Crew-1: NASA e SpaceX lançam 4 astronautas à ISS com sucesso neste domingo (15)

Por Patrícia Gnipper | 15 de Novembro de 2020 às 17h00
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Neste domingo (15), aconteceu o lançamento da missão Crew-1, a primeira verdadeiramente operacional fruto da parceria entre a NASA e a SpaceX. Juntas, elas levam quatro astronautas à Estação Espacial Internacional (ISS), onde se juntarão aos tripulantes da Expedição 64 e, lá, viverão por seis meses — período no qual realizarão muitos experimentos científicos importantes para o futuro da exploração espacial humana.

Uma curiosidade aqui é que a ISS estará superlotada, já que ela tem somente seis dormitórios e, com a chegada da Crew-1, abrigará sete pessoas pela primeira vez. Por isso, um dos recém-chegados deverá, provavelmente, dormir na espaçonave Crew Dragon, apelidada de Resilience (que significa "resiliência").

O lançamento, propriamente dito, só aconteceria depois das 21h (horário de Brasília), mas, desde as 17h15, a NASA já iniciou sua transmissão ao vivo, mostrando todos os momentos dos bastidores, incluindo aqueles em que o foguete Falcon 9 começa a ser acionado, bem como quando os astronautas se preparam para entrar na nave, até o grand finale que é o instante em que o veículo inicia seu voo.

Nesta matéria, você confere, em texto e com imagens, tudo de mais importante que aconteceu em mais um dia histórico para a exploração espacial.

Prontamente às 17h15, a NASA iniciou sua live, já mostrando o foguete Falcon 9 com a Crew Dragon no topo, devidamente posicionados no Kennedy Space Center, Flórida.

No início dos preparativos finais, havia 50% de chance de que um mau tempo impedisse o lançamento — mas a NASA estava bastante otimista de que o tempo abriria e que tudo daria certo. Se o pior acontecesse, haveria uma próxima janela de lançamento apenas para a quarta-feira (18).

17h30 foi quando começaram os preparativos dos astronautas, com as equipes da NASA e da SpaceX os auxiliando a vestirem os trajes espaciais, que foram desenvolvidos pela empresa de Elon Musk.

Na imagem acima, vemos Mike Hopkins, astronauta da NASA que é o comandante da missão Crew-1. Selecionado como astronauta pela agência espacial em 2009, ele já esteve por 166 dias no espaço como membro das Expedições 37 e 38, realizando duas caminhadas espaciais, num total de 12 horas e 58 minutos do lado de fora da ISS.

A seu lado no voo, estão também o piloto Victor Glover e a especialista da missão Shannon Walker, também da NASA, junto a Soichi Noguchi, da agência espacial japonesa JAXA.

Testes feitos hoje mesmo com o foguete Falcon 9 foram bem sucedidos, e a SpaceX informou que nenhum problema foi detectado, liberando o lançamento para acontecer — isto é, caso o tempo também colaborasse, claro.

Aqui, vemos um dos três veículos da Tesla, montadora de Musk, que transportaram os astronautas à plataforma de lançamento.

Jim Bridenstine, administrador da NASA, conversou com o quarteto antes que eles partam para a plataforma de lançamento, dando instruções finais e batendo um papo amigável. Ele aproveitou o momento para tirar a já tradicional selfie com a tripulação.

Hora de partir (e do tchauzinho!).

O cantor de música country Travis Tritt fez uma performance cantando o hino nacional dos Estados Unidos — tradição antes de qualquer lançamento espacial tripulado.

Às 18h10, os quatro astronautas se despediram de seus amigos e familiares, que ficaram a uma distância segura para respeitar as medidas de proteção em tempos de COVID-19.

Os veículos então começaram a transportar os astronautas do prédio central para a plataforma de lançamento no Kennedy Space Center, trajeto que leva mais ou menos 20 minutos para ser percorrido. Esta plataforma (a 39A) é a mesma que foi usada no programa Apollo, que levou os primeiros humanos à superfície da Lua no final dos anos 1960.

O comboio contou com muita segurança, com a estrada tendo sido interditada previamente, impedindo, assim, a intromissão de pessoas que não façam parte da operação da NASA e da SpaceX.

Ainda havia nuvens na região, mas já parecia que o tempo teria condições para que o lançamento acontecesse.

Mike e Shannon entrando no elevador que os levaria à ponte de acesso à Crew Dragon.

Ali no cantinho, há um telefone pelo qual os astronautas podem telefonar a seus parentes para dar mais um adeus antes que partam para a ISS.

Acima, você vê o corredor do braço robótico que interliga a plataforma de lançamento à espaçonave. Não é cena de Star Trek nem de 2001: Uma Odisseia no Espaço — é o mundo real!

Chegou então a hora de assinar seus nomes na mesma parede que os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley autografaram antes de sua missão de testes chamada Demo-2, que aconteceu no final de maio deste ano — a primeira em que a SpaceX levou astronautas ao espaço.

O sucesso daquela missão permitiu que a Crew-1 acontecesse, marcando o fim da parceria dos Estados Unidos com a Rússia no transporte de astronautas à ISS. A NASA comprava assentos nas naves russas Soyuz desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais, para garantir que a ISS sempre tivesse norte-americanos a bordo. Agora, a SpaceX fica responsável por esse transporte e, em breve a Boeing também entra na jogada, com sua nave chamada Starliner.

18h50 marcou o horário em que os quatro astronautas da Crew-1 sentaram cada um em seus assentos previamente definidos, para que a equipe da SpaceX fizesse os ajustes necessários em cada um deles, garantindo um voo seguro. Hora de, literalmente, apertar os cintos!

A Crew Dragon é toda controlada por meio de painéis sensíveis ao toque. Na verdade, a nave conta com condução autônoma, mas os astronautas podem tomar o controle caso seja necessário.

Às 19h, aconteceram os testes de comunicação entre a nave e o controle da missão em Terra. Cinco minutos depois, os testes foram completados, com todos os sistemas de comunicação funcionando devidamente.

Acima, vemos uma réplica em tamanho real da Crew Dragon, com as apresentadoras da live da NASA explicando como a nave funciona com seus sistemas de condução autônoma e propulsores que são acionados em momentos específicos, a fim de ajustar a direção da espaçonave para que ela seja automaticamente acoplada à ISS quando chegar lá. A chegada está prevista para a 1h da madrugada de terça-feira (17).

19h20 no Brasil, mas ainda 17h20 na Flórida. O céu do fim da tarde embelezava o cenário da plataforma de lançamento, onde vemos o foguete Falcon 9 e a nave Crew Dragon no topo. 

Chega a hora de fechar a escotilha da Crew Dragon! Mas esse não é um procedimento tão simples e banal como fechar a porta de um carro, por exemplo. Muitas checagens são realizadas para garantir que nenhum vazamento aconteça, garantindo, assim, a segurança necessária para um lançamento de sucesso.

"Algo de errado não está certo" e a equipe da SpaceX decidiu reabrir a escotilha para então fechá-la novamente, pois não ficaram confiantes de que o primeiro fechamento realmente impediria qualquer vazamento. Na imagem acima, vemos a escotilha aberta com os astronautas atentos, observando a ação. Se os técnicos não conseguissem resolver o problema, infelizmente o lançamento precisaria ser cancelado e remarcado para outro dia. Mas ainda havia tempo para que os especialistas da SpaceX contornem a situação.

Às 19h45, a escotilha foi fechada mais uma vez. Momentos de tensão e ansiedade enquanto a equipe da SpaceX realizava, novamente, as verificações de vazamento na Crew Dragon. 

Enquanto isso, um alívio: a NASA informou que o tempo continuava colaborando para que a agência desse o desejado "go", permitindo o lançamento.

Às 20h, os técnicos da SpaceX deram a boa notícia que todos aguardavam: a segunda checagem de vazamento, após o novo fechamento da escotilha da Crew Dragon, mostrou que agora tudo estava dentro dos parâmetros considerados seguros. Ou seja: um problema a menos. Ufa!

Bob Behnken e Doug Hurley, os astronautas que inauguraram a Crew Dragon na missão Demo-2, permaneceram na ISS por dois meses, apenas, uma vez que seu objetivo era servir como uma tripulação de testes, provando que a SpaceX estava mesmo preparada para se encarregar desse transporte periódico de astronautas da NASA para a ISS.

Eles também assistiram à live da NASA com os preparativos para o lançamento da Crew-1, e compartilham suas impressões e experiências, dizendo que "é indescritível ser parte desse tipo de evento; estamos animados para ver o que vai acontecer".

Cai a noite no Kennedy Space Center! A NASA ainda aguardava os relatórios de seus balões meteorológicos para descobrir se o tempo estava mesmo promissor para um lançamento espacial seguro.

Às 20h29, a SpaceX deu o seu "go for launch", confirmando que tanto o Falcon 9 quanto a Crew Dragon estavam prontos para o lançamento. Faltava, ainda, o "go" da NASA! O próximo momento decisivo para o sucesso do lançamento chegaria quando o propelente fosse carregado no foguete.

O braço robótico que interliga a plataforma de lançamento à Crew Dragon começou a ser afastado às 20h44, o que foi mais um grande momento, visualmente falando, para todos que assistiram à transmissão ao vivo.

20h53 marcou o horário em que o combustível começou a ser carregado no Falcon 9, faltando apenas 35 minutos para o grande momento em que o foguete levantaria voo! Na imagem acima, vemos um fumaça branca saindo do veículo, o que é normal: nessa etapa, é preciso haver um resfriamento, e esse processo gera a fumaça branca que, à primeira vista, pode assustar — mas, na verdade, é um bom sinal. Logo em seguida, chegaria a hora de resfriar o interior do foguete para que seus motores fossem acionados.

O público participou do momento histórico pelas redes sociais, por meio da hashtag #LaunchAmerica. Na tela, a NASA mostrou ao mundo todo como este cachorro da raça corgi ficou uma graça vestindo uma roupinha com o logo da agência espacial!

Faltando menos de 15 minutos para o lançamento, a SpaceX informou que o combustível já havia sido completamente carregado no segundo estágio do foguete, com o primeiro estágio recebendo o propelente nos dez minutos seguintes. 

3 minutos para o lançamento! O Falcon 9 foi liberado das garras que o prendiam à estrutura vertical que você vê na imagem acima — e a NASA enfim deu o "go" que todos aguardavam!

3... 2... 1... and liftoff! O lançamentou começou prontamente às 21h27, conforme planejado.  Os próximos passos envolvem a separação do primeiro e do segundo estágio do foguete.

A liberação do primeiro estágio aconteceu às 21h30, momento em que este booster iniciou seu retorno à Terra. Uma embarcação da SpaceX o aguardava no Oceano Atlântico, para que ele fosse recuperado e reutilizado na missão Crew-2, em 2021.

Mais uma vez, a SpaceX comemora a recuperação de um primeiro estágio do foguete reutilizável Falcon 9! Poucos minutos depois, aconteceu a separação do segundo estágio do Falcon 9, liberando, enfim, a Crew Dragon para seguir viagem rumo à ISS.

A partir de agora, o quarteto de astronautas enfrenta uma jornada de mais de 27 horas até que cheguem a seu destino. Eles monitoram o andamento de sua viagem espacial pelos displays sensíveis ao toque e para lá de modernos que a SpaceX oferece na Crew Dragon, e, claro, poderão dormir por algumas horas, chegando descansados na ISS, onde serão recepcionados pelos atuais tripulantes, membros da Expedição 64. Isso acontecerá no início da madrugada de terça-feira (17) — e você saberá como tudo aconteceu logo pela manhã do mesmo dia, aqui no site do Canaltech!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.