Saiba o que é RPG e quais são os jogos mais populares

Saiba o que é RPG e quais são os jogos mais populares

Por Felipe Goldenboy | Editado por Guadalupe Carniel | 13 de Agosto de 2019 às 15h20
TSR Hobbies, Inc.

O gênero RPG é um dos mais populares do mercado de games, e conta com muitos fãs espalhados pelo mundo. Esse tipo de jogo surgiu primeiro nos tabuleiros, em que as pessoas se reuniam em volta de uma mesa para jogarem juntas, mas foi levado também aos videogames, se transformando e ganhando outras nuances únicas.

A seguir, o Canaltech explica o que é um RPG, as principais características, como eles surgiram e quais são os jogos mais populares.

O que é RPG?

Dados usados para jogar RPG de mesa (Foto: Lucas Santos/Unsplash)

A sigla RPG significa “Role Playing Game” (em tradução livre, jogo de interpretação de papéis). Ou seja, um RPG é um jogo em que as pessoas interpretam seus personagens e criam narrativas que giram em torno de um enredo. No caso de um RPG de mesa, cada uma dessas histórias é criada por uma pessoa que leva o nome de “mestre do jogo”.

Para que a partida de um jogo de RPG comece, você deve primeiro escolher todas as características de seu personagem, como raça, classe, aparência, idade e também atribuir-lhe algumas virtudes. É essencial que um personagem de RPG seja forte, inteligente e hábil, a fim de superar possíveis obstáculos contidos na história em que ele está inserido.

Quando esses traços são definidos, o mestre do jogo começa a narrar a história para os participantes, que interpretarão seus personagens fielmente durante o desenrolar da trama. Os jogos de RPG permitem exercitar a criatividade de várias maneiras, e o mestre tem total autonomia para inserir elementos que tiverem sido criados por ele ao longo do jogo.

O sucesso alcançado pelos RPGs permitiu que sua criação ocorresse também na esfera digital. Assim, os adeptos puderam sair da esfera do real e conectar-se a jogos de computador e de videogame.

Qual é a história dos RPGs? De onde surgiram?

Criado por Gary Gygax e Dave Arneson, Dungeons & Dragons é considerado o primeiro RPG do mercado (Foto: Divulgação/Wizards of the Coast)

É difícil cravar uma data específica para o nascimento dos RPGs. No entanto, o primeiro RPG moderno, de mesa e comercializado ao público foi Dungeons & Dragons, de 1974. O game, criado pelos estudantes de história Gary Gygax e Dave Arneson, influencia muitas das regras e convenções dos RPGs atuais, como as mecânicas de classe, habilidades, raça, experiência, pontos de vida e experiência, etc.

Com a popularidade de Dungeons & Dragons, outros RPGs de mesa foram surgindo ao longo dos anos, como Tunnels And Trolls (o segundo RPG do mercado), Traveler (cuja história era de ficção científica) e Runequest (que trouxe um sistema de simulação de combate mais realista, tornando possível que personagens poderosos fossem mortos por personagens mais fracos graças a uma jogada de dados mais sortuda).

Já no campo eletrônico, os primeiros RPGs de computador apareceram em 1975. Eles não eram feitos para computadores pessoais, mas sim para mainframes de universidades (computadores usados para processar dados em larga escala), e eram inspirados no Dungeons & Dragons de mesa. Os primeiros foram Dungeon e D&D, para PDP-10 e Unix. Para computadores pessoais, os primeiros foram Akalabeth (que deu início a série Ultima) e Wizardry, para o Apple II.

Os principais jogos de RPG nos videogames

7. Chrono Trigger

Quem é fã de RPG deve conhecer Chrono Trigger, lançado em 1995 pela Square Enix. O game juntou uma equipe dos sonhos na produção: os responsáveis pelas séries Final Fantasy e Dragon Quest, além de Akira Toriyama, criador de Dragon Ball.

O enredo narra as aventuras de Chrono, um espadachim que se junta a amigos e começa a viajar pelo tempo para impedir o fim de mundo pelas mãos de Lavos, um ser extraterrestre que está escondido no núcleo do planeta desde a pré-história.

6. Breath of Fire

Este RPG, da Capcom, tem diferentes histórias em cada um de seus títulos, mas sempre com os mesmos protagonistas: Ryu, um garoto que pode se transformar em um dragão, e Nina, uma princesa fada. As tramas costumam girar em torno de guerras entre reinos, e os cenários são sempre repletos de cenários que lembram a Idade Média, mas com uma tecnologia mais avançada.

Até o momento, a franquia tem seis lançamentos na série principal e quatro spin-offs lançados para celulares. O primeiro jogo saiu em 1993; o mais recente, em 2002. 

5. Baldur’s Gate 2: Shadows of Amn

Sucesso dos anos 2000, Baldur’s Gate 2 lembra muito o clássico Dungeons & Dragons. A história se passa nos Reinos Esquecidos — ou Forgotten Realms, no original — e segue as viagens do personagem principal por eles. É possível utilizar feitiços, magias e itens que o jogador tenha conseguido ao longo das aventuras nos Reinos.

Tanto o enredo quanto os cenários do jogo são consideravelmente imersivos, o que faz com que seus adeptos o tenham como um clássico do RPG. Ele foi desenvolvido pela BioWare e publicado pela Interplay Entertainment, em 1998.

4. World of Warcraft

Conhecido até mesmo por pessoas que não jogam RPG, World of Warcraft, da Blizzard Entertainment, não poderia ser esquecido nessa lista. O game se passa no mundo de Azeroth e conta com diversas raças e classes, que se dividem entre defensores implacáveis da Aliança ou guardiões da Horda, que assumem seu lado em uma guerra enfrentada por todos.

Foi esse game que consolidou, em 2004, um subgênero dos jogos de RPG: os MMORPG (“Massively Multiplayer Online”, que, em tradução livre, quer dizer Multiplayer Massivo Online), em que você joga com centenas de pessoa ao mesmo tempo pela internet.

3. The Elder Scrolls V: Skyrim

A franquia The Elder Scrolls, da Bethesda, tem vários jogos excelentes, mas nenhum chega aos pés de Skyrim. O game, de 2011, rapidamente se tornou um clássico quando falamos de RPG em mundo aberto de fantasia graças à sua história, gameplay e cenários incríveis, que contemplam montanhas, cidades, campos, masmorras e muito mais.

O jogador cria seu personagem do zero e escolhe entre armas, feitiços e habilidades. É você quem decide como quer jogar e se preparar para batalhas contra inimigos, incluindo dragões.

2. The Witcher 3: Wild Hunt

Nossa indicação de RPG mais recente é The Witcher 3: Wild Hunt, lançado em 2015 pela CD Projekt Red e eleito o jogo do ano no The Game Awards. É o terceiro e melhor título da franquia, que também ganhou uma adaptação como seriado na Netflix. Na história, o bruxo Geralt de Rívia está em busca de Ciri, uma jovem poderosa que está sendo perseguida pela Caçada Selvagem. 

Geralt encontra inúmeros outros bruxos, humanos e monstros: o mundo aberto do game é repleto de histórias a serem contadas, que levam o jogador para diferentes caminhos dependendo das escolhas feitas. Vale a pena gastar horas nas missões secundárias, que revelam ainda mais camadas deste universo. 

1. Final Fantasy

Os games da franquia Final Fantasy, da Square Enix, giram em torno de um estado constante de rebelião, onde os heróis precisam, a todo custo, derrotar o mal. Cada jogo é único, sempre com novos personagens, histórias e mecânicas de gameplay. Também há sempre conflitos internos vividos pelos personagens, o que adiciona ainda mais emoção às tramas, como paixões, raiva, tragédias, etc.

O primeiro jogo foi lançado em 1987, e há um 16º em produção, com previsão de lançamento em 2022.

*Com contribuição de Ariane Velasco

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.