Para Tim Cook, liberar sideload no iOS terá "consequências profundas"

Para Tim Cook, liberar sideload no iOS terá "consequências profundas"

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 13 de Abril de 2022 às 13h10
Apple

O CEO da Apple, Tim Cook, fez um discurso no qual critica as sucessivas tentativas de governos, políticos e empresas de liberar a instalação de aplicativos no iOS fora da App Store. Durante a IAPP Global Privacy Summit, realizada na terça-feira (12), Cook disse ter grandes preocupações com a privacidade e a segurança dos usuários se leis neste sentido forem aprovadas.

O executivo manteve sua postura de não comentar sobre nenhuma legislação específica ou ação judicial, mas decidiu detalhar todos os esforços da sua companhia. A fala do chefão da Maçã possivelmente foi um recado indireto para todos que querem tirar as amarras de aparelhos como iPhone, iPad e Apple Watch.

Tim Cook se disse preocupado com as tentativas de "desbloquear" o iPhone para lojas de terceiros e instalações liberadas de apps (Imagem: Reprodução/Apple)

A política restritiva da Apple, conforme Cook, foi construída para manter a proteção do usuário. Qualquer tentativa de acabar com isso, ainda que em nome da concorrência, seria uma forma de burlar a segurança dos aparelhos. O chamado sideload, ou instalação paralela, teria "consequências profundas", como roubo de dados, rastreamento de usuários e vulnerabilidades que não existiam antes.

O chefão garantiu que respeita a competição e deseja promover esse ambiente, mas não gostaria de fazê-lo à custa do usuário. Cook ressaltou a criptografia de dados pessoas no iPhone e de backups feitos no iCloud, que nem mesmo a Apple sabe qual o conteúdo de cada perfil. Outra adição recente foi o polêmico ATT (App Tracking Transparency) e a necessidade de aplicativos pedirem a permissão para monitorar dados do usuário.

Luta contra a instalação de apps

Vale lembrar que a Maçã não somente obriga o download de apps de sua loja oficial como também impede a instalação de arquivos externos. No Android você pode baixar um arquivo com a extensão APK e colocá-lo para rodar no seu celular, mas no iOS isso é naturalmente impossível — a não ser que faça jailbreak e perca direito à garantia.

Há muitos anos que a gigante de Cupertino luta para se manter fiel ao seu propósito, mas está cada vez mais difícil convencer os órgãos reguladores e os próprios consumidores a aceitar isso. A União Europeia aprovou recentemente a The Digital Markets Act, uma lei que forçará todas as Big Techs a abrirem seus sistemas, sem restringir o direito de escolha das pessoas.

Mais do que a instalação, a legislação europeia pode obrigar a empresa norte-americana a permitir que concorrentes ofereçam lojas de aplicativos. Isso acabaria com o monopólio da App Store e sua taxação de quase 30%, que prejudica o lucro dos desenvolvedores e causa aumento de preços dos serviços para quem usa o iOS.

Parece que a Apple deseja reverter um caminho sem volta, porque o mercado não tolera mais esse tipo de prática. Apesar de parecer uma preocupação legítima de Tim Cook, é impossível saber o que vai ocorrer, de fato, se o usuário nunca tiver a opção de fazer a instalação paralela ou cuidar da sua própria segurança digital.

Fonte: TechRadar  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.