Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

MaXXXine | Novo filme de Mia Goth é baseado em uma história real?

Por| Editado por Durval Ramos | 09 de Abril de 2024 às 09h30

Link copiado!

Divulgação/A24
Divulgação/A24

Uma peculiar mistura entre real e ficção permeia o próximo grande filme de terror da produtora A24. Estamos falando de MaXXXine, que chega ainda neste ano e deve concluir a trilogia de filmes de Ti West (X: A Marca da Morte) com uma história que coloca a personagem-título na mira do Night Stalker, um assassino em série que existiu de verdade e que fez mais de 15 vítimas em um período de dois anos. 

A personagem de Mia Goth (Piscina Infinita) busca por papéis na Los Angeles de 1985, justamente no auge da atuação do serial killer e abusador. Enquanto tenta se afastar do currículo anterior, composto de filmes adultos, Maxine se envolve com detetives particulares e investigadores em busca do assassino, que tem nas jovens aspirantes a celebridades seu principal alvo.

Continua após a publicidade

Enquanto as primeiras informações concretas sobre o longa em si eram esperadas há meses pelos fãs do horror, a união com fatos soou como uma surpresa para eles. O foco do enredo, claro, é a própria Maxine, que deve entregar muito sangue e loucura ao lado de um elenco de peso.

MaXXXine é inspirado em uma história real?

A resposta para a pergunta acima pode ser um “mais ou menos”. A Maxine do filme é uma atriz fictícia, que parece repetir os passos de sua algoz de X: A Marca da Morte na busca pelo estrelado. Entretanto, nesse caminho, ela acaba se encontrando com o já citado Night Stalker, que existiu de verdade e levou medo às cidades de Los Angeles e San Francisco em meados dos anos 1980. Em 2021, a Netflix lançou uma minissérie documental sobre ele.

O Perseguidor da Noite, que também foi chamado pela imprensa como Walk-in Killer (Visitante Assassino) ou Valley Intruder (Intruso do Vale), foi Richard Ramírez. Nascido no Texas em 1960 e filho caçula de um casal de imigrantes mexicanos, ele teve infância e adolescência marcada pelo uso de drogas, abandonando a escola e frequentando cemitérios.

Diagnosticado com epilepsia, ele teve seus primeiros contatos com a violência por meio do primo, Miguel Valles, um veterano da guerra do Vietnã. Entre histórias de abusos e torturas a soldados inimigos, o homem conhecido como Mike foi citado por Ramírez como forte influência em seus anos de formação, principalmente depois de ter assassinado a esposa, em um ato presenciado pelo futuro serial killer.

Após se afastar da família, Ramírez passou anos em situação de rua, roubando, usando drogas e sendo preso pelo menos duas vezes. Foi durante um assalto que ele fez sua primeira vítima, Jennie Vincow, de 79 anos. Ela foi esfaqueada múltiplas vezes em sua própria cama com um caco de vidro, iniciando um padrão de invasões domésticas que estaria presente na maioria das mortes cometidas por ele.

A partir daqui, se seguiram assassinatos com o uso de armas de fogo, facas e canivetes, sempre seguidos de roubo ao domicílio das vítimas — quando elas eram mulheres jovens, ele também abusava sexualmente delas. Usando batom, caneta ou até mesmo os próprios objetos cortantes, Ramírez desenhava pentagramas no próprio corpo e também no de suas vítimas, em outra marca frequentemente citada na imprensa enquanto as notícias sobre o Night Stalker ganhavam espaço.

Continua após a publicidade

Ramírez nem sempre era bem-sucedido em seus ataques, com os sobreviventes indo à polícia, o que ajudou a identificá-lo e a estampar seu rosto nas páginas dos jornais. O serial killer foi preso no final de agosto de 1985, acusado de 15 assassinatos e outros 31 crimes, que envolvem tentativas de homicídio, invasão à propriedade, roubo e abuso sexual.

Ramírez acabaria sentenciado à morte após um julgamento conturbado, que envolveu ameaças a membros da corte e a morte, não relacionada a ele, de uma jurada, o que acabou levando temor a todo o corpo de participantes. Foram quatro anos até a decisão final, que sairia em 1989 e determinaria sua morte por inalação de gás.

A sentença nunca foi cumprida. Ramírez morreu em junho de 2013 por complicações relacionadas a um linfoma, combinado com hepatite C contraída durante seus anos como usuário de drogas. Antes de morrer e ser cremado, porém, ele ainda teria um 16º assassinato confirmado — a garotinha Mei Leung, de apenas nove anos, assassinada em 1984 e comprovada como a primeira vítima do serial killer.

Continua após a publicidade

Maxine não existiu de verdade, aliás

É importante, ainda, não confundir a Maxine do filme com uma das vítimas reais do serial killer. Maxime Zazzara foi a quinta pessoa a ser morta por Ramírez, após ter sua casa invadida pelo criminoso. O ataque envolveu requintes de crueldade, com o Night Stalker esfaqueando o cadáver da mulher e arrancando seus olhos antes de ir embora; o marido dela, Vicent, morreu na mesma ocasião.

Apesar de mostrar bastante sobre o clima do filme e seus personagens, o trailer do novo longa de West não revela exatamente o andamento da trama. Enquanto sabemos que a personagem de Goth vai se envolver na história real do Night Stalker, o próprio não é mostrado em momento algum. No elenco confirmado, também não há nome algum associado a ele e não dá para saber se ele aparecerá no longa. 

Continua após a publicidade

MaXXXine ainda não tem data de lançamento confirmada no Brasil. Além de Goth, o filme tem Kevin Bacon (O Mundo Depois de Nós), Lily Collins (Emily em Paris), Elizabeth Debicki (Tenet), Giancarlo Esposito (Better Call Saul) e a cantora Halsey no elenco.