O céu não é o limite | Buracos de minhoca, busca por ETs, 5 mil exoplanetas e+

O céu não é o limite | Buracos de minhoca, busca por ETs, 5 mil exoplanetas e+

Por Daniele Cavalcante | Editado por Patrícia Gnipper | 26 de Março de 2022 às 20h00
Pixabay/Jong Myung Lim/PxHere/NASA

Os caçadores de exoplanetas atingiram o marco histórico: a NASA acaba de anunciar que 5 mil mundos já foram encontrados na órbita de estrelas que não o Sol! E pensar que apenas algumas décadas atrás ainda nos perguntávamos se existe algum planeta fora do Sistema Solar...

Além disso, os cientistas estão cogitando procurar em dados de observações antigas por buracos de minhoca, feitos por espécies alienígenas super avançadas. A ideia parece absurda, mas a verdade é que faz um certo sentido. Entenda essa e outras notícias que foram destaques da semana.

Buracos de minhoca feitos por ETs

Buracos de minhoca são atalhos hipotéticos para dois pontos distantes no universo (Imagem: Reprodução/ESO/L. Calçada)

Se alguma civilização alienígena super avançada conseguiu criar um buraco de minhoca para viajar pelo universo, provavelmente não se limitou a isso — uma verdadeira rede pode ter sido construída. Se isso já aconteceu, é possível que nossos telescópios já tenham encontrado algum sinal desses objetos, mas ninguém percebeu.

Essa é a proposta de um cientista que apresentou quatro ideias que podem nos levar à descoberta de civilizações alienígenas avançadas. Os outros métodos incluem procurar por elementos químicos poluentes na atmosfera dos exoplanetas. Esses produtos químicos são potencialmente detectáveis e certamente seriam de origem inteligente.

Novo estado da água pode aumentar chances de vida alienígena

O gelo mais comum formado na natureza terrestre é o tipo I (Imagem: Reprodução/Jong Myung Lim/PxHere)

A água pode parecer, para nós, a coisa mais comum do universo, mas a verdade é que este elemento é bem bizarro. O gelo, por exemplo, pode apresentar várias diferentes fases, e algumas delas só existem nos nossos laboratórios. O mais recente, descoberto na transição entre duas fases, não existe de forma natural em nosso mundo, mas poderia existir em outros.

Para formar o Gelo-VIIₜ, é preciso que a água esteja submetida a determinadas condições de pressão (e de temperatura, claro). Na Terra, isso só pode ser feito em laboratório, mas os cientistas acham que em alguns planetas isso pode ocorrer naturalmente, o que aumentaria as chances da vida se desenvolver.

Mais de 5 mil exoplanetas são confirmados na Via Láctea

E por falar em outros mundos, a NASA anunciou que mais de 5 mil exoplanetas já foram confirmados, e a quantidade continua aumentando. Além da quantidade, os mundos são muito diversos: há planetas pequenos e rochosos, gigantes gasosos conhecidos como “Júpiteres quentes”, e muito mais variedade.

A NASA também disse que, além dos 5 mil, outros 65 exoplanetas foram incorporados na lista das descobertas descritas em artigos científicos e revisados por pares. A primeira descoberta de um exoplaneta foi em 1992, e ainda deve haver algumas centenas de bilhões em nossa galáxia esperando para serem detectados.

Cometa Leonard se desintegrou

Fotografado remotamente próximo ao Cerro Paranal, no Chile, o Leonard mostra apenas um rastro fantasmagórico
(Imagem: Reprodução/Martin Masek/FZU - Institute of Physics of the Czech Academy of Sciences)

Após brilhar no nosso céu noturno de dezembro de 2021, o cometa Leonard (C/2021 A1) se desintegrou em sua aproximação máxima do Sol. Imagens de astrônomos mostram o rastro do objeto como um vulto fantasmagórico, sem coma e núcleo.

O núcleo do Leonard tinha apenas 1,6 km e não se sabe muito sobre sua construção — alguns são densos e outros têm pedras unidas ou “lóbulos” espremidos. Seja como for, o C/2021 A1 não voltará para casa.

Anéis fantasmagóricos de rádio começam a ser desvendados

Um dos ORCs detectados pelo ASKAP (Imagem: Reprodução/Norris)

Conhecidos como ORCs, os anéis misteriosos descobertos em 2019 podem ser ondas de rádio emitidas por um evento de explosões extraordinárias no centro de galáxias. Os astrônomos confirmaram que os objetos fantasmagóricos estão relacionados a galáxias muito fracas, que não haviam sido detectadas quando os ORCs foram descobertos.

Como os ORCs são raros, os astrônomos cogitam que os eventos que os formaram também não sejam muito comuns. Os principais candidatos no momento são explosões starburst (no qual muitas estrelas se formam de uma só vez) e uma colisão entre dois buracos negros supermassivos.

Helicóptero Ingenuity faz novos voos em Marte

O helicóptero Ingenuity completou seu 22º voo em Marte no último fim de semana, com duração de 101,4 segundos e o helicóptero chegou à altitude máxima de 10 m. Na última quinta-feira, o 23 voo aconteceu, com 129.1 segundos de duração e deslocamento por 358 metros.

A sequência de voos bem-sucedidos deu à nave uma missão estendida, que já começou: ela vai ajudar o rover Perseverance a decidir as melhores rotas em direção ao delta de um antigo rio que exigiu na cratera Jezero.

Detalhes incríveis do Sol em altíssima resolução

O Sol registrado pela sonda Solar Orbiter à distância de aproximadamente 75 milhões de quilômetros (Imagem: Reprodução/ESA & NASA/Solar Orbiter/EUI team; Data processing: E. Kraaikamp (ROB)

Novas imagens do Sol em altíssima resolução, capturadas pela sonda Solar Orbiter, mostram diversos detalhes do disco solar, sua atmosfera mais externa e algumas ejeções de plasma em formato de arco. Uma das fotos (acima) é considerada a imagem de maior resolução já obtida do disco solar completo e da coroa

Essa foto espetacular foi feita com um mosaico de 25 imagens individuais e tem 83 milhões de pixels de resolução. As capturas foram obtidas quando a sonda estava a aproximadamente metade da distância entre Sol e a Terra.

Leia também:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.