Publicidade

Review Porsche Taycan Turbo S | Uma máquina de tirar o fôlego

Por| Editado por Jones Oliveira | 12 de Fevereiro de 2023 às 09h00

Link copiado!

Review Porsche Taycan Turbo S | Uma máquina de tirar o fôlego
Review Porsche Taycan Turbo S | Uma máquina de tirar o fôlego

Depois de ter a oportunidade de testar o Taycan 4S nas ruas e na pista do Circuito Pan-Americano, em Elias Fausto, na região de Campinas, fomos convidados pela Porsche para também experimentar o Turbo S, modelo topo de linha e (bem) mais potente que a variante de entrada do superesportivo elétrico alemão. E o que já havia sido bom, ficou ainda melhor.

Apesar de não termos, desta vez, conseguido levar o carro para acelerar em um circuito fechado de um autódromo, foi possível observar, em perímetro urbano e em rodovias, o quanto o Porsche Taycan Turbo S pode impressionar, tanto em termos de desempenho quanto em design e tecnologia. E ele se mostrou, literalmente, de tirar o fôlego — principalmente nos testes de controle de largada.

Antes de entrar no review em si, é interessante saber que a montadora esclareceu, para quem possa estar estranhando a alcunha ‘Turbo’ em um carro elétrico, que o Taycan Turbo S realmente não conta com uma turbina, e carrega tal denominação apenas como alusão à esportividade da versão topo de linha.

Continua após a publicidade

Após passar alguns dias ao volante do carro e encarar tanto trajetos urbanos quanto em rodovias, vamos elencar nesse conteúdo o que fez do Taycan um dos carros elétricos mais vendidos do Brasil em 2021 (em sua versão de entrada) e segue mantendo o modelo como um dos mais desejados de quem curte esportividade sobre quatro rodas.

Conectividade e segurança

Continua após a publicidade

O Porsche Taycan Turbo S tem, além de um desempenho excelente e de um design irretocável, um pacote recheado de conectividade e segurança, compatível com o que se espera de um dos mais badalados carros do segmento.

Uma das falhas encontradas na variante 4S, que era a ausência do espelhamento com o sistema Android Auto, foi corrigida para a versão topo de linha, e comprovou que o que é bom, pode melhorar.

O ponto que mais chamou a atenção, porém, foi o recurso chamado de Porsche Electric Sport Sound. Ele pode ser acionado quando o modo de condução está ajustado para o mais potente (Sport Plus), e faz o carro simular, tanto nos alto-falantes quanto no exterior, o ronco de um motor.

Continua após a publicidade

De acordo com a montadora alemã, o recurso foi criado pelo departamento de engenharia para "conferir uma sonoridade ainda mais emocionante à propulsão do veículo com caráter inovador, mas sem perder a identidade sonora de um autêntico Porsche, e foi concebido com um caráter o mais emocionante, desportivo e marcante possível".

A sensação ao acelerar o carro com o "motor ligado" é a de que você está dentro de uma nave espacial futurista, algo que fica acentuado também ao olharmos a quantidade de telas que compõem o sistema de infotenimento e conforto do carro — são 5 no total, contando a vertical, no console, e a para os passageiros do banco de trás.

Outro ponto do recheado pacote que merece destaque é relacionado ao sistema de recarga das baterias. O Porsche Taycan Turbo S possui entradas dos dois lados do carro para o encaixe do carregador, e o acionamento é automático, com a portinhola abrindo e fechando com um simples passar de mãos no sensor posicionado abaixo delas.

Continua após a publicidade

O Porsche Taycan Turbo S oferece ainda em seu pacote de conectividade itens como:

  • Sistema de áudio Burmester 3D;
  • Pareamento com Apple CarPlay e Android Auto;
  • Saídas USB-C (duas no console central e duas para os passageiros do banco traseiro);
  • Park assist com câmeras 360º;
  • Volante multifuncional GT com aro em race tex;
  • Homelink.

No quesito segurança, o modelo sai equipado com 8 airbags, assistente de manutenção em faixa, assistência de frenagem, controle de cruzeiro adaptativo e espelhos com dispositivo antiofuscante de acionamento automático.

Continua após a publicidade

Conforto e experiência de uso

Uma das críticas feitas por nossa reportagem ao icônico Porsche 911 Carrera S foi relacionada ao fato de o esportivo alemão não acomodar confortavelmente passageiros no banco traseiro do carro. E tudo bem, pois quem compra um carro com essa pegada pouco se importa se há ou não espaço para alguém se sentar no banco de trás.

Esse "problema", porém, inexiste no Taycan Turbo S. O "parente" elétrico do 911, apesar de manter a pegada esportiva, é extremamente aconchegante e comporta com tranquilidade quatro adultos, independentemente da estatura. No banco da frente, o estilo cockpit dá ao piloto espaço de sobra para se ajustar da melhor forma possível no comando da "nave".

Continua após a publicidade

Quem vai atrás também pode curtir, confortavelmente, a aventura de um carro que pode atingir os 100 km/h em menos de 3 segundos e acelerar a até 260 km/h. E os ocupantes devem agradecer aos engenheiros que construíram o Taycan sobre a plataforma J1, que oferece 2,90 metros de distância entre-eixos.

O ar-condicionado de quatro zonas é outro ponto de destaque entre os itens de conforto do Turbo S, pois dá aos quatro ocupantes do veículo a chance de ajustar a temperatura individualmente e, também, de direcionar o vento para onde desejarem — rosto, corpo ou pés.

E como anda o Porsche Taycan Turbo S? Bom, a julgar pelas especificações, não é preciso explicar muito, não é? O coupé conta com dois motores elétricos, um em cada eixo, de 380 cavalos e 53,5 kgfm de torque. Somados, eles entregam até 761 cavalos e 107,1 kgfm de torque (no controle de largada). Potência suficiente para arremessar todos os ocupantes com as costas contra o banco, tamanho o impacto da ação da Força G sobre os corpos.

Continua após a publicidade

Apesar de ter um desempenho de, literalmente, "tirar o fôlego", a condução do Porsche Taycan Turbo S não é agressiva (a menos que o piloto queira, claro). Quando ajustado para o modo de condução mais econômico — Range, que limita a velocidade máxima a 100 km/h —, o sedan ao estiilo coupé é um carro extremamente dócil na tocada.

Toda a potência e peso também não fazem do Taycan Turbo S um carro difícil de controlar. Tanto na cidade quanto nas rodovias ele se mostrou ágil, rápido, mas extremamente "na mão" do condutor. O volante responde aos comandos de forma instantânea, por menor que ele seja, e o comportamento do esportivo elétrico nas curvas é tão sólido e suave que assusta. Fruto, provavelmente, do centro de gravidade baixa, por conta das baterias instaladas no assoalho.

O sistema de regeneração de energia também é eficiente para recuperar alguns quilômetros de autonomia, e a frenagem do Taycan Turbo S é quase tão impressionante quanto sua aceleração, agindo de forma eficaz, graças aos discos ventilados com gigantescas pinças carbocerâmicas de 10 pistões. Segundo a Porsche, porém, até 90% das frenagens são feitas pelo sistema regenerativo, e isso devolve 265 kW às baterias.

Continua após a publicidade

Vale destacar ainda que o controle eletrônico dos motores elétricos ajusta, de forma automática, a melhor forma de tração do sedan tipo coupé, que pode rodar tanto no modo 4x2 traseiro quanto no 4x2 dianteiro ou no 4x4. O motor traseiro é movido por um câmbio automatizado de duas marchas, raríssimo em carros elétricos, que aprimora ainda mais seu desempenho.

Um ponto que mereceu atenção foi o relaciondo à autonomia do coupé, que poderia ser melhor. Em um teste que misturou trechos urbanos, rodoviários e algumas saídas mais fortes para confecção de material em vídeo, o alcance da bateria ficou longe de atingir os 420 km prometidos pela marca (no ciclo WLTP), e aguentou pouco mais de 300 km.

O Taycan Turbo S possui 33 módulos de bateria, com 12 células cada, todos acoplados no assoalho do carro. O conjunto total tem capacidade de 270 kW, e oferece 93,4 kWh de energia. A recarga do sistema elétrico de 800 volts, segundo a Porsche, acontece em 9 horas em uma tomada doméstica de corrente alternada (normal em wall box), e em pouco mais de 30 minutos nos carregadores rápidos, de corrente contínua.

Continua após a publicidade

Design e acabamento

Falar de design e acabamento em carros premium é uma tarefa tranquila. O Porsche Taycan Turbo S é lindo por fora e esplendoroso por dentro. O exterior combina um visual agressivo e futurista, sem deixar de lado a tradicional assinatura dos carros da Porsche, tanto na parte dianteira quanto na traseira.

Por dentro, o acabamento em couro é impecável nos bancos, portas e painéis. O capricho faz com que o bólido se transforme em uma extensão de sua casa, mas com um adendo: as casas não aceleram a 260 quilômetros por hora e nem atraem olhares por onde passam, não é mesmo?

Continua após a publicidade

Os botões físicos quase inexistem, e ficam restritos ao que dá a partida no carro, aos destinados aos comandos dos vidros e ao seletor de câmbio, próximo ao volante, tornando o visual ainda mais clean, tanto nos painéis quanto no console, também totalmente digitalizado.

Concorrentes

O Porsche Taycan Turbo S tem poucos concorrentes à altura no mercado. Dois que podem ser citados como os mais próximos são o Audi RS e-tron e o Tesla Model S, sendo que este último só é vendido no Brasil por meio de encomenda em importadoras, e por preços bem mais altos que o cobrado no modelo alemão.

O Audi RS e-tron tem 598 cavalos de potência combinada e, portanto, não é páreo nesse quesito para o Taycan Turbo S, enquanto o Tesla Model S tem especificações bem similares ao modelo alemão, com 762 cavalos e 99,9 kgfm de torque.

A diferença que poderia pesar a favor do carro da montadora de Elon Musk, que é o preço, só é aplicável fora do Brasil, onde o Tesla custa cerca de cerca de US$ 100 mil, ante US$ 187 mil do Porsche. Como não é vendido por aqui, porém, o Tesla fica muito mais caro quando aplicadas as taxas de importação, passando fácil do preço do Taycan Turbo S.

Como estamos falando de um nicho que atrai clientes também pelo design e pela esportividade, o leque de concorrentes do Porsche Taycan Turbo S pode ser expandido se encaixarmos, por exemplo, carros premium de montadoras novas no mercado nacional.

É o caso da BYD, fabricante chinesa que chegou há pouco com novidades pesadas, como o Han. O sedan esportivo, já testado brevemente pela reportagem do Canaltech, tem luxo, desempenho e potência de sobra. O Han conta com dois motores elétricos que, somados, entregam potência de 494 cavalos e torque de 69,3 kgfm. Este modelo sai hoje por quase metade do preço do Taycan Turbo S (R$ 539.990).

Porsche Taycan Turbo S: Vale a pena?

Afinal de contas, vale ou não a pena dispor de R$ 1.121.058,00 (preço base da tabela Fipe de fevereiro de 2023) para levar o Porsche Taycan Turbo S para casa? A resposta é curta e grossa caso você tenha condições financeiras para isso: “Sim”.

O superesportivo alemão não foi um dos carros elétricos mais vendidos do Brasil no primeiro semestre de 2021 à toa. Ele entrega tudo o que se propõe para quem busca por um carro deste porte.

De quebra, o sedan com estilo coupé topo de linha da família ecologicamente correta da marca alemã joga por terra o tabu de que a eletrificação chegou para acabar com a graça de quem é apaixonado por motores boxer de 6 cilindros da marca ou um "V oitão nervoso".

Esqueça que o Taycan Turbo S não tem o ronco tradicional dos modelos à combustão da Porsche ou de outros esportivos badalados, como Ferrari ou Lamborghini. Gire o seletor de modo de condução para a posição Sport Plus, acione o recurso Porsche Electric Sport Sound, que simula o ronco do motor com pegada futurista nos alto falantes, e eu garanto: ele vai ganhar seu coração já na primeira acelerada.