Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Como as enchentes no RS afetam a produção de carros no Brasil?

Por| Editado por Jones Oliveira | 14 de Maio de 2024 às 08h00

Link copiado!

Reprodução/GM
Reprodução/GM

As enchentes que vêm ceifando vidas e provocando estragos incalculáveis ao Rio Grande do Sul também estão causando impactos negativos na produção de carros de algumas das principais montadoras de veículos do Brasil.

Marcas como General Motors, Toyota e Fiat, esta pertencente ao Grupo Stellantis, possuem fábricas, plantas e centros de distribuição espalhados por algumas das cidades mais afetadas do RS e, por conta disso, estão com as condições de trabalho comprometidas.

Os prejuízos exatos que as marcas já acumularam por conta dos impactos das chuvas e das enchentes não foram divulgados, mas tanto GM quanto Toyota e Stellantis tiveram que tomar atitudes extremas para preservar os funcionários e evitar uma tragédia ainda maior.

Continua após a publicidade

A GM, que tem fábrica em Gravataí, foi a primeira a anunciar a paralisação temporária da produção por conta do alagamento da planta. A montadora desligou as máquinas na segunda-feira (6) e não tem data para retomar os trabalhos.

Enchentes causam problemas até fora do país

Os problemas na produção de carros não estão restritos aos territórios afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Os reflexos chegaram até em países vizinhos, que não sofrem diretamente com as chuvas, mas enfrentam dificuldades logísticas para manter as entregas no Brasil.

Continua após a publicidade

É o caso da Stellantis, que produz o Fiat Cronos, um dos sedans mais vendidos do Brasil, em Córdoba, na Argentina. A montadora interrompeu as linhas no dia 7 e deve retomar a produção ainda nesta semana se os trâmites para levar os carros ao Brasil forem normalizados a tempo.

Quem também produz carros na Argentina é a Toyota. De lá saem a picape Hilux e o SUV SW4, ambos fabricados em Zárate. Eles chegam ao Brasil e são enviados ao Centro de Distribuição localizado em Guaíba, uma das regiões mais próximas ao rio que vem causando estragos no Sul.

A montadora afirmou que apenas 5 dos mais de 1.000 carros que estão no local foram danificados, mas segue em estado de alerta para novas enchentes. A empresa utiliza o local para distribuir seus carros para as mais diversas localidades do país, mas o trabalho regular está comprometido.

Continua após a publicidade

Carros com linhas de produção paradas

Os carros afetados pelas enchentes e que tiveram as linhas de produção paralisadas temporariamente no Rio Grande do Sul e na Argentina figuram nas listas de mais vendidos em suas respectivas categorias.

É o caso do Chevrolet Onix, hatch que briga com Volkswagen Polo pela primeira posição entre os hatches; do Chevrolet Onix Plus, que manda no segmento dos sedans; e do Fiat Cronos, que também está entre os mais emplacados desta lista.

Continua após a publicidade

A Toyota, por sua vez, não chegou a interromper as linhas de produção da Hilux e do SW4, mas espera que a água que atingiu a região do Centro de Distribuição volte ao normal para, só depois, retomar os trabalhos e voltar a entregar a picape e o SUV para todas as regiões do país.