Review JAC E-JS1 | Elétrico chinês é pequeno e “invocado”

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 26 de Março de 2022 às 09h30
Paulo Amaral/Canaltech

Se você ainda carrega preconceito contra carro chinês, carro elétrico ou contra os dois, já passou da hora de conhecer o JAC E-JS1, lançado em setembro de 2021 com o rótulo de “elétrico mais barato do Brasil”.

E depois de fazermos um rápido teste com o subcompacto em evento da JAC Motors, o Canaltech teve a oportunidade de passar mais alguns dias com ele. E a constatação foi pontual: o JAC E-JS1 é pequeno, invocado e, como havíamos percebido antes, perfeito para o uso urbano.

Agora chegou a hora de falarmos mais detalhadamente sobre o JAC E-JS1 e, principalmente, se vale a pena investir quase R$ 160 mil no chinês que é "o carro elétrico mais barato do Brasil".

Frente do JAC E-JS1 tem um "Q" de Volkswagen Up! (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Prós

  • Economia
  • Desempenho
  • Agilidade
  • Pacote tecnológico
  • Conforto

Contras

  • Autonomia
  • Espaço no porta-malas

Conectividade e segurança

Vendido em versão única no Brasil, o JAC E-JS1 tem um pacote de tecnologia bastante interessante e melhor do que muitos carros mais badalados do mercado.

O subcompacto chinês sai de fábrica com central multimídia de 10,25 polegadas, que permite espelhamento com Android Auto e Apple CarPlay, via cabo, cluster digital com informações de rodagem, autonomia e técnicas sobre o veículo, ar-condicionado digital, sensores de estacionamento traseiro e câmera de ré.

JAC E-JS1 tem um bom pacote tecnológico em sua única versão disponível (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Além disso, o E-JS1 apresenta função auto-hold, freio de estacionamento eletrônico, câmbio automático com alavanca para troca ao lado do volante, sistema keyless, partida sem chave, duas tomadas de 12 volts, dois airbags, controle de tração e estabilidade e até mesmo carregador de celular por indução, que fica posicionado no espaço entre os bancos dianteiros.

Conforto e experiência de uso

Passar alguns dias ao volante do JAC E-JS1 foi uma experiência diferente. Apesar de já ter tido a chance de testar, também por um período mais longo, o E-JS4, SUV 100% elétrico da marca, o subcompacto proporcionou sensações inéditas.

Menos potente do que o irmão maior (62 cavalos x 150 cavalos), o "carrinho" tem 15,2 kgfm de torque (similar ao do Up! TSi) e impressiona nas arrancadas, como qualquer carro elétrico. Além disso, ele atrai os olhares atentos e curiosos dos desavisados, que não acreditam no que o modelo é capaz de fazer em cada saída.

Foi divertido ver os donos de carrões de outras marcas e de imponentes SUVs se espantando com a boa aceleração do JAC E-JS1 que, segundo a marca, sai do 0 aos 100 km/h em 10,7 segundos apenas. Agilidade e diversão garantidas a cada manobra.

Espaço interno do JAC E-JS1 surpreendeu positivamente (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

A suspensão do E-JS1 também foi acertada corretamente para o uso no Brasil, e o primeiro carro fruto da parceria da JAC Motors com a Volkswagen na China encarou bem as castigadas ruas de São Paulo. O isolamento da cabine, se não é perfeito, não compromete a boa experiência ao dirigir.

Design e acabamento

Mais do que a boa aceleração, o E-JS1 surpreendeu no quesito conforto. Apesar de ser um subcompacto, o espaço (3,65m de comprimento, 1,67m de largura, 1,49m de altura) e 2,39m entre-eixos é muito bem aproveitado.

Do alto dos meus 1,87 metros, posso assegurar que me senti bem tanto no banco da frente quanto no de trás. Os detalhes em cores marcantes também “disfarçam” o uso excessivo de plástico duro. O ponto a desejar é o porta-malas, com espaço para apenas 121 litros, embora isso seja justificável pela proposta do carro.

Em relação ao design, como já havíamos dito, ele carrega o DNA do iEV20, construído em cima do J2, subcompacto a combustão da marca. A parte dianteira tem um “Q” de ID.3, elétrico da Volkswagen, que o Canaltech também já acelerou.

Acabamento do E-JS1 tem bastante plástico, mas ainda agrada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

"O E-JS1 da JAC Motors é diversão pura: pequeno e valente, ele "assusta" os donos de carrões e SUVs"

— Paulo Amaral

Concorrentes

Os principais concorrentes do JAC E-JS1, na verdade, só podem ser taxados assim por conta da faixa de preços, já que nenhum dos modelos se encaixa especificamente na mesma categoria.

Os mais próximos do modelo chinês são o Renault Zoe, que tem autonomia de 385 quilômetros e custa a partir de R$ 205 mil; e o Fiat 500e, que promete rodar 320 quilômetros com uma carga e parte de R$ 239.990.

JAC E-JS1: Vale a pena?

Considerando todos os pontos levantados nesse review e comparando o preço atualmente praticado pela montadora chinesa, o veredicto do Canaltech a respeito do JAC E-JS1 é direto: o pequeno e valente subcompacto vale a pena se você estiver preparado para um carro que não foi projetado para encarar estradas ou longos percursos.

Como a agilidade e a aceleração são bastante similares às mostradas pelos rivais citados, o preço menor certamente pesará a favor do modelo chinês.

JAC E-JS1 ainda carrega o símbolo da Sol, joint-venture, na traseira, mas só no modelo "da imprensa" (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

No Canaltech, o JAC E-JS1 foi avaliado graças a uma unidade gentilmente cedida pela JAC Motors.