Os 10 melhores filmes de suspense disponíveis na HBO Max

Os 10 melhores filmes de suspense disponíveis na HBO Max

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 12 de Outubro de 2021 às 18h30
Reprodução/Open Road Films, Warner Bros, Paramount

Existem várias formas de construir um bom suspense. Por muito tempo, o cinema acreditou que bastaria colocar algum elemento sobrenatural e pronto, mas a verdade é que o gênero é muito mais amplo do que isso. É um assassino à solta, um crime mal resolvido ou mesmo aquele fenômeno bizarro e mal explicado que te tira o sono só de pensar. Um bom suspense parte da tensão que é construída em paralelo ao seu mistério.

E a HBO Max tem um catálogo de peso do gênero, contando com algumas produções bastante clássicas e memoráveis até hoje. Com tramas envolventes e reviravoltas imprevisíveis, são histórias que merecem ser conferidas ou revisitadas — afinal, sempre há um segredo que passa despercebido em um primeiro olhar.

Assim, para ajudá-lo a escolher qual vai ser o motivo das suas unhas roídas, o Canaltech listou os melhores filmes de suspense para assistir na HBO Max.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

10. O Presente

Que tipos de segredos um colega de infância pode trazer à tona depois de décadas separados? É a partir desse questionamento que O Presente se desenrola, mostrando como brincadeiras da época de escola podem trazer consequências para a vida toda, a ponto de destruir tudo o que você ama e mostrar ao mundo que você não é quem aparenta ser.

O filme estrelado por Rebecca Hall e Jason Bateman parte dessa proposta para criar o seu suspense. Ao reencontrar um velho colega de escola, o casal recém-casado passa a receber presentes estranhos em sua casa e é confrontado com um segredo que o marido carregou por toda a vida. E isso vai abalar o relacionamento, principalmente quando a esposa percebe que simplesmente não conhece o homem com quem casou.

O Presente é um belo exemplo de como o suspense não precisa de elementos sobrenaturais para ser tenso e que nos lembra como nossas vidas podem ruir por muito pouco.

9. O Quarto do Pânico

Poucas coisas nos deixam mais nervosos em um filme do que uma ameaça que pode nos atingir na vida real. É por isso que O Quarto do Pânico é tão eficaz na hora de construir seu suspense, já que qualquer um de nós poderia estar naquela situação com relativa facilidade.

Na história, mãe e filha acabaram de se mudar para um novo apartamento, quando o imóvel é invadido por criminosos. Para se proteger dos bandidos, elas se escondem em um quarto do pânico — um cômodo praticamente inviolável que as deixa isoladas do mundo exterior. O problema é que o alvo dos bandidos está justamente dentro dessa sala e elas precisam arranjar uma forma de escapar antes que eles consigam invadir.

8. Doutor Sono

A sequência do clássico O Iluminado pegou todo mundo de surpresa. O filme é mais inspirado no livro de Stephen King do que necessariamente no filme de Stanley Kubrick e se passa décadas depois da tragédia no Hotel Overlook, mostrando as consequências daqueles eventos na vida de Danny Torrance (Ewan McGregor). Só que a coisa parte para um caminho totalmente inesperado quando ele conhece um jovem que possui as mesmas habilidades extrassensoriais — o tal brilho.

É nisso que entra uma espécie de seita que caça pessoas como eles em busca de um caminho para a imortalidade. E é a partir dessa aliança entre Danny e sua nova amiga que ela vai ter que encarar essa nova ameaça e os fantasmas do passado.

Falando assim, parece uma salada enorme e confusa, mas é o tipo de suspense sobrenatural em que King se destaca e revisitar esse universo icônico da história do cinema é algo realmente imperdível.

7. Poltergeist

Mas é claro que não poderia faltar um bom suspense sobrenatural em nossa lista, daqueles que flertam com o terror e te fazem se encolher em frente à TV. Aliás, o dispositivo é parte fundamental da história de Poltergeist e do imaginário de fantasmas que ele introduziu. Afinal, quem nunca morreu de medo quando viu uma televisão ligar sozinha ou ficar apenas em estática?

No longa, uma família é visitada por fantasmas que têm uma estranha preferência por se manifestar em objetos da casa. São cadeiras que se mexem sozinhas, copos que se quebram... Só que as coisas começam a evoluir até o ponto em que uma criança é engolida pela TV. E aí, o que fazer para se livrar desses espíritos da sua casa?

6. Hereditário

Outro suspense que flerta bastante com o horror, Hereditário é um dos filmes mais tensos dessa nova leva do gênero. Ao invés de monstros e pessoas morrendo dos jeitos mais violentos possíveis, o filme aposta na tensão psicológica e no sobrenatural para construir o medo e faz isso tudo muito bem.

Diante disso, a história é até relativamente simples, com uma família descobrindo os segredos de seus antepassados. Só que as coisas vão se tornando cada vez mais profundas e pesadas até saírem completamente de controle, de um jeito que a gente não espera.

5. O Abutre

O jornalismo marrom também rende um bom suspense, principalmente ao mostrar o que acontece quando a ética se torna a primeira vítima da ambição. O longa estrelado por Jake Gyllenhaal conta a história de um jovem que descobre como ganhar dinheiro filmando acidentes, incêndios, assassinatos e outros casos de polícia para vender as imagens a programas de TV. Só que a coisa rapidamente foge de controle.

Assim, o filme cria sua tensão ao apresentar como uma pessoa pode ser consumida por essa ambição sem escrúpulos e as consequências dessa caçada por tragédias.

4. O Nome da Rosa

Um clássico do cinema e da literatura, O Nome da Rosa recria o bom e velho mistério de assassinato em um contexto bem peculiar. Ao invés de colocar a morte em meio a uma cidade ou coisa parecida, o crime acontece dentro de um convento em plena Idade Média.

Assim, à medida que os monges começam a ser assassinados à véspera da visita do Papa, começa a corrida para descobrir o que está acontecendo. Enquanto parte dos religiosos acreditam que é obra do demônio para impedir o trabalho dos servos de Deus, um frei franciscano — vivido pelo lendário Sean Connery — desenvolve um verdadeiro trabalho de detetive usando a lógica para decifrar o crime.

O destaque aqui vai além do suspense em si, mas da excelente recriação da Idade Média e da atuação sempre fenomenal de Connery. É claro que a história original de Umberto Eco é maravilhosa, mas a sua transposição para as telas consegue manter o nível de clássico com facilidade.

3. Seven: Os Sete Crimes Capitais

Falando em assassinato, um dos filmes mais envolventes seguindo essa lógica de serial killer é Seven: Os Sete Crimes Capitais, protagonizado por Morgan Freeman e Brad Pitt. O longa acompanha dois detetives que precisam identificar um assassino que mata suas vítimas inspirado nos sete pecados capitais.

Como se isso não fosse bizarro o suficiente, a forma com que a história é contada e como esses crimes envolvem os personagens e o espectador tornam tudo ainda mais tenso — principalmente quando ele traz grandes reviravoltas em sua trama.

2. Ilha do Medo

Aquela velha história de que “nada é o que parece” é um grande clichê no cinema de suspense, mas poucas coisas descrevem Ilha do Medo tão bem quanto isso. Dirigido por Martin Scorsese e estrelado por um Leonardo Di Caprio em excelente forma, o filme brinca com o espectador ao subverter todas as expectativas e criar reviravoltas simplesmente impossíveis de serem previstas.

Ambientada em 1954, em plena Guerra Fria, a história foca em dois detetives que são chamados para uma prisão psiquiátrica no meio de uma ilha para investigar o desaparecimento de uma paciente. Só que o misterioso sumiço rapidamente se torna algo ainda maior e você fica simplesmente sem fôlego quando descobre o que realmente aconteceu ali.

1. O Iluminado

Impossível falar de suspense sem ter este que é um dos maiores ícones do cinema de todos os tempos. O Iluminado é, para muitos, a obra-prima de Stanley Kubrick — e com razão, já que o filme consegue exprimir toda a sua tensão apenas a partir da atuação de Jack Nicholson e na ambientação cada vez mais claustrofóbica daquele hotel isolado na neve.

O curioso é que, embora inspirado no livro homônimo de Stephen King, o filme segue por caminhos bem diferentes. Tanto que ele trata muito menos de eventos paranormais e entidades extrassensoriais e cria uma história que caminha em direção ao terror sendo assustadoramente humana. Afinal, tudo se resume a um homem que simplesmente enlouquece.

Essas mudanças desagradaram King a ponto de fazer com que o autor quisesse outra adaptação de sua obra. Só que O Iluminado de Kubrick é tão icônico e marcante que a outra versão foi completamente esquecida da memória do público.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.