Samsung Galaxy S21 tem custo de fabricação menor que Galaxy S20

Por Renan da Silva Dores | 27 de Abril de 2021 às 14h40
Divulgação/Samsung

Depois de um ano complicado em virtude das vendas "abaixo do esperado" da família Galaxy S20, a Samsung conseguiu recuperar o fôlego em 2021 com a estreia da linha Galaxy S21. Com visual mais marcante, hardware mais potente e câmeras superiores, os atuais topos de linha da gigante sul-coreana levaram a empresa ao topo de vendas em fevereiro, com números quase três vezes maiores que a geração anterior.

Já considerado um sucesso, o Galaxy S21 também se mostra um ganho em se tratando de custos, conforme mostra nova pesquisa da agência Counterpoint Research. Os dados revelam que os gastos da Samsung com a atual linha de flagships são significativamente mais baixos, colaborando com os bons resultados da empresa.

Galaxy S21 é até 13% mais barato que S20

Para definir o custo de produção da linha Galaxy S21, a Counterpoint realizou uma pesquisa conhecida por "Estrutura de Produtos", ou "Bill of Materials (BOM)" em Inglês, que de maneira resumida lista os componentes e materiais utilizados na fabricação de produtos para definir seu custo de produção.

Assim sendo, concluiu-se que a Samsung gasta US$ 533 (cerca de R$ 2.888, em conversão direta) para produzir um Galaxy S21 Ultra, valor 7% menor que o do S20 Ultra. Os números são mais expressivos para o Galaxy S21 e S21+, que sofreram reduções de até 13% em relação aos seus antecessores, custando agora cerca de US$ 414 (algo em torno de R$ 2.243).

Os custos de produção da linha Galaxy S21 chegam a ser 13% menores que os da linha Galaxy S20 (Imagem: Reprodução/Counterpoint Research)

A agência atribui a redução significativa a quatro principais fatores: a integração do modem 5G aos processadores, antes separado na geração anterior, o que aumenta os custos de implementação; do uso de menos antenas 5G mmWave no S21 e S21+; da remoção dos fones e carregador da caixa; e da retirada do sensor ToF 3D de profundidade.

Os resultados são muito positivos, especialmente se considerarmos o aumento de preço sofrido pelo Snapdragon 888, utilizado nas versões chinesa e norte-americana do celular. Em alguns países, a economia chegou a ser refletida nos preços repassados aos consumidores.

Preço final engloba diversos fatores

Apesar de a diferença entre o custo de produção e o preço passado ao consumidor ser gritante, é importante lembrar que o valor final engloba mais do que apenas o custo dos materiais. Como lembra o Gizchina, também entram na conta os custos de montagem, de embalamento, de envio, de propaganda, dos salários dos funcionários envolvidos em todas as etapas, além da própria margem de lucro da fabricante.

(Imagem: Divulgação/Samsung)

Os celulares também registraram melhorias significativas em diversos departamentos, atingindo preços mais baixos. Comentando a questão, o analista Parv Sharma, da Counterpoint, destacou o aumento de desempenho e eficiência dos novos celulares, graças à litografia de 5 nm, além do redesign da linha, com módulo de câmeras menor e mais consistente.

Fonte: Gizmochina, Gizchina

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.