquer outro sistema de lançamento da época — num setor dominado por naves espaciais construídas por instituições públicas e/ou financiadas pelo governo, como a Lockheed Martin e Boeing, por exemplo.

Àquela época, o motor Merlin, também desenvolvido pela SpaceX, garantiu o custo-benefício do novo sistema de lançamento, e a empresa se dedicou a construir foguetes reutilizáveis, até chegar ao poderoso Falcon 9, que já enviou diversas missões à ISS, incluindo lançamentos tripulados por astronautas.

A nave Crew Dragon acoplada ao foguete Falcon 9 (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Hoje, a SpaceX se dedicada ao novo e poderoso sistema Starship, formado por um foguete de mesmo nome e pelo propulsor Super Heavy. O sistema Starship vem sendo desenvolvido e testado com o objetivo de levar humanos à Lua e, posteriormente, levar os primeiros astronautas para Marte.

Enquanto isso, aqui na Terra, a SpaceX segue estabelecendo sua rede Starlink de internet, cujo número de unidades operacionais já ultrapassa a marca de 2 mil — ainda bem longe do número final de satélites, que pode chegar a 42 mil.

Como a SpaceX revolucionou a indústria espacial?

Sem dúvidas, a maior contribuição da SpaceX para o setor espacial foi o seu sistema de lançamentos. Mais do que isso, a empresa garantiu a reutilização do foguete Falcon 9, o que, além de reduzir os custos dos voos, permitiu que eles ficassem mais frequentes.

Booster do Falcon 9 pousando em em solo após atingir a órbita (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Segundo o modelo comercial de lançamento, um veículo reutilizável pode reduzir em até 100 vezes o custo de uma viagem espacial. Enquanto a maioria dos foguetes são desenvolvidos para queimar durante a reentrada, os da SpaceX resistem a essa etapa e seus propulsores podem pousar tranquilamente em uma base, onde são resgatados para serem restaurados e utilizados novamente.

Além do Falcon 9, as naves Dragon e Crew Dragon também desempenham um papel fundamental para o acesso ao espaço próximo à Terra. Em parceria com a NASA, a SpaceX passou a entregar não apenas cargas úteis à ISS, como também astronautas.

Nave Crew Dragon chegando à ISS com a missão Crew-2 (Imagem: Reprodução/NASA TV)

Com a facilidade de enviar e trazer seus astronautas e cargas da ISS, a NASA firmou uma série de contratos com a SpaceX, o que levou a uma maior frequência de lançamentos para a unidade orbital e as pesquisas científicas conduzidas por lá. Hoje, NASA e SpaceX trabalham juntas para o retorno da humanidade à Lua.

Mas o principal objetivo da SpaceX ainda permanece tornar a humanidade uma espécie inter ou até multiplanetária, pousando e habitando outros planetas por aí.

Missões de destaque nesses 20 anos da SpaceX

Nessas duas décadas, a SpaceX protagonizou diversos papéis importantes para o setor espacial. Desde seu primeiro foguete a alcançar a órbita da Terra, até a primeira missão comercial totalmente tripulada por civis, a empresa de Elon Musk tem relevância indiscutível no cenário atual da exploração espacial.

Abaixo, você confere 8 missões de destaque nesses 20 anos da SpaceX:

  • Falcon 1: o foguete foi lançado pela primeira vez em 2006, mas o teste terminou em uma explosão antes de a órbita. Os lançamentos posteriores também falharam, até que, em setembro de 2008, o Falcon 1 se tornou o primeiro foguete de combustível líquido do setor privado a alcançar a órbita terrestre;
  • Crew Dragon na ISS: em abril de 2012, a Crew Dragon se tornou a primeira espaçonave privada a atracar na estação espacial e entregar uma carga útil com sucesso;
  • Falcon 9: o Falcon 9 foi projetado para que o seu primeiro estágio conseguisse pousar após o lançamento, de modo a ser reutilizado. E foi em dezembro de 2015 que a SpaceX realizou esta façanha: protagonizando o primeiro pouso de um 1º estágio de foguete;
  • Falcon Heavy: o Falcon Heavy é o foguete operacional mais potente da SpaceX, capaz de conduzir cargas bem pesadas para fora da Terra — o que será crucial para a missões tripuladas a Lua e a Marte. Em 7 de fevereiro de 2018, o Falcon Heavy realizou seu primeiro lançamento, pousando dois de seus três boosters e entregando um carro Tesla Roadster para orbitar o Sol;
  • Satélites Starlink: em maio de 2019, a SpaceX entregou seu primeiro lote de 60 satélites Starlink na órbita da Terra. Desde então, a empresa já lançou 2.282 unidades;
  • Missão Demo-2: em maio de 2020, os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley protagonizaram a missão de teste Demo-2, realizada pela parceria da NASA com a SpaceX — a qual provou a capacidade da cápsula Crew Dragon de levar e trazer de volta humanos da ISS;
  • Missão Crew-1: com o sucesso da Demo-2, NASA e SpaceX realizam a Crew-1 em julho de 2020, a primeira missão oficial que levou quatro astronautas para uma estadia de longa duração na ISS;
  • Inspiration4: entre as conquistas mais recentes da SpaceX, está a missão Inspiration4, ocorrida em setembro de 2021. Esta foi a primeira missão espacial totalmente tripulada por civis, o que significa que pessoas comuns passaram cerca de três dias a bordo da Crew Dragon orbitando a Terra sem a companhia de qualquer astronauta profissional.

Fonte: SpaceX

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.