NASA revive seus melhores momentos de 2019; veja a retrospectiva

Por Daniele Cavalcante | 01 de Janeiro de 2020 às 22h00
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Em 2019, a NASA celebrou o 50º aniversário do primeiro pouso na Lua com a Apollo 11, este que foi o momento mais histórico da exploração espacial até então, enquanto também trabalhou duro para atingir o objetivo de enviar a primeira mulher e o próximo homem ao solo lunar até 2024. Além disso, novos progressos foram realizados nas pesquisas que visam viabilizar o primeiro voo tripulado a Marte.

A NASA também realizou missões na Estação Espacial Internacional (ISS) e comemorou a primeira caminhada espacial realizada por duas mulheres - Jessica Meir e Christina Koch. E, por falar na ISS, a agência espacial também se esforçou para acelerar o programa de parceria com a SpaceX e a Boeing para preparar as novas naves norte-americanas que deverão levar astronautas à ISS a partir de 2020.

Muitas pesquisas foram realizadas e novas tecnologias colocadas à prova pela NASA em 2019. Abaixo, você confere alguns dos destaques do ano, loogo após o vídeo de retrospectiva publicado pela própria agência:

Missão Artemis e planos para Titã

Este ano, a NASA nomeou oficialmente seu novo programa lunar como Artemis, uma homenagem à deusa da Lua e irmã gêmea de Apolo. Além de enviar a primeira mulher - ou várias mulheres - à superfície Lunar, o programa Artemis também deverá estabelecer uma presença definitiva da humanidade no nosso satélite natural.

Para o sucesso do Programa Artemis, a NASA investiu boa parte dos seus esforços em um dos principais componentes de uma missão tripulada: o traje espacial. Os novos trajes apresentados pela NASA no final do ano oferecem maior mobilidade e muitos outros avanços em relação aos trajes utilizados pelos astronautas da missão Apollo 11.

A NASA também preparou planos para o Dragonfly, um drone que pesquisará dezenas de locais específicos em Titã, curiosa lua de Saturno, para processos químicos pré-bióticos.

Caminhadas espaciais e colaboração comercial

Os astronautas Anne McClain, Nick Hague, Christina Koch, Andrew Morgan e Jessica Meir participaram em 2019 de suas primeiras missões na Estação Espacial Internacional (ISS) e conduziram suas primeiras caminhadas espaciais. O destaque ficou por conta de Meir e Koch, que foram as selecionadas para a primeira caminhada espacial realizada apenas por mulheres.

Além disso, a ISS favoreceu ainda mais as pesquisas e novas tecnologias das empresas comerciais. Este ano, por exemplo, a nave Crew Dragon da SpaceX conseguiu realizar uma missão de demonstração de cinco dias na estação espacial e retornou à Terra em segurança. A Boeing também realizou um teste bem sucedido com a Starliner, embora a nave não tenha conseguido atracar na estação espacial, retornando ao solo antes da hora.

Os astronautas da NASA participaram de 10 caminhadas espaciais para instalar uma nova porta de ancoragem para espaçonaves comerciais, atualizar o sistema de energia da estação e reparar o AMS-02, um instrumento que busca matéria escura, antimatéria e energia escura. Também foram publicados os resultados do famoso estudo com os gêmeos da NASA, revelando dados sobre a resiliência do corpo humano no espaço.

Pesquisas e novas tecnologias espaciais

Três demonstrações de tecnologia da NASA foram lançadas por meio do foguete Falcon Heavy, da SpaceX. Uma delas é a Green Propellant Infusion Mission, que está demonstrando com sucesso um propulsor, digamos, mais “ecológico”, com baixos níveis de toxina. A outra é o Deep Space Atomic Clock, que visa medir com o máximo de precisão possível o tempo no espaço, no nível do nanossegundo. A última é a Light Sail, uma vela solar foi idealizada pelo cientista Carl Sagan, cofundador da Sociedade Planetária.

A NASA também demonstrou a primeira manobra coordenada entre dois CubeSats (pequenos satélites em formatos cúbicos) movidos a vapor em órbita baixa da Terra, algo que deve aprimorar bastante as futuras missões econômicas utilizando equipamentos de baixo orçamentos. Eles se tornaram a primeira dupla de CubeSats que trocaram coordenadas da manobra entre si. A NASA também assinou um contrato com a Made In Space para utilizar uma tecnologia que permite às naves imprimirem e montarem peças no espaço.

Estação Gateway e módulos lunares

Como parte dos planos de estabelecer uma presença constante no ambiente lunar, a NASA desenvolveu o projeto da estação espacial Lunar Gateway, que ficará posicionada na órbita da Lua tal qual a Estação Espacial Internacional fica na órbita da Terra. A agência criou o programa Next Space Technologies for Exploration Partnerships (NextSTEP), que financiou empresas privadas para que cada uma desenvolvesse um protótipo da estação.

Além das cinco empresas privadas com projetos que foram testados (Lockheed Martin, Northrop Grumman, Boeing, Sierra Nevada Corporation e Bigelow Aerospace), a NASA também ressaltou o esboço de estudo conceitual da NanoRacks. Ainda como parte do programa NextSTEP, a agência selecionou 11 empresas privadas, incluindo Boeing, Blue Origin e SpaceX, para desenvolver o novo módulo lunar que fará o transporte de astronautas da nave orbital à superfície da Lua, e vice-versa.

Considerando que grande parte das inovações e pesquisas da NASA neste ano tiveram como objetivo possibilitar as futuras missões nos próximos anos, podemos esperar grandes eventos e descobertas na década que se inicia!

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.