Os melhores celulares até R$ 3.000 para comprar na Black Friday

Os melhores celulares até R$ 3.000 para comprar na Black Friday

Por Felipe Junqueira | Editado por Léo Müller | 09 de Novembro de 2021 às 17h35
Rafael Damini/Canaltech

O preço de um smartphone topo de linha assusta no lançamento, mas após alguns meses uma boa parte deles apresenta redução no valor cobrado e começa a valer muito a pena. E como esses aparelhos são desenvolvidos para durar muito tempo em alto desempenho, pode valer muito a pena comprar mesmo depois de mais de um ano. E é pensando nisso que o Canaltech separou esta lista com os melhores celulares até R$ 3.000.

Todos os modelos aqui listados vão entregar experiência excelente em todos os quesitos: alta potência, tela incrível, câmeras ótimas e até mesmo a duração de bateria para, no mínimo, um dia de uso normal. São celulares para trabalhar, jogar, ver filmes e tirar fotos por muitos anos.

Esta é uma lista que traz exclusivamente modelos com o 5G. Afinal, se você vai fazer um investimento tão alto no final de 2021, já é bom estar pronto para o salto tecnológico que a nova geração da banda larga móvel oferece. Além dos links para encontrar o melhor preço atual para cada modelo, você também pode seguir o Canaltech Ofertas para não perder nenhuma promoção.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Alerta: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços estão sujeitos à mudança sem aviso. Os produtos exibidos aqui são selecionados pela nossa equipe, logo, se você comprar algo, o Canaltech talvez receba alguma comissão de venda.

Xiaomi Mi 10T 5G: excelente custo-benefício

Para quem quer um topo de linha e não prioriza tela

A versão de "meia-geração" da linha premium da Xiaomi em 2020 tem tudo o que você pode esperar de um celular topo de linha, com alguns cortes justificados para entregar preço mais baixo que a concorrência. O celular tem processador poderoso com suporte ao 5G, câmera de alta resolução e sistema de som estéreo, mas tem tela LCD, tecnologia mais em conta do que a OLED, considerada superior por ser mais fina e brilhante (principalmente).

O Xiaomi Mi 10T 5G tem tela IPS LCD de 6,67 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), além de taxa de atualização de 144 Hz e suporte ao HDR10+ para um contraste ainda melhor. A plataforma é topo de linha, um chipset Snapdragon 865, que tem processador de oito núcleos com velocidade máxima de 2,84 GHz. Este modelo tem opções de 6 GB e 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno.

Na parte traseira, ele tem um conjunto com três câmeras, sendo a principal de 64 MP, uma ultra-wide de 13 MP e uma macro de 5 MP, enquanto as selfies ficam a cargo de um sensor de 20 MP. Por fim, o dispositivo tem 5.000 mAh de capacidade de bateria, que suporta o carregamento de até 33 W.

Este modelo foi lançado oficialmente no Brasil na opção de 6 GB de memória RAM e está à venda no site da marca por R$ 6.200. Mas você encontra com importadores que vendem via marketplace em grandes varejistas por cerca de R$ 2.800, apesar de ter promoções ocasionais que o deixam ainda mais em conta. Porém, lembre-se: tratam-se de unidades importadas que têm apenas a garantia de 90 dias do lojista.

Xiaomi 11 Lite 5G NE: poder de sobra em um corpo compacto

Para quem busca um celular fino, leve e poderoso

Xiaomi 11 Lite 5G NE (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

"Mais leve do que uma Maçã", o Xiaomi 11 Lite 5G NE tem apenas 158 gramas e tem no seu pouco peso a característica mais marcante. Mas, claro, é um celular que vai bem além disso, com processador intermediário premium com suporte ao 5G, tela OLED brilhante, bom conjunto de câmeras e mais de 4.000 mAh de bateria, pesar de trazer espessura de apenas 6,8 mm. E ainda traz certificação IP53, que previne contra a entrada de poeira em nível que poderia afetar o funcionamento e respingos d'água.

Este celular intermediário da Xiaomi tem tela AMOLED de 6,55 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), suporte ao HDR10+ para contraste ainda mais marcante e taxa de atualização de 90 Hz. A plataforma Snapdragon 778G em seu interior inclui processador de oito núcleos com velocidade de até 2,4 GHz, e o aparelho tem opções de 6 GB de RAM com 128 GB de armazenamento ou 8 GB de RAM com 128 GB ou 256 GB de espaço interno.

O conjunto de câmeras na parte traseira é triplo, com uma principal de 64 MP, uma ultra-wide de 8 MP e uma "telemacro" de 5 MP que chega muito perto dos objetos de maneira bem fácil. A câmera frontal do Xiaomi 11 Lite NE tem 20 MP. Já a bateria é de 4.250 mAh, que pode não parecer muito para os padrões atuais, mas é uma capacidade impressionante para um celular tão fino. O suporte à recarga rápida é de 33 W.

Este modelo também foi lançado oficialmente no Brasil, e custa no site da Xiaomi R$ 4.000. Porém já dá para encontrar na faixa de R$ 3.000 junto a importadores que vendem via marketplace, e a tendência é que este valor caia mais um pouco nas próximas semanas. E fica aquele lembrete de sempre: ao comprar com importadores, você só tem os 90 dias de garantia do lojista (quando tem).

Motorola Edge 20: fino, leve e com ótimas especificações

Indicado para quem quer celular compacto, poderoso e pronto para o 5G

Um pouco menos leve e espesso, o Motorola Edge 20 é quase uma versão da empresa americana para o Xiaomi 11 Lite NE 5G — porém, é bom lembrar que foi lançado antes. O celular tem 163 gramas e 7 mm, ou seja, pesa apenas 5 gramas a mais e é somente 0,2 mm mais gordinho. E traz a mesma plataforma Snapdragon 778G e também possui tela OLED. Mas há outra desvantagem: a bateria é um pouco menor, mesmo que não seja mais fino.

As especificações completas incluem tela OLED de 6,7 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), HDR10+ e taxa de atualização de 144 Hz. O já mencionado chipset Snapdragon 778G inclui processador de oito núcleos com velocidade de até 2,4 GHz, e o Motorola Edge 20 ainda tem 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno.

O conjunto de câmeras tem resolução superior ao Xiaomi 11 Lite NE 5G, com 108 MP na principal, 16 MP na ultra-wide, que também faz fotos macro, e 8 MP de teleobjetiva com aproximação óptica de 3x. A câmera frontal tem 32 MP, e completa todos os quatro sensores com mais pixels que o rival chinês. Já a bateria tem 4.000 mAh e suporta recarga de até 30 W.

Você já encontra o Motorola Edge 20 abaixo dos R$ 3.000 atualmente, e com garantia de 12 meses junto à fabricante. Assim, ele é considerado um dos melhores celulares até R$ 3.000 para comprar na Black Friday, incluindo ofertas antes e depois do evento em si.

Motorola Moto G100: o Moto G topo de linha

Indicado para quem busca um celular com recursos avançados

Também há uma alternativa da Motorola para o Mi 10T. O Motorola Moto G100 é um pouco mais avançado que o seu concorrente, pois traz alguns recursos extras além de plataforma atualizada. O Snapdragon 870 é uma versão levemente melhorada do Snapdragon 865 que também possui suporte ao 5G. Além disso, o celular da empresa de origem americana traz um recurso que o transforma em um computador, um videogame, ou até uma espécie de TV box.

As especificações do Moto G100 incluem tela IPS LCD de 6,7 polegadas com resolução Full HD (1080 x 2520 pixels), com taxa de atualização de 90 Hz e suporte ao HDR10+. O Snapdragon 870 tem processador de oito núcleos que podem atingir a velocidade máxima de 3,2 GHz, e a Motorola ainda caprichou na quantidade de memória de seu aparelho, com 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento.

O conjunto de câmeras é triplo, com principal de 108 MP e uma híbrida supergrande-angular e macro que faz fotos bem legais, além de um sensor de profundidade. Na frente, o conjunto duplo conta com a principal de 16 MP e uma ultra-wide de 8 MP. Este celular ainda tem 5.000 mAh de bateria com carregamento de 20 W.

O smartphone da Motorola pode ser encontrado por pouco menos de R$ 3.000 atualmente, mas já chegou a custar perto dos R$ 2.600 entre os meses de agosto e setembro. Esse patamar pode voltar a qualquer momento, mas mesmo no valor atual já é uma opção muito interessante.

Samsung Galaxy Note 20: S-Pen faz a diferença

Para quem busca um bom celular para aumentar a produtividade

O Samsung Galaxy Note 20 já está no mercado há mais de um ano, mas não é difícil encontrá-lo à venda. Por se tratar de um celular topo de linha quando de seu lançamento, ainda podemos considerá-lo uma opção excelente mesmo depois de tanto tempo. E o melhor: com preço consideravelmente mais baixo do que na época em que chegou ao Brasil.

O dispositivo conta com tela Super AMOLED Plus de 6,7 polegadas e usa resolução Full HD (1080 x 2400 pixels), além de suporte ao HDR10+. Ele fica devendo a taxa de atualização aumentada, apenas. A plataforma Exynos 990 tem processador de oito núcleos e chega a até 2,73 GHz e, apesar de desagradar alguns fãs da Samsung, é um excelente chipset. A quantidade de memória do modelo nacional é de 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento (sem opção de ampliar com cartões externos).

O conjunto fotográfico tem uma câmera principal de 12 MP, uma teleobjetiva de 64 MP com zoom híbrido de 3x, e uma ultra-wide de 12 MP, ao passo que a frontal é de 10 MP. A capacidade de bateria é de 4.300 mAh com suporte à recarga de até 25 W com fio, e sem fio de 15 W, além da sem fio reversa de 4,5 W. O Galaxy Note 20 ainda tem certificação IP68, modo desktop e vem com a S-Pen, caneta da Samsung para desenhar e realizar tarefas com maior precisão.

Atualmente, o aparelho está um pouco acima da faixa de preço recomendada pela lista, mas houve um aumento nas últimas semanas que possivelmente se reverterá em nova queda em breve. Ele chegou a ficar menos de R$ 3.000 no final de outubro, uma indicação de que voltará a este patamar durante a Black Friday.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.