Por que Harry Potter e o Enigma do Príncipe é a pior adaptação de toda a saga?

Por Nathan Vieira | 15 de Julho de 2019 às 19h00
IMDB
Tudo sobre

Harry Potter

Saiba tudo sobre Harry Potter

Nesta segunda-feira (15), faz exatamente dez anos que o filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe chegou às telonas, emocionando e simultaneamente revoltando uma legião de fãs da saga, uma vez que é a adaptação cinematográfica mais infiel dentre as 8 existentes no universo do bruxinho com a cicatriz em formato de raio.

Os motivos que levam a maioria esmagadora dos fãs de Harry Potter a rejeitar o longa metragem dirigido por David Yates vão desde o corte de cenas importantes do livro até o próprio estilo de narrativa adotado pelo filme, que acaba fugindo radicalmente da proposta da obra desenvolvida por JK Rowling.

O relacionamento entre as personagens

Harry Potter e o Enigma do Príncipe peca na construção do relacionamento de Harry (Daniel Radcliffe) e Gina (Bonnie Wright)

O sexto livro da saga é conhecido por ser um verdadeiro divisor de águas quando o assunto é a relação entre algumas personagens, já que é o primeiro a trazer isso à tona de maneira mais profunda, como é o caso de Ron Weasley e Hermione Granger, que passam por um período de extrema sensibilidade em sua amizade, com sentimentos intensos e amorosos aflorando.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O filme carrega consigo uma responsabilidade de apresentar e desenvolver essas relações, mas não cumpre nem um pouco com o que consta no livro. O relacionamento de Harry Potter (Daniel Radcliffe) e Gina Weasley (Bonnie Wright) é muito rico no universo dos livros, mas não tem nenhum tipo de desenvolvimento na adaptação. As poucas e quase silenciosas cenas protagonizadas pelo casal chegam a ser constrangedoras e sem química alguma.

Ninfadora Tonks e Remo Lupin possuem uma relação que também não é desenvolvida no filme, apesar de ser um dos pontos altos do livro, com todo o simbolismo presente nas características físicas de Tonks para a sua tristeza em achar que seu amor por Lupin não é correspondido. Em toda a série de filmes, e principalmente no Enigma do Príncipe onde esses laços são mais intensos, não houve espaço para a construção do relacionamento dos dois, o que resultou em mais uma decepção por parte dos fãs.

Mas não só de relacionamentos amorosos vive o livro. A amizade entre Harry e o diretor de Hogwarts, Alvo Dumbledore, alcança um novo patamar no sexto livro da saga. Isso vai desde os capítulos iniciais, em que Dumbledore aparece na casa dos tios do protagonista e o leva para uma aventura com a intenção de recrutar Horácio Slughorn para se juntar ao corpo docente da escola de magia. No filme, a relação entre os dois não chega nem perto de transmitir a intensidade da confiança e da amizade entre ambos.

Um livro profundo; um filme nem tanto

O filme tinha muito a aproveitar no passado de Tom Riddle (Frank Dillane)

Harry Potter e o Enigma do Príncipe é o livro mais denso e mais sombrio de toda a série, pois traz com profundidade o passado sombrio de algumas personagens. É compreensível que, ao fazer uma adaptação cinematográfica, é impossível representar a história com fidelidade. No entanto, talvez justamente pela riqueza de informações que o sexto livro traz, muitos aspectos importantes para a trama acabaram sendo deixados de lado, ou abordados de forma superficial.

No caso do passado de Voldemort, ainda havia muito a aproveitar, como o pedido para lecionar Defesa Contra as Artes das Trevas em Hogwarts que, uma vez negado, levou a uma espécie de maldição, impedindo que todos os futuros professores dessa matéria tivessem êxito. O público pôde acompanhar isso com o decorrer dos filmes, já que a cada ano a matéria é ensinada por um professor diferente, mas quem não leus os livros fica sem essa informação.

Ao invés de focar em questões profundas abordadas no livro, o filme segue um caminho muito mais voltado para uma comédia romântica adolescente por causa de temas que, sim, aparecem na obra de JK Rowling, mas tiveram a importância intensificada na adaptação.

Omissão de personagens importantes para a trama

Parvati (Shefali Chowdhury), Dino (Alfie Enoch), Hermione (Emma Watson), Neville (Mathew Lewis), Ron (Rupert Grint), Lilá (Jessie Cave) e Simas (Devon Murray)

Alguns personagens não deram as caras no sexto filme, o que acabou gerando uma onda de frustrações no público que foi ao cinema com o livro em mente. O carismático elfo doméstico, Dobby, apareceu no livro com uma missão muito importante: vigiar Draco Malfoy onde quer que ele estivesse. Dobby foi pouquíssimo aproveitado, não só no Enigma do Príncipe. Ele apareceu em praticamente todos os livros, mas apenas em dois filmes: no segundo, Harry Potter e a Câmara Secreta, e no último, Harry Potter e as Relíquias da Morte. Quem viu apenas o filme, não sabe a importância que ele tem.

Fleur Delacour e Gui Weasley também tem um arco bem desenvolvido que se inicia em Harry Potter e o Cálice de Fogo, e o relacionamento dos dois se intensifica no sexto livro, até que os dois se casam no último volume da saga. No entanto, eles não possuem nenhuma cena na adaptação, e acabam aparecendo em Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1, deixando o público que não leu os livros completamente sem entender o que fazem ali e o porquê de estarem juntos.

Substituições desnecessárias de algumas cenas

O funeral de Alvo Dumbledore não teve espaço no filme

A maior frustração de todas, quando o assunto é o filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe, é a ausência da cena mais bonita e emocionante dos livros: o funeral de Alvo Dumbledore. Na adaptação cinematográfica, ao invés do funeral, as personagens elevam suas varinhas em homenagem ao diretor. Sendo o maior bruxo de todos os tempos e tendo a morte mais chocante da saga, Dumbledore merecia mais.

O longa conta com outras substituições desnecessárias, que ferem a fidelidade ao livro, como o caso da pré-batalha de Hogwarts, em que a Armada de Dumbledore recebe os Comensais da Morte. No filme, esses minutos de filme são trocados por uma Bellatrix Lestrange histérica colocando fogo na cabana de Hagrid, o que não traz nem um terço da emoção que poderia ter trazido.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.