Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

James Gunn vai comandar o futuro da DC no cinema e na TV ao lado de Peter Safran

Por| Editado por Jones Oliveira | 26 de Outubro de 2022 às 12h25

Link copiado!

Warner Bros
Warner Bros
Tudo sobre Warner Bros

A DC finalmente encontrou um nome para encabeçar seu universo cinematográfico — ou, melhor dizendo, nomes. O diretor James Gunn e Peter Safran foram anunciados como os chefes da recém-criada DC Studios e vão comandar o futuro de super-heróis como Superman, Batman e Mulher-Maravilha não só nos cinemas, mas também no que diz respeito a séries e animações.

Gunn é um velho conhecido do público, tendo trabalhado tanto na Marvel quanto na DC com os excelentes O Esquadrão Suicida e Pacificador. Já Safran atuou mais como produtor e foi responsável por filmes como Aquaman e o vindouro Shazam! Fúria dos Deuses, além da franquia Invocação do Mal.

E, embora os dois tenham sido apresentados como presidente e presidente-executivo da DC Studios, já ficou claro como essa divisão de tarefas deve ser feita daqui em diante. Para a alegria dos fãs, Gunn vai ficar responsável pelo direcionamento criativo do estúdio, enquanto Safran lidará com a parte burocrática, ou seja, tomando decisões de negócios e produções.

Continua após a publicidade

Com isso, James Gunn se torna uma espécie de “Kevin Feige da DC”, sendo o responsável por coordenar todas as produções feitas pelos novo estúdio para conectá-las ao agora chamado Universo Cinematográfico da DC (DCU, na sigla em inglês). Ainda assim, ambos seguem respondendo diretamente a David Zaslav, presidente da Warner Discovery.

Reformulação completa

E a novidade representa bem mais do que apresentar os responsáveis por dar um norte para a DC no cinema e na TV. Na verdade, trata-se de uma gigantesca reformulação feita por Zaslav na tentativa de dar novo rumo e peso para o universo de super-heróis da empresa, uma marca que ele já sinalizou como um dos grandes carros-chefes da companhia.

Tanto que o primeiro movimento nesse sentido foi acabar com a antiga DC Films e transformá-la na agora DC Studios. Parece um movimento pequeno, mas é algo que amplia muito mais as possibilidades do que o novo estúdio é capaz de fazer. Na prática, isso significa que Gunn e Safran não se limitarão apenas a comandar aquilo que chega aos cinemas, tendo liberdade para expandir o DCU para outros meios.

A gente já tinha visto um ensaio disso com o próprio James Gunn em O Esquadrão Suicida e Pacificador. Assim, essa construção, que até então era uma exceção na Warner, agora pode se tornar a regra — mais ou menos como a Marvel já vem fazendo.

Ainda assim, vai ser preciso esperar um pouco para vermos os efeitos dessa nova gestão começarem a aparecer. Apesar de Gunn já estar envolvido com a Warner há algum tempo, o seu direcionamento criativo começa a ser feito em um momento em que todos os demais projetos da DC já estão bem avançados.

Continua após a publicidade

The Flash, Shazam! Fúria dos Deuses e Aquaman e o Reino Perdido já finalizaram suas gravações e, em alguns casos, já estão quase prontos para serem lançados, o que dá pouca margem para que a recém-criada DC Studios faça grandes mudanças. Pode ser que isso signifique algumas refilmagens para inserir cenas que ajudem na construção desse novo quadro do DCU, mas nada foi indicado nesse sentido até agora.

Além disso, não espere também envolvimento de Gunn e Safran em projetos mais isolados, como o vindouro Coringa: Loucura a Dois. Embora seja um filme ligado à DC, ele não estará sob os cuidados da DC Studios. No caso, o novo longa com Joaquin Phoenix está sob responsabilidade direta de Michael De Luca e Pamela Abdy, chefes dos estúdios Warner.