Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

LG anuncia linha de TVs OLED 2024 com até 144 Hz e tecnologia MLA

Por| Editado por Wallace Moté | 03 de Janeiro de 2024 às 09h32

Link copiado!

(Imagem: Divulgação/LG)
(Imagem: Divulgação/LG)
Tudo sobre LG

Seguindo os anúncios antecipados para a CES e confirmando vazamentos recentes, a LG anunciou nesta quarta-feira (3) sua família de TVs OLED evo para 2024, trazendo novidades de peso em toda a linha. Além de um modelo de entrada mais robusto, os aparelhos trazem como destaques o aumento da taxa de atualização para até 144 Hz, a chegada de um novo processador "até quatro vezes mais veloz em Inteligência Artificial" e a adoção da tecnologia de Micro Lens Array (MLA) para turbinar os níveis de brilho.

Inicialmente, a gigante sul-coreana apresentou quatro modelos: as topos de linha OLED G4 e Signature OLED M4, a intermediária OLED C4 e a variante de entrada OLED B4. Há algumas ausências curiosas, como a super premium LG Z4 ou a básica LG A4, o que indica que a companhia ainda deve anunciar mais novidades no decorrer do ano. De toda forma, os aparelhos anunciados são os mais importantes da marca, e devem atender a maior parte do público.

LG OLED G4 e M4 têm MLA e chip α11

Continua após a publicidade

O destaque é das TVs G4 e M4, que concentram as novidades mais interessantes e compartilham basicamente da mesma ficha técnica — a diferença está nos tamanhos oferecidos e na adição da Zero Connect Box na M4, que envia o sinal de HDMI e outras portas via transmissão sem fio de uma caixa especial da empresa. Assim sendo, temos a nova geração do painel OLED evo da LG, com resolução 4K e uso da camada de MLA.

A Micro Lens Array é, como o nome sugere, uma camada de microlentes integrada ao painel que direciona a luz para turbinar o brilho, sem ser preciso forçar o OLED além do necessário, o que também assegura um menor risco de burn-in (as marcas permanentes de imagem na tela). A tecnologia não é exatamente nova, mas será usada pela primeira vez no tamanho de 83 polegadas, junto aos modelos menores. Como má notícia, a opção de 97 polegadas não contará com o recurso, devido a "limitações de hardware".

Outra grande adição é o processador Alpha 11 (α11), que promete avanços importantes em desempenho frente ao α9 Gen 6 usado nas OLED G3 e M3. Segundo a LG, o componente traz processamento "30% mais rápido" e performance gráfica "70% superior", além de impressionantes quatro vezes mais potência para tarefas de IA. Com os ganhos, há um bom número de funcionalidades aprimoradas, começando por upscaling de resoluções mais baixas "com precisão a nível de pixel".

Por sua vez, o Dynamic Tone Mapping Pro divide a imagem em blocos, analisando-os em tempo real para encontrar as áreas mais claras e mais escuras, balanceando-as para garantir uma experiência de HDR melhor. Já o AI Director Processing promete usar Inteligência Artificial para "refinar cores e analisar tonalidades" para entregar "os elementos emocionais planejados pelos cineastas e criadores de conteúdo" — resta saber se há a aplicação de filtros ou ajustes de cores, o que na realidade desagrada cineastas e quem preza por "sua visão".

Fecha o pacote de IA a nova versão do AI Sound Pro, agora capaz de suportar até 11.1.2 canais, uma das configurações mais avançadas disponíveis para TVs, prometendo um som mais encorpado e imersivo. Aqueles que ainda quiserem um sistema de som mais poderoso podem apoveitar o WOW Orchestra, que combina as caixas de som dos televisores com os speakers das soundbars da LG.

Completando as grandes novidades, os modelos de OLED G4 e M4 de até 83 polegadas ganharam upgrades na taxa de atualização, atingindo agora 144 Hz, o que finalmente coloca as TVs OLED da marca no mesmo patamar das concorrentes de companhias como Samsung e TCL. Vale destacar, no entanto, que a taxa mais alta só deve beneficiar usuários de PC, considerando que os consoles (PS5, Xbox Series X|S) são limitados a 120 Hz.

Continua após a publicidade

Ambas as séries terão cinco anos de garantia do painel, que contará com um dissipador de calor para reduzir as temperaturas e dar ainda mais segurança contra burn-in, portas HDMI 2.1 "com amplas funcionalidades", o que deve significar a lista completa de recursos do padrão, suporte a taxas de atualização variável (VRR) com AMD FreeSync e Nvidia G-Sync, e certificação ClearMR, que atesta tempos de resposta baixíssimos com o mínimo de borrão de movimento.

A LG Signature OLED M4 chega nos tamanhos de 77", 83", 97" e a inédita versão de 65", permitindo que usuários com espaços menores possam comprá-la. Enquanto isso, a LG OLED G4 estará disponível em 55", 65", 77", 83" e 97", recebendo em alguns países uma variante com base mais sólida para uso sobre a mesa, o que corrige uma das reclamações dos consumidores na geração passada.

LG OLED C4 e B4 são opções "acessíveis"

Continua após a publicidade

As mais simples LG OLED evo C4 e B4 não trazem as grandes inovações das "irmãs" mais avançadas, mas embarcam boas novidades que podem justificar o upgrade para alguns usuários. Mais encorpada das duas, a OLED C4 não conta com o chip α11, nem a tecnologia MLA, apesar de integrar a série mais popular de TVs da LG. O dissipador de calor também está ausente, o que deve impactar no brilho máximo, considerando que o aparelho deve limitá-lo para evitar aquecimento excessivo.

Dito isso, o painel OLED evo com resolução 4K foi aprimorado, e agora suporta taxas de atualização de até 144 Hz, incluindo VRR com AMD FreeSync e Nvidia G-Sync. O upgrade é especialmente importante por aqui diante da popularização do uso da série C como monitor para PCs, com a opção de tamanho de 42 polegadas. Fora isso, temos o novo processador α9 Gen 7, que não chegou a ser detalhado, mas deve trazer melhorias para fornecer acesso a novos recursos.

A estrela entre os modelos mais acessíveis deste ano é a LG B4, que trouxe diversos aprimoramentos frente à B3 graças ao inédito chip α8. Além de agora termos quatro portas HDMI 2.1 para aproveitar o máximo da tela 4K de 120 Hz, contra apenas duas da geração anterior, houve um aumento nos canais de áudio suportados para 9.1.2 canais, em comparação ao ainda respeitável limite de 5.1.2 canais do modelo do ano passado.

Continua após a publicidade

Mais interessante é a disponibilização de uma opção de 48 polegadas, para complementar os modelos de 55", 65" e 77", o que pode fazer do lançamento uma escolha interessante para quem quer arriscar usar uma TV como monitor sem precisar alocar tanto espaço, nem gastar o custo adicional requerido pela C4.

Outra excelente notícia é que os quatro televisores anunciados pela LG fazem parte do programa webOS Re:New — todas saem de fábrica com o recém-lançado sistema operacional webOS 24, e têm garantia de atualizações até o webOS 28. Apesar de parecer algo básico, promessas de grandes updates de sistema ainda são raros no mundo das TVs.

A gigante sul-coreana não divulgou detalhes de preço e disponibilidade da linha OLED 2024, mas devemos ter mais informações durante a CES, marcada para começar na próxima terça-feira, 9 de janeiro.