4G no Brasil: o que temos até agora?

Por Joyce Macedo | 30.04.2013 às 13:52 - atualizado em 30.04.2013 às 16:46
photo_camera PPL Ware

De acordo com o cronograma do edital de licitação da faixa de 2,5GHz, as cidades-sede da Copa das Confederações deveriam estar cobertas pela rede 4G até hoje (30). E as quatro maiores operadoras do país já começaram a comercializar seus serviços de telefonia LTE não só nessas localidades, como também em alguns outros municípios.

Além das cidades obrigatórias — Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Fortaleza e Rio de Janeiro — as operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo já estão vendendo o serviço em outros municípios: São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Búzios (RJ), Paraty (RJ) e Campos do Jordão (SP) são os que completam a lista da cobertura atual e o governo afirma que outras três cidades devem ser cobertas até o fim do ano. Mas, apesar de aparentemente terem superado as expectativas da Anatel em relação aos locais de instalação da rede, as teles ainda enfrentam muitas dificuldades com o 4G.

Saiba mais: Quais são as diferenças entre redes 1G, 2G, 3G e 4G?

Aparelhos compatíveis

Dados governamentais indicam que, atualmente, apenas 11 modelos de smartphones 4G foram homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), enquanto 370 modelos 3G são comercializados no Brasil. Em uma escala mundial, existem 260 aparelhos com conexão LTE já disponíveis em lojas.

A empresa de análises IDC acredita que, somente em 2013, serão comercializados 600 mil aparelhos 4G no país, ou seja, quatro vezes mais do que foi vendido em 2012 — mesmo representando apenas 2% do montante total de smartphones, que deverá ser de 28 milhões de unidades vendidas.

"Acho que para começar é um bom número, já que na faixa de 2,5GHz a escala não é muito grande em outros mercados", ressaltou Erasmo Rojas, diretor para a América Latina da 4G Americas, que representa operadoras de telefonia móvel e fabricantes. A maioria dos novos aparelhos com 4G começará a ser distribuída no Brasil nas próximas semanas.

A Samsung afirmou que no segundo semestre deste ano lançará mais aparelhos 4G no Brasil, e já tem quatro modelos homologados pela Anatel. A Blackberry também mostrou interesse em lançar outros dois dispositivos compatíveis com o 4G brasileiro, fora o Z10 e o Q10, e, ainda neste semestre, a LG se prepara para lançar dois ou três novos smartphones 4G compatíveis com a faixa de 2,5GHz. A Sony Mobile, que acaba de lançar o Xperia ZQ com 4G, deverá trazer outro modelo 4G 'em breve' — em escala mundial, a Sony lançou cinco aparelhos 4G somente em 2012.

Propaganda enganosa?

Para a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), a limitação do download em alguns planos de internet móvel poderá comprometer o alto desempenho do 4G, algo considerado como a grande vantagem do novo sistema. Para formalizar os questionamentos a respeito das primeiras etapas de adoção e comercialização do 4G no Brasil, a Proteste encaminhou um ofício para a Anatel na última segunda-feira (29), mas a Agência ainda não se manifestou a respeito do assunto.

"As teles estão fazendo propaganda sobre o serviço, mas não deixam claro que é preciso comprar um telefone novo para usá-lo. Além disso, os comerciais não informam que o sinal será limitado a apenas uma parte das cidades que terão a cobertura 4G", explicou Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste, que defende a causa de esclarecimento para o público consumidor.

4G para estrangeiros

No início do mês, João Rezende, presidente da Anatel, declarou que muitos turistas não vão conseguir utilizar a nova rede 4G no Brasil durante a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014. Isso porque a faixa de 700MHz não deverá estar disponível para as operadoras de telefonia até 2015.

Até lá, apenas a faixa de 2,5GHz será utilizada para a transmissão de dados na rede de quarta geração, e ela não é compatível com a maioria dos aparelhos disponíveis no mercado. Porém, para o presidente da Agência, os turistas que visitarão o país durante a Copa não devem sobrecarregar a rede 3G. Afinal, muitos fabricantes estão produzindo dispositivos móveis que operam em diversas faixas para evitar problemas de transmissões.

"As pessoas acabam comprando o chip aqui. Fora as transmissões corporativas, um consumidor normal vai fugir das tarifas do roaming. A barreira não é tecnológica, é financeira", afirmou Rezende.

Preços e planos

Apesar de as operadoras terem dito que devem praticar os mesmos valores atuais do 3G na nova rede de quarta geração, para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, isso não deve acontecer. "É claro que, no começo, ela tende a ser mais cara que a anterior. Entretanto, a exemplo do que aconteceu em outras ocasiões, à medida que as pessoas vão aderindo, vai também diminuindo o preço", disse Bernardo.

  • Claro

Os planos 4GMax, como foram intitulados pela própria operadora, começam com uma cota de 2GB de transferência de dados para smartphones, ou 5GB para smartphones e modems. O Nokia Lumia 820 no Plano Ilimitado 600 4G custa R$ 399, enquanto o Motorola RAZR HD sai de graça no mesmo plano. Já o Samsung Galaxy S III com suporte para 4G custa R$ 949 no plano. O modem Huawei E392 no Plano Claro Internet 5GB pode ser adquirido por R$ 199.

  • Oi

A operadora fez uma promoção de lançamento com um plano 4G para clientes pós-pagos. Com até 5GB, os clientes poderão pagar R$ 98 ao mês e ainda ter desconto de R$ 300 na compra de qualquer outro aparelho. A Oi também apresentou planos 4G para notebooks e tablets com 10GB por R$ 188 mensais e, neste caso, o modem custa R$ 100 e o chip compatível com a rede sai de graça.

  • Tim

A Tim oferece planos para modems 4G a partir de R$ 89,90, que são referentes a 3GB, e uma opção de 10GB de dados que custa R$ 129,90 ao mês. Já os pacotes de dados para smartphone começam em 300MB, custando R$ 29,90, e terminam em apenas 600MB, saindo por R$ 34,90. Porém, a operadora informou que deve lançar um pacote de dados com uma taxa de transferência maior, de acordo com a demanda pelo produto.

Planos 4G da Tim
  • Vivo

Nesta terça-feira (30), a Vivo anunciou que seu novo serviço vai se chamar 'Vivo 4G Plus' e irá abranger opções de planos para smartphones, tablets e modems. No caso dos telefones, os planos mensais com 2GB e 6GB serão vendidos por preços a partir de R$ 149, já para modems e tablets os preços se iniciam em R$ 99,90, com opções a partir de 5GB.

Preços 4G Vivo