Publicidade

Harry Potter | 7 coisas que ficaram de fora dos filmes e precisam estar na série

Por| Editado por Jones Oliveira | 22 de Abril de 2023 às 20h00

Link copiado!

Wizarding World
Wizarding World
Harry Potter

Sem muita surpresa, a Warner Bros. Discovery confirmou que vai mesmo produzir um remake da saga Harry Potter. Desta vez, a história será transformada em uma série feita para a Max, o novo nome de seu serviço de streaming reformulado após a fusão da HBO Max e Discovery+. E a promessa é que a nova versão seja muito mais fiel aos livros do que os filmes foram.

No anúncio oficial, foi confirmado que cada um dos sete livros da franquia será adaptado a fundo e que detalhes que não apareceram nos longas vão ter espaço nessa nova interpretação da obra. Para isso, a autora J.K. Rowling deve atuar bem de perto tanto como produtora executiva como consultora para manter a fidelidade da história e desses pequenos elementos.

E é essa promessa que encheu os fãs de Harry Potter de esperança. Deixando de lado toda a discussão sobre a real necessidade de um remake ou mesmo as controvérsias em torno da escritora, o fato é que quem cresceu com os livros se ressente até hoje de histórias, cenas e até mesmo diálogos deixados de fora pelos filmes.

Continua após a publicidade

São trechos que podem até não ser fundamentais para o andamento da narrativa, mas que ajudavam a dar mais profundidade a cada um dos personagens da saga. E, com a série tendo mais tempo para explorar esses detalhes, há uma enorme expectativa de que esses momentos sejam adaptados.

7. O passado de Dumbledore

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Depois de seis livros construindo a imagem desse bruxo tão poderoso quanto enigmático, Harry Potter e as Relíquias da Morte finalmente trouxe detalhes que mostram bem quem foi Dumbledore antes da barba branca e das frases enigmáticas. Toda a sua relação com Gerardo Grindelwald e a própria tragédia envolvendo a irmã Ariana são pontos fundamentais do último livro da franquia, mas uma nota de rodapé nos filmes.

A história de Ariana é algo que merecia muito mais destaque. Ela foi atacada ainda criança por garotos trouxas enquanto fazia magia. Depois de quase morrer, ela fica tão traumatizada que fica incapaz de usar seus poderes novamente. Isso faz com que o pai de Dumbledore se vingue dos jovens e, por isso, é enviado como prisioneiro para Azkaban.

Como se não bastasse tanta desgraça, toda essa situação faz com que Ariana perca o controle de sua própria magia e isso acaba resultando na morte de sua mãe. Assim, Dumbledore se torna o responsável por ela e seu irmão Aberforth.

Continua após a publicidade

E é aí que entra Grindelwald e esse quase romance que os dois bruxos tiveram. Um dia, durante uma disputa entre eles, Ariana é atingida e acaba morrendo — uma culpa que consome o futuro diretor de Hogwarts para sempre.

É uma parte fundamental da história e que é quase inexistente nos filmes. A franquia Animais Fantásticos até tentou explorar mais toda essa trama, mas falhou como em tudo o que tentou. Assim, a série tem a chance de apresentar essa tragédia como ela merece.

6. O Príncipe Mestiço

Continua após a publicidade

O sexto filme da saga, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, consegue a enorme proeza de não responder o mistério que seu título oferece. No livro, há toda uma trama que aprofunda o passado do professor Snape, seus traumas e porque ele fez tudo o que fez até ali.

O tal enigma gira em torno da figura do Príncipe Mestiço, que foi um apelido que o próprio Snape criou para si em referência à família de sua mãe, Eileen Prince, quando ele ainda era criança e passou a estudar em Hogwarts. Foi uma forma que o futuro professor de Poções encontrou para lidar com sua história solitária e até um tanto trágica.

Ele era filho de uma bruxa com um trouxa — portanto, mestiço — e os dois eram muito maltratados por este homem. Isso fez com que Snape crescesse com sérios problemas de socialização. Tanto que era alvo de bullying por parte dos alunos e foi na alcunha de Príncipe Mestiço que ele extravasava essas frustrações.

Toda essa história é quase que completamente ignorada no filme. Tudo é abordado de forma superficial e a série tem a oportunidade de mostrar mais desse passado de Snape e mostrar como o encontro do Príncipe com Lílian — a futura mãe de Harry Potter — selou seu destino para sempre.

Continua após a publicidade

5. Casos de Família: Percy vs. Weasley

A família Weasley foi bastante maltratada nos filmes, com direito a um dos irmãos simplesmente desaparecer da história sem mais e nem menos. Contudo, uma trama que merecia mais destaque é o embate que surge entre Percy Weasley e seus pais e irmãos.

Percy é apresentado desde o início como aquele jovem certinho — o velho CDF — com grandes aspirações. E, em A Ordem da Fênix, isso chega ao seu ápice quando ele é seduzido pelo mundo político e se deixa levar pelas narrativas que o Ministério da Magia constrói para ocultar o ressurgimento de Voldemort.

Continua após a publicidade

O caso de Percy ilustra bem como essa manipulação da opinião pública era feita dentro do mundo mágico — uma temática que é muito atual nos dias de hoje. É algo que não ganhou tanto espaço nos filmes, mas que poderia ser parte central de uma temporada como uma alegoria sobre o nosso próprio mundo. Além, é claro, de deixar as coisas ainda mais tensas envolvendo o retorno de Você-Sabe-Quem e a ameaça que ele representa.

4. A tragédia dos Longbottom

Neville é um dos personagens mais interessantes de toda a franquia Harry Potter. Ele começa a história sendo mais um alívio cômico, aquele personagem atrapalhado que faz tudo errado, e termina deixando a dúvida de que ele pode ser o verdadeiro herói da profecia ao invés do próprio Harry.

Continua após a publicidade

Não sabe do que eu estou falando? O livro de A Ordem da Fênix dedica um bom espaço para contar sobre como a profecia que assustava Voldemort era ambígua e que isso desgraçou não só os Potter, mas também os Longbottom. A visão dizia que uma criança nascida no fim de julho iria derrotar o Lorde das Trevas e isso colocou as duas famílias na mira do vilão.

Assim, os pais de Neville são perseguidos por Comensais da Morte e torturados ao nível de perderem sanidade. Assim, eles foram internados no Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos sem ter noção da realidade e incapazes de reconhecer o próprio filho.

É uma trama bastante pesada e que a série pode usar para deixar Neville muito mais interessante do que os filmes ousaram fazer.

3. O passado de Tom Riddle

Continua após a publicidade

Outro passado que é abordado de forma muito superficial nos filmes é do próprio Voldemort. Os longas mostram um pouco de sua infância como Tom Riddle, mas não aprofunda o que aconteceu para que aquele brilhante estudante de Hogwarts tenha se transformado no Lorde das Trevas.

O livro de O Enigma do Príncipe começa apresentando a história desse garoto desde antes de seu nascimento. Ele era filho de uma bruxa herdeira do próprio Salazar Sonserina que se apaixonou por um trouxa que a abandonou ainda durante a gravidez. Com a morte dela, Tom cresceu em um orfanato sem ser amado e desenvolvendo esse ódio àqueles que não tinham magia.

E isso é o que vai culminar em sua entrada em Hogwarts e seu interesse em Artes das Trevas, fazendo com que ele vire o Voldemort que conhecemos. É um mergulho bem detalhado na criação desse vilão que os filmes não trouxeram. Dessa forma, a série tem a oportunidade de apresentar mais camadas desse personagem tão icônico e torná-lo ainda mais interessante.

Continua após a publicidade

2. O funeral de Dumbledore

Não há fã de Harry Potter que não xingue os filmes por terem deixado uma das cenas mais icônicas dos livros de fora. No original, há uma comoção enorme de todo o mundo mágico pela morte de Dumbledore e a despedida do bruxo é marcada não só pela presença de Harry e seus companheiros, mas de uma infinidade de outros seres fantásticos.

Todos os alunos de Hogwarts participam da cerimônia, assim como professores e outras figuras que passaram pela escola. Os fantasmas do castelo também participam, assim como centauros vindos da Floresta Proibida e sereianos do lago.

Continua após a publicidade

É um momento muito emocionante que, no filme, virou o equivalente mágico a acender a lanterna do celular. E tudo isso por uma questão de custos.

A atriz Evanna Lynch, que faz a personagem Luna Lovegood, revelou que ela e parte do elenco ficaram revoltados com o fato de o funeral ter sido cortado da adaptação e que chegou a procurar o produtor David Heyman para saber o porquê — e foi quando descobriu que a decisão de simplificar a cena era porque a versão presente no livro seria muito caro de produzir.

E, embora ela tenha sugerido abrir mão de parte de seu salário para trazer o funeral para as telas, isso não aconteceu. Assim, a esperança é que a série da Max faça justiça.

1. Os Marotos

Uma das coisas mais legais não só de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, mas de toda a mitologia de Harry Potter é a história dos Marotos, o grupo de amigos que tinha Sirius Black, Remo Lupin, Pedro Pettigrew e Tiago Potter quando eles eram estudantes de Hogwarts.

O filme traz apenas uma citação a eles quando explica sobre o Mapa do Maroto, o mapa mágico que eles criaram para mostrar toda a movimentação dentro do castelo. Só que eles têm um papel muito mais importante do que essa, aprofundando diversos personagens e dando contexto para entender fatos do passado, presente e futuro.

Explorar mais os Marotos é também mostrar o bullying que eles faziam com Snape e como isso justifica tanto a implicância do professor com Harry Potter como também a paixão que ele tem por Lílian. Esse relacionamento platônico que nasce nesse flashback, inclusive, é algo que vai reverberar em um dos diálogos mais lindos de toda a franquia: “Sempre”.

Além disso, mostrar mais desses personagens também faz com que outras relações façam mais sentido. Ao mostrar que os garotos se tornaram animagos para ajudar Lupin em sua licantropia é algo muito poderoso para explicar o companheirismo que marca a amizade entre eles até o fim da vida, assim como faz com que a traição de Pettigrew seja muito mais sentida.

Na verdade, os Marotos é um pedaço tão rico da mitologia de Harry Potter que funcionaria até mesmo como uma série prequel. Da mesma forma que A Casa do Dragão enriqueceu todo um passado que era apenas citado em Game of Thrones, mostrar como os pais de Potter se conheceram era uma maneira igualmente potente e ainda mais divertida de viver esse mundo mágico.