Snapdragon 8 Gen 1 Plus teria rendimento de mais de 70% com 4 nm da TSMC

Snapdragon 8 Gen 1 Plus teria rendimento de mais de 70% com 4 nm da TSMC

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 17 de Fevereiro de 2022 às 09h54
Wallace Moté/Canaltech

O especulado Snapdragon 8 Gen 1 Plus, versão revisada do atual chip high-end da Qualcomm agora sob os cuidados da TSMC, estaria tendo um rendimento de fabricação muito superior com a adoção da nova litografia. Pelo menos é o que indica o leaker Sam, que sugere ainda um lançamento muito próximo para o chip, reforçando outros rumores recentes.

Snapdragon 8 Gen 1 Plus teria melhor rendimento na TSMC

Lançado em dezembro passado, o Snapdragon 8 Gen 1 é o principal chip da Qualcomm para 2022, fabricado pela divisão de semicondutores da Samsung no processo 4LPE de 4 nm. Sabe-se que, na verdade, a tecnologia é apenas uma versão mais refinada da litografia de 5 nm, que já havia recebido críticas pela baixa densidade em comparação aos concorrentes, especialmente a TSMC.

Densidade, nesse caso, é a quantidade de transistores que podem ser agrupados na área do chip, e costuma ser um indicativo melhor da eficiência, desempenho e, mais ainda, da geração de calor apresentado pelo processo de fabricação — quanto mais densa uma litografia for, melhor. Acredita-se que as altas temperaturas apresentadas pelo Snapdragon 888 tenham entre as causas, além do núcleo Cortex-X1, a litografia de 5 nm da Samsung.

Mesmo com a chegada do 4LPE, de "4 nm", o Snapdragon 8 Gen 1 mostrou em testes limitações semelhantes às do antecessor, sendo os ganhos praticamente inexistentes na performance da CPU um dos sinais mais claros. Com isso, associado ao baixo rendimento de wafers de silício, a Qualcomm teria iniciado o desenvolvimento do novo Snapdragon 8 Gen 1 Plus, mas em parceria com a TSMC.

Segundo Sam, a decisão já estaria rendendo bons frutos, apresentando rendimento muito superior, acima dos 70%, ainda que não se saiba exatamente qual o rendimento apresentado pela tecnologia da Samsung. Caso a informação seja verdadeira, isso significa que um número significativamente maior de chips está sendo fabricado sem defeitos, o que não apenas reduz os custos de produção, como ainda garante que os clientes da Qualcomm estão sendo bem abastecidos.

O informante também sugere que a nova plataforma já estaria prestes a ser lançada, com possível estreia no segundo trimestre de 2022, algo que outros rumores recentes já haviam indicado. Considerando a superioridade da litografia da fundição taiwanesa, devemos ainda ver ganhos notáveis em eficiência energética e, mais importante, em desempenho.

Novo processo deve afetar desempenho positivamente

Há diversos indicativos e rumores que sugerem que a troca para a litografia de 4 nm da TSMC terá impactos muito positivos para a Qualcomm, inclusive no desempenho do processador. O primeiro deles pode ser observado em comparativos do Snapdragon 8 Gen 1 com o MediaTek Dimensity 9000, primeiro chip da gigante a mirar especificamente no segmento de alto desempenho com fabricação em 4 nm pela fundição taiwanesa.

Em testes preliminares, o Dimensity 9000 se mostrou até 17% mais potente que o Snapdragon 8 Gen 1, apesar da semelhança nas especificações (Imagem: Geekerwan/YouTube)

Apesar de terem as mesmas configurações de CPU, salvo as frequências ligeiramente mais altas, o Dimensity 9000 ganha por margens significativas sobre o Snapdragon, de até 17%. Mais impressionante é a eficiência energética, com o chip da MediaTek chegando a consumir até 40% menos do que o rival da Qualcomm, apesar de oferecer mais desempenho.

Complementando esse ponto, o leaker Ice Universe destaca como a litografia de 4 nm da Samsung, associada ao pouco avanço que os novos núcleos da ARM mostraram na prática, seriam "a raiz do problema" dos smartphones Android em 2021 e 2022, que seriam fortemente afetados na autonomia.

Fonte: WCCFTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.