Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Detalhes incríveis do Sol aparecem em novas imagens de altíssima resolução

Por| Editado por Patricia Gnipper | 24 de Março de 2022 às 16h32

Link copiado!

ESA & NASA/Solar Orbiter/EUI team/: E. Kraaikamp (ROB)
ESA & NASA/Solar Orbiter/EUI team/: E. Kraaikamp (ROB)

Novas imagens do Sol em altíssima resolução, capturadas pela sonda Solar Orbiter, mostram diversos detalhes do nosso astro, incluindo o disco solar, sua atmosfera mais externa e outras características. As fotos foram feitas com diferentes instrumentos no dia 7 de março, quando a sonda estava a aproximadamente metade da distância entre Sol e a Terra.

Uma das fotos foi produzida pelo instrumento Extreme Ultraviolet Imager (EUI) e é considerada a imagem de maior resolução já obtida do disco solar completo e da coroa, a atmosfera mais externa do Sol. Quando o registro foi produzido, a Solar Orbiter estava a cerca de 75 milhões de quilômetros do Sol, distância equivalente à metade daquela entre a Terra e o astro.

Para conseguir fotografar nossa estrela inteira àquela proximidade, foi necessário produzir um mosaico com 25 imagens individuais. As imagens foram produzidas uma após a outra e, como cada uma delas levava 10 minutos (o tempo necessário para a nave apontar seus instrumentos de um segmento para o próximo), a foto completa levou mais de 4 horas para ficar pronta.

Continua após a publicidade

O resultado é esta imagem espetacular acima, com mais de 83 milhões de pixels de resolução. Para comparação, considere que esta é uma resolução dez vezes maior que aquela de uma TV 4K. Como o EUI produz imagens em comprimentos de onda na região extrema da luz ultravioleta, no espectro eletromagnético, a imagem revela detalhes da coroa solar, com altíssima temperatura.

Já o instrumento SPICE, criado para delinear as camadas na atmosfera solar indo da coroa até a cromosfera, foi responsável por produzir uma imagem do Sol em um comprimento de onda da luz ultravioleta, emitida pelo hidrogênio gasoso. E, assim como aconteceu com o EUI, também foi necessário unir as imagens do SPICE em um mosaico.

A sequência de imagens capturadas por este instrumento resultou em mosaicos de diferentes cores, que nos mostram a temperatura de vários elementos: o hidrogênio gasoso, a 10.000 ºC, aparece em roxo. Já o carbono, a 32.000 ºC, aparece em azul, enquanto o oxigênio, a 320.000 ºC, está em verde. Por fim, o amarelo indica o neon, a 630.000 ºC.

Com essas informações, os físicos que estudam o Sol podem delinear as erupções poderosas que ocorrem da coroa solar para as camadas atmosféricas mais internas, além de estudar uma das características mais intrigantes do nosso astro: o que faz com que a coroa solar alcance facilmente um milhão de graus Celsius, enquanto a temperatura da superfície fica em apenas 5.000 ºC?

Enquanto este e outros mecanismos misteriosos sobre o Sol seguem investigados pelos cientistas, a Solar Orbiter continua se aproximando do nosso astro. No dia 26, a sonda deverá realizar seu primeiro periélio, ou seja, estará no ponto de maior proximidade do Sol em sua trajetória. No momento, a nave está no interior da órbita de Mercúrio, conseguindo imagens e dados das partículas do vento solar.

Fonte: ESA