Review Volkswagen Taos | SUV deve tornar a vida do Jeep Compass mais complicada

Review Volkswagen Taos | SUV deve tornar a vida do Jeep Compass mais complicada

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 15 de Agosto de 2021 às 08h30
Felipe Ribeiro/ Canaltech

Anunciado no início de 2021, o Volkswagen Taos é o produto que faltava no já ótimo portfólio da montadora alemã, que finalmente entendeu o mercado e decidiu apostar com tudo nos SUVs. A missão, porém, é ingrata: competir com o líder absoluto de vendas no segmento de utilitários médios, o Jeep Compass, que também ganhou a concorrência de outro produto de peso, o Toyota Corolla Cross.

Ciente de sua missão, a Volkswagen não mediu esforços para trazer ao mercado brasileiro um veículo muito atraente, dotado de excelente pacote tecnológico, motor competente e muito, mas muito espaço interno. Predicados que, certamente, farão potenciais clientes olharem com mais carinho para essa nova opção de SUV. Mas será que tudo isso será suficiente para encarar os rivais?

O Canaltech passou alguns dias com o Volkswagen Taos em sua versão topo de linha, a Highline, e pôde avaliar tudo o que esse carro pode oferecer. Vem com a gente!

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Prós e Contras Volkswagen Taos

Prós

  • Ótimo pacote tecnológico;
  • Excelente espaço interno;
  • Dirigibilidade parecida com um sedã;
  • Motor ágil.

Contras

  • Acabamento deixa a desejar;
  • Preço muito acima do esperado;
  • Falta versão com tração integral.

Conectividade e segurança

O Volkswagen Taos vem para preencher uma importante lacuna na linha de carros da Volkswagen. Por mais que o Tiguan seja um produto excelente, ele custa muito mais caro do que os rivais e a empresa decidiu lhe dar um outro posicionamento, excluindo a versão com o motor 1.4 turbo e mantendo apenas a 2.0 turbinada. Com essa mexida, a Volks se viu na necessidade de lançar o Taos — e a decisão foi acertada.

Pensado para encarar os concorrentes, o SUV médio é equipado com o que há de melhor em termos de assistências de condução, segurança e infotenimento, mesmo que estejam lhe faltando alguns itens. Na versão Highline, somos agraciados com o controle de cruzeiro adaptativo, o alerta de colisão frontal, o sistema de frenagem automática de emergência e o leitor de ponto cego com sinalizador de tráfego cruzado, que tornam o carro mais seguro.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

A intervenção desses itens se mostrou sempre precisa, tanto na cidade quanto na estrada, sobretudo o sinalizador de tráfego cruzado, que ajuda muito em situações em que o motorista não tem total visão do que ocorre atrás do veículo. Além disso, o Taos conta com um sistema inovador de iluminação, o IQ Light, que direciona os LEDs frontais conforme a necessidade e se adapta às formas e vácuos vistos à frente de modo muito inteligente

Ainda falando em segurança, o Taos é realmente à prova de barbeiragens, provando ser útil em situações de extrema necessidade, como na demonstração que fizemos no campo de testes da Goodyear. Seu sistema de frenagem automática de emergência é um dos poucos que identificam pedestres e ciclistas, ocasiões que, nas cidades, podem ser bem complicadas para os motoristas.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Já no campo do infotenimento, o Taos é equipado de série com a VW Play, uma das melhores centrais multimídia do mercado. Nela, podemos instalar aplicativos nativamente, como o iFood, Sem Parar, Waze e Spotify, utilizando-os com o roteamento da internet do celular. Mas, se você não quiser, pode conectar seu celular via USB-C e espelhar a tela com o Android Auto ou Apple Car Play. Esse recurso, infelizmente, é com fio. Mancada.

Completam os itens de segurança e conectividade o sistema de som Beats, controles de estabilidade e tração, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, sensor crepuscular, sensor de chuva, seis airbags, farois direcionais, chave presencial, alarme e destravamento presenciais, freio a disco nas quatro rodas, sistema ISOFIX, distribuição eletrônica de frenagem, frenagem auxiliar pós-colisão e câmera de ré.

O que faltou?

Por mais completo que o Taos seja, faltaram alguns itens para um carro que custa o que lhe é cobrado. O sistema de permanência em faixa seria vital para completar o já bom pacote de segurança, sendo muito útil em estradas. Além disso, não há a abertura e fechamento automático do porta-malas. Já mencionamos, também, a ausência do espelhamento sem fio, que casaria bem com o carregamento por indução presente nessa versão.

Conforto e experiência de uso

Aqui é onde o Volkswagen Taos brilha. Por mais que ele seja equipado com o já conhecido motor 1.4 turbo de 150 cv e 25,5 kgf/m de torque, essa escolha se tornou acertada por parte da montadora, já que é um propulsor que entrega força ao menor toque no acelerador, sendo suficiente para o uso urbano e na estrada. Isso sem falar na manutenção, que é feita sem maiores problemas. O câmbio é sempre automático de seis marchas.

O consumo, por sua vez, está dentro do esperado. Em nossas medições, o Taos marcou média de 8,5 km/h quando abastecido com etanol, sempre levando em consideração o uso misto de cidade e estrada. Na gasolina, segundo a Volks, o SUV faz 10,2 km/l (cidade) e 12,5 km/l (estrada) números relativamente bons, já que estamos falando de um automóvel que pesa 1.420 kgs.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Ao volante, o Taos é muito gostoso de guiar e lembra muito o comportamento do seu irmão sedã, o Jetta, que também é equipado com esse motor. A direção elétrica é progressiva, mas sempre direta, dando um pouco mais de esportividade ao carro. Seu acerto de suspensão, que é independente nas quatro rodas, é bem firme, garantindo curvas seguras. Mas, nas ruas esburacadas, sentimos bastante as imperfeições do solo. O isolamento acústico também poderia ser melhor, mas não atrapalha a vida a bordo.

Já com relação ao conforto, o Taos deve ser o melhor entre os SUVs médios, ao menos quando pensamos no espaço para as pernas no banco traseiro. Isso se deve ao seu ótimo entre-eixos de 2,68m, o melhor da categoria. Tudo é bem folgado dentro da cabine e a Volkswagen está de parabéns por isso, já que quem procura um carro desse é porque precisa de folga para a família. O porta-malas também é destaque, com ótimos 498 litros.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

De modo geral, o Volkswagen Taos traz uma experiência de uso das melhores do segmento, com a sensação de que não estamos em um SUV — sobretudo ao volante. Sentimos falta, porém, de algumas coisas que esse carro poderia ter, como a tração nas quatro rodas, presente na versão comercializada nos EUA.

Os itens de conforto são complementados pelo ar-condicionado digital e de duas zonas, ar-condicionado para a fileira traseira, três entradas USB-C, retrovisor interno eletrocrômico, rebatimento dos retrovisores laterais, câmera de ré, ajustes elétricos para o banco do motorista, ajustes do volante em altura e profundidade, luzes de cortesia, configuráveis, modos de condução, porta objetos refrigerado, freio de estacionamento elétrico e aquecedor dos bancos.

Design e acabamento

O Taos segue uma nova ideia da Volkswagen quando pensamos em design e apresentou o conceito de LED em seu painel frontal. Foi possível notar nas ruas que algumas pessoas até fizeram careta ao olhar para o carro, já outras parecem ter gostado. De todo modo, não podemos dizer que o SUV é feio, pelo contrário. Mesmo sendo parecido com o Tiguan, sobretudo na traseira, ele tem personalidade própria.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Já no acabamento, mesmo com a tentativa da Volkswagen de torná-lo mais premium, é certo dizer que nem de longe ele vai se equiparar com seus rivais. A quantidade de plástico no painel é enorme, lembrando muito o T-Cross. Há materiais melhores no volante e nas portas, que é onde mais tocamos, é verdade, mas lembremos que se trata de um carro de mais de R$ 180 mil. Falha grave, no nosso entendimento.

(Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Felizmente, porém, os bancos são bem feitos e há uma quantidade generosa de porta objetos na cabine, ideal para viagens e famílias grandes. Há, também, um enorme teto solar panorâmico, que é opcional mesmo na versão topo de gama, e luzes de LED no painel, que podem assumir diferentes cores, como acontece no Jetta.

Concorrentes

São considerados concorrentes diretos do Volkswagen Taos modelos como o Jeep Compass e o Toyota Corolla Cross. No entanto, compradores desses carros também podem se interessar por Caoa Chery Tiggo 7, Peugeot 3008 e Honda CR-V.

Veredicto

O Volkswagen Taos é um ótimo produto e com certeza vai dar trabalho aos rivais na luta para ver quem vende mais no mercado de SUVs médios. Com ótima dirigibilidade e excelente pacote de equipamentos, ele pode fazer valer o alto investimento que lhe é pedido. O acabamento, porém, não condiz com um automóvel dessa categoria e pode afastar potenciais compradores. Conforto, porém, é seu grande atrativo.

O Volkswagen Taos Highline pode ser adquirido em todo o Brasil por R$ 181.790. A versão avaliada pelo Canaltech, com o pacote Launching Edition, sai por R$ 191.060, enquanto o modelo de entrada, Comfortline, custa R$ 154.990.

No Canaltech, o Volkswagen Taos Highline foi avaliado graças a uma unidade gentilmente cedida pela Volkswagen do Brasil.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.