As 8 melhores histórias do Hulk para você ler no confinamento

Por Claudio Yuge | 19 de Abril de 2020 às 08h00
Marvel Comics
Tudo sobre

Marvel

Saiba tudo sobre Marvel

Ver mais

O Hulk é um daqueles personagens que nasceram com várias semelhanças com outras criações anteriores. Quando ele foi criado em maio de 1962, Stan Lee e Jack Kirby traziam elementos de aventura, ficção científica e terror, com um misto entre O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde e Frankenstein, sobre um homem que tinha criado um monstro e que era ele mesmo, em um caso de dupla personalidade. Como sabemos, o Gigante Esmeralda tornou-se muito mais complexo do que isso.

Como o momento em que vivemos exige que fiquemos no confinamento, para achatar as curvas do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Canaltech listou alguns dos melhores arcos de toda a trajetória do personagem da Marvel Comics. Estão aqui clássicos de sua criação até os dias de hoje, em passagens que reuniram alguns dos melhores autores da indústria.

Reprodução/Marvel Comics

Vale destacar que buscamos as coleções fechadas, para facilitar a compra e a leitura, mas a última recomendação, em especial, nunca ganhou um encadernado por aqui — o que é uma pena, pois ela se relaciona bastante com a versão vista em Vingadores: Ultimato, nos cinemas. Além disso, embora os links levem para as lojas maiores, fica aqui a sugestão para que você busque essas edições em sua loja local favorita (a exemplo da Comix Book Shop, em São Paulo, ou da Itiban Comic Shop, em Curitiba), para ajudar os comerciantes de sua cidade ou bairro, especialmente nesse momento de crise.

8. Coleção Histórica Marvel #12

Reprodução/Panini Comics

Aqui vemos o Hulk voltar das Guerras Secretas, em um período sombrio e mais selvagem do que nunca. Além de Peter David e Al Ewing, que atualmente toca a fase “Imortal”, o personagem teve passagens memoráveis com Roger Stern e Bill Mantlo, que é quem assina os roteiros das histórias contidas nesse encadernado.

Aqui vemos inicialmente uma versão inteligente do Hulk, que até mesmo ganhou alívio do governo dos Estados Unidos e ajuda dos Vingadores. Mas, aos poucos ele vai perdendo o controle e se tornando novamente a criatura selvagem que coloca Banner em maus lençóis. Infelizmente a Panini não republicou ainda no Brasil o período em que o Gigante Esmeralda é banido pelo Doutor Estranho para a Encruzilhada — histórias poéticas, em que o Verdão pouco falava, em um ambiente hostil e alienígena.

Mas aqui dá para ter uma noção dos principais elementos que fazem parte da mitologia do personagem, incluindo os problemas com a radiação gama e seu desencontros com os heróis da Marvel.

Você pode comprar na Amazon e Panini Comics.

7. Hulk: Cinza

Reprodução/Panini Comics

Jeph Loeb e Tim Sale promoveram na Marvel uma série de especiais com cores, para recontar histórias de origem. Assim, nasceram Homem-Aranha: Azul, Demolidor: Amarelo, Capitão América: Branco e este Hulk: Cinza.

O volume basicamente traz de volta Bruce Banner ao fatídico dia em que sua vida mudou, quando ele foi exposto à explosão da bomba gama. Mas a sensibilidade da dupla de autores oferece à narrativa outras perspectivas, que nos faz entender melhor o coração e a alma do personagem. Além disso, o especial também oferece mais protagonismo à Betty Ross, tirando-a daquela figura inicial de ser apenas a “donzela em perigo”.

Você pode comprar na Amazon e na Panini Comics ou no Comixology (versão em inglês).

6. Hulk: Futuro Imperfeito

Reprodução/Panini Comics

Em um futuro estranho, que mistura tecnologia avançada com elementos tribais, em uma clara alusão aos quadrinhos europeus de ficção científica no estilo de Moebius, essa saga mostra um vilão extremamente poderoso e cruel, chamado de Maestro. A única esperança da humanidade está em um plano que envolve viagem no tempo, em uma rebelião liderada por um velho Rick Jones.

Peter David e George Perez nos mostram uma versão do Gigante Esmeralda que nunca havia sido explorada antes. E os eventos dessa história reverberam até hoje na Marvel Comics.

Você pode comprar na Comix Book Shop ou no Comixology (versão em inglês).

5. Indestrutível Hulk

Reprodução/Panini Comics

Chegou um certo momento em que Bruce Banner começou a questionar a SHIELD: “eu sou mais inteligente do que Tony Stark e Reed Richards, por que vocês se lembram mais do monstro verde do que do cientista?”. Foi aí que ele resolveu fazer uma troca: a organização poderia usar seus atributos como Gigante Esmeralda, enquanto ela fornecesse laboratório e tecnologia para Banner realizar proezas com seu intelecto.

Em uma semana, por exemplo, Banner conseguiu acabar com a seca na África. Mas, obviamente, nem tudo dá certo como deveria. Aqui vemos uma faceta mais fria e meticulosa da contraparte humana e histórias pra lá de divertidas com o Hulk, que, para ser controlado pela SHIELD, sempre tem um robozinho chato do lado — que é, claro, destruído inúmeras vezes.

Você pode comprar na Amazon e na Panini Comics ou no Comixology (versão em inglês).

4. Planeta Hulk

Reprodução/Panini Comics

Uma das fases recentes mais lembradas, o arco mostra o grupo Illuminati, formado por Professor X, Doutor Estranho, Senhor Fantástico, Namor, Homem de Ferro e Raio Negro de saco cheio das destruições causadas pelo monstro verde. Eis que eles têm a brilhante ideia de banir a criatura da Terra, enviando-o para um local onde, teoricamente, não ameaçaria ninguém.

Eis que o Hulk derruba a nave antes do previsto e ele vai parar no planeta Sakaar, onde é vendido como escravo e luta como gladiador. Lá ele faz amizade com alienígenas como Miek, Korg, Hiroim, Elloe, Skee e um dos bichos da Ninhada. Não demora para que o Gigante Esmeralda se torne o líder de uma rebelião contra um ditador impiedoso, com participação do Surfista Prateado.

A aventura tem desenhos incríveis de Carlo Pagulayan e faz homenagens ao quadrinho europeu sci-fi. Muita gente vai notar que há muitas semelhanças com o que vimos no filme Thor: Ragnarok, pois vários dos elementos desse arco foram adaptados para o longa.

Você pode comprar na Amazon e na Panini Comics ou no Comixology (versão em inglês).

3. Hulk Contra o Mundo

Reprodução/Panini Comics

Essa trama tem ligação direta com Planeta Hulk. Para não estragar surpresas para quem não leu, podemos dizer que algo dá muito errado quando o Verdão finalmente está feliz, em um momento raro de paz. Ele até mesmo tem amigos e uma família em Sakaar. Só que tudo isso termina de uma forma terrível, o que o motiva a voltar para a Terra e se vingar daqueles que o colocaram nessa posição: os Illuminati.

Hulk recruta sua turminha barra pesada cósmica em uma de suas versões mais poderosas já vista em toda sua trajetória — conhecida, não à toa, como “Quebra Mundos”. Ele simplesmente bota na roda os principais grupos de heróis da Marvel, detonando os Inumanos, os X-Men, os Vingadores, o Quarteto Fantástico e qualquer um que tentasse detê-lo. Imperdível.

Você pode comprar na Amazon e na Panini Comics ou no Comixology (versão em inglês).

2. O Imortal Hulk

Reprodução/Panini Comics

Essa é a elogiada fase atual do roteirista britânico Al Ewing e do ilustrador brasileiro Joe Bennet. Depois que Banner é dado como morto na continuação de Guerra Civil, ele volta ainda mais sinistro, perturbado e… imortal.

Os autores resgatam as raízes monstruosas do personagem, em tramas de terror, que celebram aquele período em que Banner acordava cada dia em um lugar, sem saber onde estava, sempre em fuga. Ao longo das edições, vemos a trama escalar para o horror cósmico e para arcos que mexem com a fundação da própria história do Universo Marvel.

Você pode comprar na Amazon e na Panini Comics ou no Comixology (versão em inglês).

1. Professor Hulk

Reprodução/Panini Comics

Essa foi a fase noventista em que o Doutor Samson finalmente conseguiu unir o intelecto de Banner com o poder do Hulk em uma versão estável. Obviamente que ele não tem a sutileza de sua versão humana e nem mesmo toda força de sua contraparte mais selvagem, mas essa época foi marcada por aventuras muito divertidas, que envolvem o Universo Marvel enxergando o Verdão de uma outra forma.

Os roteiros espertos de Peter David e os desenhos de Gary Frank (assim como os de Dale Keown), que ainda não estavam tão maduros quanto os que vimos recentemente em Relógio do Juízo Final, são incríveis e moldaram uma era. Infelizmente, esse período — não me pergunte o porquê — não tem assim uma coletânea fechada. Então, é preciso ler de forma fasciculada, seja de exemplares antigos na época do formatinho brasileiro ou na web.

Você pode comprar no Comixology (versão em inglês).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.