ARM anuncia a CPU Cortex-A78 e promete 20% mais desempenho para os celulares

Por Rubens Eishima | 26 de Maio de 2020 às 14h08
ARM

Durante seu evento anual TechDay, a ARM, desenvolvedora de núcleos de processamento, anunciou o lançamento de novos modelos de CPU, GPU e NPU. O principal destaque é a nova CPU Cortex-A78, com um aumento de desempenho de 20% em relação à atual linha Cortex-A77.

A arquitetura de processamento ARM domina o mercado de celulares, utilizada por praticamente todos os fabricantes do segmento — Apple, Samsung, Huawei, Qualcomm e MediaTek, por exemplo —, além de outros mercados, como servidores da Amazon e até mesmo o processador Nvidia Tegra usado no Nintendo Switch.

Cortex-A78

Apresentado pela empresa como a "mais eficiente CPU já projetada para celulares”, a Cortex-A78 promete mais desempenho e ao mesmo tempo mais eficiência energética para smartphones. A ARM posiciona o núcleo para uso em jogos, realidades virtual e aumentada e aprendizado de máquina.

Assim como a antecessora Cortex-A77, a A78 deve ser utilizada nos processadores que equiparão os celulares topo de linha a partir de 2021. O aumento de 20% de desempenho na comparação com a CPU A77 acontece na mesma faixa de consumo, segundo a ARM. Ao comparar as CPUs dentro da mesma faixa de desempenho, o novo núcleo A78 consome até 50% menos energia que o antecessor, promete a fabricante.

CPU Cortex-A78 promete 20% mais desempenho com o mesmo consumo ou 50% menos consumo com o mesmo desempenho (imagem: ARM) 

A A78 recebeu ajustes para melhorar a eficiência no uso da transmissão de dados e precisão para prever o uso de instruções, resultando isoladamente em um aumento de 7% no desempenho. Outras otimizações foram aplicadas às memórias cache, com o objetivo de reduzir o consumo de energia.

A ARM estima que os novos processadores equipados com seu novo núcleo possam ocupar 15% menos área apenas pela substituição dos núcleos Cortex-A77 pelos A78 em uma configuração bastante popular atualmente, com quatro núcleos de alto desempenho em parceria com outros quatro Cortex-A55, de alta eficiência. A diferença leva em consideração os avanços nos processos de fabricação, provavelmente envolvendo o uso da litografia de 5nm, prevista para entrar em operação já em 2020.

A redução dos chips é apresentada pela empresa como um impulso ao desenvolvimento de novos formatos de celulares, destacando os aparelhos com tela dobrável e com múltiplas telas.

Cortex-X

Para usos que não precisam se preocupar tanto com bateria ou autonomia de uso, a ARM anunciou uma nova família de processadores, parte do programa Cortex-X Custom (CSC). Parceiros da empresa poderão personalizar suas CPUs de acordo com o uso esperado, ajustando parâmetros de desempenho, consumo de energia e dimensões.

Cortex-X1 foi projetado para aplicações de alto desempenho, com aumento de até 30% em comparação com os atuais topos de linha (imagem: ARM)

A primeira CPU oferecida pelo programa é a Cortex-X1 que, segundo a ARM, oferece um desempenho 30% maior do que a Cortex-A77 em processamento tradicional e duas vezes maior em tarefas de inteligência artificial.

Assim como as demais CPUs da empresa, a Cortex-X1 pode ser usado em parceria com os demais núcleos, incluindo a Cortex-A78 e Cortex-A55, cada um otimizado para tipos de uso diferente: desempenho ou baixo consumo.

Novas GPUs

Os anúncios da ARM não se restringiram às CPUs. A família de processadores gráficos Mali também ganhou um novo reforço, a GPU Mali-G78, com a promessa de 25% a mais de desempenho que a atual G77.

GPU Mali-G78 oferece um aumento de desempenho de 25% e pode ser usado com até 24 núcleos (imagem: ARM)

A Mali-G78 pode ser utilizada em configurações com até 24 núcleos paralelos, contra 16 na geração anterior, permitindo o que a ARM chama de “experiência ao nível dos consoles”. Além do maior paralelismo, a empresa divulgou que ao comparar o desempenho por área ocupada, o aumento de performance chega a 15%. Outro salto anunciado pela ARM é no quesito eficiência, com uma melhoria de 10% na comparação com a Mali-G77.

A linha de GPUs ganhou ainda uma opção “sub-premium”, a Mali-G68. O novo processador gráfico oferece os mesmos recursos do irmão maior, mas voltado para o segmento intermediário. A Mali-G68 pode ser usada em configurações com até seis núcleos, compensando o menor desempenho com um menor consumo de energia e área ocupada.

GPU Mali-G68 é uma opção mais acessível para processadores intermediários (imagem: ARM)

A ARM anunciou ainda parcerias com o Google e desenvolvedoras de ferramentas para criação de jogos, como a Crytek (do jogo Crysis) e a Unity, para melhorar a eficiência e otimização de seus sistemas para as novas GPUs.

A movimentação acontece em um momento em que cada vez mais empresas passam a levar a sério os jogos nos celulares, incluindo o novo programa de atualização periódica de drivers para Android da Qualcomm e a chegada da AMD ao mercado de GPUs otimizadas para celular.

NPU

Conhecidas também como unidades de processamento neural, as NPUs também receberam uma nova opção da ARM, o núcleo Ethos-N78. Assim como nos outros anúncios, a ARM destaca um aumento de eficiência de 25% na comparação com a geração anterior, também com a opção de ser utilizado em configurações com múltiplas NPUs em paralelo.

Expectativas

Os novos produtos oferecidos pela ARM devem ser integrados nos processadores utilizados pelos principais smartphones de 2021, entre eles o chip que, segundo rumores, estaria em desenvolvimento pelo Google em parceria com a Samsung com a CPU Cortex-A78.

Apesar da ARM não dar indicações de quais produtos devem incluir os novos núcleos, podemos esperar novas gerações de processadores da Qualcomm (Snapdragon), Samsung (Exynos), MediaTek (Helio e Dimensity) e até HiSilicon/Huawei (Kirin) equipadas com eles ao longo dos próximos anos.

Fonte: ARM (1, 2, 3, 4)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.