Confira 10 dicas para manter o seu smartphone seguro e longe de problemas

Por Sérgio Oliveira

Você passa mais tempo com seu telefone celular ao seu lado do que com sua esposa. O gadget é querido por muita gente que, pela "proximidade", acaba por tratá-lo como um amigo íntimo. Nos últimos tempos, porém, eles vêm se tornando o alvo preferido de cibercriminosos, que se aproveitam do desleixo dos usuários e acabam conseguindo hackear e invadir os aparelhos. Por esse motivo, provavelmente você não quer deixá-lo desprotegido e quer aproveitar o máximo de recursos possível para mantê-lo seguro.

Confira 10 dicas úteis para manter o seu aparelho longe de problemas.

1. Use senhas em tudo que puder

Você pode impedir que outras pessoas acessem o aparelho através de uma senha (ou, também, padrão de desbloqueio no Android). Não resta dúvidas de que essa é a forma mais básica de segurança, mas ela é extremamente eficiente e evita que informações confidenciais sejam visualizadas por outros.

Alguns aplicativos oferecem a possibilidade de adicionar uma senha para proteger o acesso ao software. Ainda assim é aconselhável proteger o acesso à tela inicial do aparelho para proteger aplicativos que possam conter informações sensíveis e de conteúdo privado, como o Mail no iPhone e o Gmail no Android.

2. Proteja suas contas no iCloud e no Google

Tela login iCloud

Muita gente não sabe disso, mas, se alguém conseguir acessar a sua conta do iCloud ou do Google, poderá ter acesso a um monte de informações e conteúdo. Uma forma eficiente de evitar que isso aconteça é ativar a autenticação em duas etapas em ambas as contas.

Tanto a Apple ID quanto a Google Account controlam o acesso a todo e qualquer serviço oferecido pelas empresas e que estão associados ao seu smartphone. Se um estranho tiver acesso a elas, ele não só poderá utilizar suas informações, como também poderá apagar todos os arquivos e dados remotamente sem o seu conhecimento.

3. Evite fazer jailbreaks ou rootear seu aparelho

Jailbreak

Se você realmente souber o que está fazendo e está ciente das implicações desses procedimentos, então tudo bem. Porém, se você só está tentando fazê-los porque ouviu alguém falar sobre isso, ou há algum espaço para dúvidas sobre a ideia na sua cabeça, então evite-os.

Não são raros os relatos de pessoas que executaram os processos e acabaram transformando seus smartphones em peso para papel. Aqueles que tiveram sucesso, por outro lado, costumam reclamar da impossibilidade de atualizar os sistemas operacionais para as últimas definições lançadas pelos fabricantes.

É verdade que é possível instalar alguns aplicativos interessantes e personalizar as configurações do aparelho para que ele fique com um visual bacana, mas isso também significa que você pode estar instalando apps que contêm softwares mal intencionados. Mas isso diz respeito ao próximo item.

4. Tenha cuidando com os apps que você instala

Esse conselho serve especialmente para quem utiliza Android. Recentemente o Google removeu mais de 50 mil aplicativos suspeitos de serem softwares maliciosos. Isso acontece, principalmente, pelo fato do Google ser flexível - e às vezes até muito transigente - com os apps que são incluidos na Google Play.

Na App Store da Apple a coisa é um pouco diferente. A Maçã verifica todos os aplicativos submetidos à loja e veta qualquer um que tenha qualquer indício de código malicioso. Embora ajude a coibir e previnir casos mais graves, isso não significa que não existam tentativas e/ou aplicativos que passam despercebidos pelo crivo da empresa.

Antes de baixar qualquer app e instalá-lo, certifique-se de ler suas recomendações e procurar por informações sobre ele na internet.

5. Prefira aplicativos oficiais

Se você estiver fazendo transações financeiras - seja no banco ou na bolsa de valores -, sempre dê preferência à aplicação destinada a isso. É melhor utilizar um aplicativo oficial, que possui todas as medidas de segurança possíveis para proteger seus dados e informações, do que se expor utilizando o navegador do seu telefone.

Todos os grandes bancos brasileiros possuem seu aplicativo oficial para iOS e Android e todos eles possuem uma camada extra de segurança para evitar falhas que exponham seus dados.

6. Controle o que os aplicativos podem acessar

Controle o que os aplicativos podem acessar

Não raramente nos deparamos com a mensagem "'Tal aplicativo' deseja acessar 'algum dado seu'" no iPhone. Certifique-se de sempre ler a mensagem por completo e ter certeza de que aquele aplicativo pode acessar aquela informação e não saia simplesmente clicando em "OK" todas as vezes. Se for para clicar em alguma coisa o tempo todo, é melhor que seja em "Não permitir". Caso isso impeça o correto funcionamento do app, é possível modificar a opção manualmente depois.

No Android a coisa é bem pior e muitas vezes os aplicativos pedem permissão para acessar dados que jamais serão utilizados. Há algum tempo o Lifehacker fez uma publicação (em inglês) ensinando as pessoas a se protegerem de aplicativos que requerem muitos acessos. Portanto, esteja atento e tenha cuidado com isso.

7. Crie o hábito de fazer backup dos seus dados

Infelizmente nós, latino-americanos, ainda não compreendemos a importância do hábito de fazer backup dos nossos dados. Ele é importante tanto para quando, acidentalmente, deixamos o smartphone cair numa piscina, como também para quando ele é roubado, ou mesmo caso você precise formatá-lo.

No iPhone é possível fazer a cópia de segurança dos arquivos localmente utilizando o iTunes ou na nuvem utilizando o iCloud. Em caso de dúvidas, é bom utilizar os dois só "para garantir". O Android, por outro lado, conta com uma ferramenta embutida que faz o backup das informações mais importantes do usuário. Caso queira manter todas as informações e arquivos em segurança, o usuário terá que recorrer a soluções de terceiros.

8. Relate o roubo do seu aparelho

Ladrão de Celular

Uma base de dados com informações de aparelhos roubados é compartilhada por todas as operadoras e, caso o ladrão tente utilizar o aparelho, será impedido imediatamente.

No Brasil, em casos de furto ou roubo, o usuário pode recorrer à central da operadora para bloquear e inutilizar o aparelho. Para fazer isso, basta possuir o IMEI do aparelho e o caso se resolve em poucos minutos.

9. Mantenha seu sistema operacional atualizado

Esse conselho é antigo e os usuários do Windows estão cansados de ouví-lo. Mesmo assim, é importante dizer: sempre tenha a última versão do sistema operacional instalada em seu aparelho.

Muitos consideram bobagem e acreditam que elas tratam apenas de questões cosméticas. Mas a verdade é que as atualizações do seu iOS ou Android contém revisões que ajudarão o seu aparelho a permanecer em segurança. Você poderá esperar alguns dias até ter certeza de que ela não afetará os seus principais aplicativos, mas nunca, jamais, deixe de instalar uma atualização do seu sistema operacional.

10. Cuidado onde usa o Wireless e o Bluetooth

Pode parecer um pouco ridículo, mas quando não estiver em casa (ou em algum lugar que conheça), desligue a sua conexão sem fios e o bluetooth do seu aparelho e dê preferência à sua conexão 3G ou 4G. Diferente da rede da sua casa, que foi montada por você com algum zelo e segurança, as conexões sem fio da maioria dos lugares públicos não oferece nem o mínimo de segurança. Conectando-se a elas, você passa a estar vulnerável e sucetível a ataques de hackers que podem estar de olho na rede. Não importa se você vai acessar o banco ou somente aquele site de fofocas: desligue a rede sem fio para evitar problemas.

Problemas envolvendo invasões via Bluetooth são mais raros, mas o número de casos tem aumentado nos últimos meses. Tal fato vem ocorrendo principalmente pela conexão dos aparelhos a dispositivos vestíveis, como os relógios inteligentes, através do recurso. Basta que um deles esteja com o Bluetooth ativo e possa ser descoberto para que os hackers tomem proveito e roubem dados no tráfego entre o dispositivo e seu telefone.

E você? Que medidas de segurança você adota para proteger o seu telefone e os seus dados armazenados nele? Compartilhe-as conosco nos comentários.