Os melhores celulares até R$ 2.000 de 2021

Por Felipe Junqueira | 23 de Fevereiro de 2021 às 11h30
Francielle Lima/Canaltech

Os preços dos celulares, que nunca foram lá muito convidativos no Brasil, aumentaram ainda mais durante o ano de 2020, impulsionado principalmente pela pandemia do novo coronavírus. Mas isso não significa que você precisa gastar todas as suas economias para levar para casa um ótimo smartphone, que vai durar uns bons dois anos sem dar problema.

É com essa ideia em mente que o Canaltech separou uma lista com os melhores modelos até R$ 2.000, que abriga atualmente os chamados intermediários premium. São ótimos modelos, com recursos e tecnologias já bastante próximos dos modelos topo de linha, bateria grande, tela de boa qualidade e desempenho satisfatório para mais do que só as tarefas mais comuns do dia a dia.

Alerta: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços estão sujeitos à mudança sem aviso. Os produtos exibidos aqui são selecionados pela nossa equipe, logo, se você comprar algo, o Canaltech talvez receba alguma comissão de venda.

Motorola Moto G9 Power: bateria gigantesca

Indicado para quem quer ficar muito tempo longe da tomada

Para quem gosta de ficar mais de um dia longe da tomada, o Moto G9 Power é um dos melhores celulares disponíveis no mercado brasileiro atualmente. Além da carga de 6.000 mAh, mais que suficiente para dois dias de uso normal, o dispositivo da Motorola também é potente, com um processador Snapdragon 662 de oito núcleos, 4 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento.

Mesmo para quem quer tirar boas fotografias tem aqui uma boa opção, com um conjunto traseiro triplo, cuja câmera principal tem 64 MP com tecnologia Quad Pixel, que junta quatro pixels em um para entregar resultado mais nítido e ‘limpo’. Além disso, a tela de 6,8 polegadas tem um discreto furo na parte superior esquerda para a câmera frontal, o que garante o consumo de vídeos de alta qualidade. Tenha em mente, porém, que a resolução do display é HD.

Uma alternativa ainda mais poderosa é o Moto G9 Plus, que apesar de ter processador mais potente, o Snapdragon 730G, tem bateria um pouco menor, de 5.000 mAh, e custa um pouco mais caro. Fica a seu critério optar pelo mais barato ou levar mais potência bruta.

Samsung Galaxy M31: o melhor custo-benefício

Indicado para quem busca bateria sem sacrificar o desempenho

O Galaxy M31 pode ser considerado atualmente um dos melhores custo-benefício na faixa de até R$ 2.000 disponíveis no mercado brasileiro. Com bateria gigante de 6.000 mAh, o modelo da Samsung supera o Moto G9 Power em hardware, com o processador Exynos 9611, que é mais potente que o Snapdragon 662, e ainda traz 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento.

A tela também traz uma vantagem: o painel é do tipo Super AMOLED, que oferece cores mais vivas e preto mais profundo, além de contribuir para a espessura menor do celular. O display tem 6,4 polegadas, usa resolução Full HD e tem um recorte em formato de U para a câmera frontal de 32 MP. E para quem gosta de tirar fotos, o conjunto traseiro tem principal de 64 MP, ultrawide de 8 MP, macro e sensor de profundidade de 5 MP cada.

Motorola One Fusion Plus: tela sem distrações

Indicado para quem consome muitos vídeos

O One Fusion Plus tem ficha técnica parecida com o Moto G9 Plus, mas traz uma vantagem: tela 6,5 polegadas Full HD sem distrações. Em vez de recorte para a câmera de selfies, o celular dedica praticamente toda a parte frontal para a exibição de conteúdo, com o sensor fotográfico guardado em uma gaveta pop up, que esconde o sensor de 16 MP.

Assim como o Moto G9 Plus, o One Fusion+ traz quatro câmeras traseiras, sendo que a principal tem 64 MP com a tecnologia Quad Pixel. As outras três são um sensor ultrawide de 8 MP, um macro de 5 MP e um de profundidade de 2 MP.

Por dentro, o celular é equipado com processador Snapdragon 730, que trabalha com oito núcleos de processamento, 4 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno — mais do que suficiente para rodar todos os aplicativos e jogos da Play Store. A bateria também é gigante: 5.000 mAh com carregamento rápido de 18 W.

Samsung Galaxy A71: poderoso em todos os sentidos

Indicado para quem quer tudo de melhor que um intermediário pode oferecer

O mais avançado intermediário da Samsung (até hoje) tem um conjunto bem completo e poderoso. Isso inclui tela Super AMOLED de 6,7 polegadas com resolução Full HD, processador Qualcomm Snapdragon 730, 6 GB de memória RAM, 128 GB de armazenamento e bateria de 4.500 mAh.

Nas câmeras você encontra principal de 64 MP, ultrawide de 12 MP, macro de 5 MP e sensor de profundidade de 5 MP, além de selfies de 32 MP na frente, em um furo centralizado no topo do display.

É um conjunto geral um pouco mais avançado que a maior parte dos modelos desta lista, incluindo a câmera ultrawide com mais resolução. O grande destaque é a tela Super AMOLED, com qualidade de imagem e cores mais atraentes que os concorrentes.

Poco X3 NFC: jogos com muito mais fluidez

Indicado para quem quer celular potente sem gastar muito

O Poco X3 é aquele celular que mantém a fama da Xiaomi de oferecer ótimos conjuntos a preço baixo. Com tela IPS LCD de 6,67 polegadas e resolução Full HD, o diferencial deste modelo para outros da lista é a taxa de atualização de 120 Hz, que aumenta a fluidez nas transições de apps e melhora até a percepção de movimentos em vídeos e jogos.

Por dentro, o smartphone conta com processador Snapdragon 732G (ainda mais potente que a versão anterior, o Snapdragon 730), que dá conta de tarefas habituais do dia a dia e jogos. Além disso, o Poco X3 tem 6 GB de RAM e opções de armazenamento que variam de 64 GB a 128 GB. E a bateria tem capacidade de 5.160 mAh, capaz de entregar até dois dias longe da tomada.

Na traseira você encontra um conjunto quádruplo de câmeras, com um sensor principal de 64 MP, ultrawide de 13 MP, macro de 2 MP e profundidade de 2 MP. Na frente, as selfies são registradas com uma câmera de 20 MP, que fica escondida em um furo centralizado na parte superior da tela.

Redmi Note 9S: ótimo conjunto para o dia a dia

Indicado para quem quer celular bonito com especificações equilibradas

A Xiaomi conta com representantes de peso no segmento de celulares intermediários até R$ 2.000. Outro modelo da marca na nossa lista é o Redmi Note 9S, que também se destaca pelas configurações com foco em games, ideais para rodar aplicações do dia a dia, como assistir a filmes e séries e navegar em redes sociais.

A principal diferença para o Poco X3 é que o Redmi Note 9S não tem a taxa de atualização de tela aumentada, mantendo o padrão de 60 Hz — isso, na realidade, já é suficiente, visto que é o padrão em smartphones há anos. O celular traz opções com até 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno (com possibilidade de expansão via cartão micro SD). Na prática, tudo é mais que suficiente para rodar qualquer app disponível na Play Store.

O display tem resolução Full HD e de 6,67 polegadas, com o popular furo para a câmera de selfies de 18 MP e um módulo traseiro com quatro sensores, que tem principal de 48 MP, ultrawide de 8 MP, macro de 5 MP e um sensor de profundidade de 2 MP. A bateria traz capacidade de 5.020 mAh.

Uma opção um pouco mais avançada, com mais memória RAM logo de cara, câmera principal com resolução maior e suporte a recarga ainda mais veloz, é o Redmi Note 9 Pro, que também está um pouco abaixo dos R$ 2.000. Mas, sinceramente, vale a pena economizar um pouco e levar o já ótimo Note 9S, mesmo.

Qual desses aparelhos é o seu favorito? Em qual deles você investiria seu dinheiro? Conte aí embaixo, nos comentários.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.