Nave Crew Dragon da SpaceX volta da ISS com sucesso "acima do esperado"

Por Wagner Wakka | 08 de Março de 2019 às 16h50
YouTube/NASA
Tudo sobre

SpaceX

Saiba tudo sobre SpaceX

Ver mais

A cápsula Crew Dragon da SpaceX caiu no Oceano Atlântico na manhã desta sexta-feira (8). Ao contrário do que se pode supor, isso significa que nave voltou ao solo terrestre com sucesso, depois de passar uma semana na Estação Espacial Internacional (ISS).

Isso garante à companhia de Elon Musk mais um marco em seus testes para envios não só de mantimentos, mas agora também de pessoas para a ISS. Vale lembrar que esta primeira missão não foi tripulada, mas levou consigo pesos e um manequim vestido de astronauta para simular uma tripulação.

Chamada de DM-1 (sigla para “Demo-1”) esta missão teve objetivo de testar a Crew Dragon, nave que será usada pela SpaceX para envios astronautas paa a ISS e também de turistas para o espaço. Para isso, a NASA exigiu que a companhia conseguisse comprovar que o equipamento suportaria uma viagem, primeiramente, sem pessoas a bordo. Ainda, este teste permitiu que a companhia analisasse o desempenho da nova cápsula, além de perceber ajustes necessários para lançamentos com pessoas.

Há uma semana, a empresa lançou o veículo em direção à ISS usando um foguete Falcon 9. No mesmo dia, o Crew Dragon se acoplou de maneira autônoma à estação e permaneceu por lá até quinta (7). Este sistema de junção com a ISS também era algo que os engenheiros ainda não haviam testado, pois a outra nave da empresa, a Dragon, que apenas faz transportes de mantimentos e equipamentos científicos, precisa que o braço externo da estação a "agarre" para o encaixe.

A parte mais importante para a NASA era de fato a volta da cápsula para a Terra. A agência queria que a SpaceX comprovasse também que a nave seria capaz de re-entrar na atmosfera terrestre sem sofrer danos que poderiam colocar os tripulantes em risco. Para isso, a Crew Dragon contou com um mecanismo chamado de “trunk”, uma estrutura cilíndrica na base do veículo que controla o voo e é capaz de reconhecer temperatura e potência. A cápsula também demorou 15 minutos com propulsores ligados para sair da ISS e entrar na posição correta dentro da atmosfera terrestre.

Assim, a cápsula conseguiu entrar na Terra a uma velocidade acima da do som, o que foi brecado com quatro paraquedas. O veículo atingiu de forma segura a costa da Flórida e foi recuperado pelo bote Go Searcher da SpaceX.

Para saber como uma pessoa se comportaria dentro do veículo, a SpaceX colocou um boneco chamado Ripley como testes. Ele carregava sensores e acelerômetros que dão uma ideia de qual seria a consequência de todo o processo para o ser humano. Para a NASA, a cápsula se comportou melhor do que o esperado.

Isso quer dizer que a cápsula está pronta para levar tripulantes? Não, o veículo ainda precisa passar por um outro teste: o de emergência. Este teste deve ocorrer em abril quando a companhia vai provar que o sistema de segurança pode salvar a vida de tripulantes caso o foguete que a leva apresente defeitos. Passando por este teste também, o veículo, então, poderá fazer seu primeiro teste tripulado em junho deste ano.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.