10 estúdios brasileiros que você precisa conhecer

10 estúdios brasileiros que você precisa conhecer

Por Lucas Arraz | Editado por Bruna Penilhas | 15 de Abril de 2022 às 17h30
Montagem/Max Pixel/Humble Games/Soedesco

Tendência no mundo todo, a indústria de videogames também é uma potência em crescimento dentro do Brasil. O nosso país lidera a receita no setor entre os países da América Latina e aparece na 12º colocação no ranking mundial. Com um mercado cada vez mais aquecido por aqui, o ambiente tornou-se favorável também para que equipes brasileiras ganhem destaque no mercado internacional.

Somente no último ano, jogos como Dodgeball Academia e Unsighted furaram a bolha do mercado nacional e conquistaram público no mundo todo. Os dois títulos foram lançados diretamente no catálogo do Xbox Game Pass, em uma parceria da Microsoft com a publicadora Humble Games.

O RPG Unsighted, em específico, teve indicação cotada para o prêmio de jogo do ano no The Game Awards 2021 e figurou na lista de melhores do ano de grandes publicações, como a japonesa Kotaku.

O bom ano de 2021 para o mercado de games brasileiro não deve ser uma situação isolada, ganhando novos capítulos em 2022. Para o jogador não perder nenhuma novidade das principais aventuras desenvolvidas por aqui, o Canaltech listou 10 estúdios de games do Brasil que você precisa conhecer.

10. Big Green Pillow

Estúdio paulista trabalhou em jogo para Apple Arcade (Imagem: Divulgação/Big Green Pillow)

Completando 10 anos em 2022, a Big Green Pillow é um pequeno estúdio sediado em Bauru, em São Paulo, que superou barreiras geográficas com muita criatividade. Com ideias extraídas de sessões rápidas de desenvolvimento, conhecidas como game jams, essa equipe criou um conceito único de jogabilidade que foi vendido como exclusivo do serviço Apple Arcade.

As equipes da Big Green Pillow e da Mother Gaia (Legend of the Skyfish) lançaram Slash Quest para dispositivos iOS. Nesse jogo, uma espada falante controla uma heroína e a guia para voltar de uma terra perdida.

9. Rogue Snail

Estúdio brasileiro terá jogo lançado pela Netflix Games (Imagem: Divulgação/Rogue Snail)

Rogue Snail é um estúdio brasileiro que adotou o regime de trabalho totalmente remoto. Com a ação, a equipe atraiu funcionários de todo o mundo para produzir a série de jogos de ação e cooperativos Relic Hunters, incluindo o ex-BBB Pedro Falcão, atual designer narrativo do estúdio.

O universo criado pela Rogue Snail vai ganhar um novo capítulo em breve. Relic Hunters Rebels é descrito como um jogo de tiro ágil, com mecânicas de RPG e de caça a itens. O título estreia diretamente no catálogo de jogos da Netflix.

8. Long Hat House

Criado por uma dupla de cientistas da computação de Belo Horizonte em 2014, o estúdio Long Hat House é responsável por jogos inventivos como Magenta Arcade e o sucesso Dandara.

O estúdio descreve-se como uma desenvolvedora que gosta de misturar o mundo da programação com música e narrativas sociológicas mais obscuras, construindo experiências únicas e diferentes.

7. Mad Mimic

Empresa de São Paulo trabalhou em jogo que adaptou obra de Mauricio de Sousa (Imagem: Divulgação/Mad Mimic)

A Mad Mimic começou grande. Os primeiros jogos dessa equipe de São Paulo foram a adaptação dos quadrinhos de Mauricio de Sousa em Mônica e a Guarda dos Coelhos e No Heroes Here.

Após a boa recepção dos lançamentos, a produtora reuniu diversos influenciadores para a dublagem de Dandy Ace, um roguelike no estilo de Hades em que o jogador controla um mago que precisa combinar dezenas de cartas para desbloquear habilidades.

6. Dumativa Game Studio

Dumativa cria jogos ao lado dos youtubers Irmãos Castro e Cellbit (Imagem: Divulgação/Dumativa)

Unindo forças com os Irmãos Castro, a Dumativa Game Studio lançou um verdadeiro hit. A Lenda do Herói é um jogo para PC com músicas dinâmicas, que respondem aos comandos do jogador. O projeto possui faixas cômicas nas vozes de Marcos e Matheus Castro, além de cantores, como o vocalista da banda Molejo.

Para a próxima empreitada, o estúdio juntou-se a Rafael Lange (Cellbit) para criação de Ordem Paranormal, um jogo de exploração, enigmas e sobrevivência, baseado no universo de RPG criado pelo youtuber. O jogo arrecadou um total de R$ 4,2 milhões para a produção em uma campanha de financiamento coletivo histórica.

5. Pulsatrix

Desenvolvedora recebeu apoio da Epic Games para completar jogo brasileiro de terror (Imagem: Divulgação/Pulsatrix)

A Pulsatrix Studios é um estúdio paulista fundado em 2018 com a proposta de elevar o padrão dos jogos produzidos no Brasil. O principal projeto em desenvolvimento pela equipe é Fobia – St. Dinfna Hotel, um thriller de terror e ficção científica em primeira pessoa que tem foco na exploração de ambiente, resolução de puzzles e sobrevivência.

O jogo recebeu investimento da Epic Games. O game brasileiro de terror fará parte do programa Epic MegaGrant e o incentivo será destinado para a continuidade do desenvolvimento.

Fobia recebeu o prêmio de Melhor Visual de Jogos na SBGames 2020. Desde o lançamento da demo, em agosto de 2020, o título foi incluído na "listas de desejos" de mais de 10 mil usuários do Steam.

4. PixelHive

PixelHive é um pequeno estúdio de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, formado por veteranos da indústria dos videogames. Motivado em criar uma aventura nostálgica que honrasse os jogos de plataforma da década de 1990, o estúdio trabalhou em Kaze and the Wild Masks.

O jogo é um tributo a Donkey Kong Country 2 e é carregado de nostalgia, respeito, admiração e homenagem a memória afetiva da equipe. Kaze and the Wild Masks foi publicado internacionalmente pela publicadora Soedesco.

3. Pixel Punk

Pixel Punk marca primeiro trabalho de desenvolvedoras transexuais no mercado brasileiro de jogos (Imagem: Divulgação/Pixel Punk)

Studio Pixel Punk é uma desenvolvedora brasileira fundada em 2017 por Fernanda Dias e Tiani Pixel. A dupla foi responsável pela criação de Unsighted, um RPG inspirado em franquias como Nier e aclamado pela crítica especializada de todo o mundo.

Tiani Pixel e Fernanda Dias foram as primeiras mulheres transexuais a criarem um jogo no Brasil, bandeira defendida pelo estúdio dentro e fora de suas criações.

2. Flux Games

Sediado na capital de São Paulo, o estúdio Flux Games ganhou uma competição entre desenvolvedoras do mundo inteiro, interessadas em transformar o universo de Karatê Kid em um jogo.

Com os direitos da série Cobra Kai na mão, a equipe brasileira lançou, em 2020, Cobra Kai: The Karate Kid Saga Continues. O jogo do gênero beat 'em up conta com a dublagem de atores da franquia e ainda uma história original desenvolvida exclusivamente para os videogames. O estúdio também é responsável por GUTS, um jogo de luta ultra-violento e bem-humorado que é inspirado nos filmes de Quentin Tarantino.

1. Aquiris

Aquiris é a mais nova parceira da Epic Games (Imagem: Divulgação/Aquiris)

A porto-alegrense Aquiris é um dos maiores estúdios do Brasil e desenvolvedora de grandes sucessos, como o exclusivo de Apple Arcade Wonderbox e também Horizon Chase, jogo de corrida inspirado em clássicos do gênero, a exemplo de Top Gear e Rush.

A Aquiris é conhecida por grandes parcerias que faz dentro do mercado de games brasileiro. O estúdio levou o construtor de mapas Wonderbox para dispositivos iOS, trabalhou como compositor de Top Gear, Barry Leitch, para Horizon Chase, além de adaptar a carreira de Ayrton Senna na expansão Senna Sempre do jogo de corrida.

O "casamento" mais recente do estúdio é com a gigante dos jogos Epic Games, de Fortnite. Em comunicado oficial, a Aquiris confirmou o que chamou de “parceria estratégica” e investimento que ajudará a moldar a história do estúdio nos próximos 15 anos. A equipe brasileira deve trabalhar em jogos multiplataforma ainda não anunciados pela Epic.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.