Samsung Galaxy S7 e LG G5 – o que esperar dos flagships do MWC?

Por Pedro Cipoli | 03.02.2016 às 17:58

Estamos em fevereiro e uma das principais feiras de tecnologia do mundo está prestes a começar. Trata-se da Mobile World Congress (MWC), que acontece em Barcelona (Espanha) entre os dias 22 e 26, onde são anunciados os principais smartphones do ano. Entre os modelos mais esperados, temos o Galaxy S7 (e Galaxy S7 Edge) da Samsung e o G5 da LG, cotados como o topo da pirâmide Android, além de concorrentes diretos. No meio de tanta especulação, rumor e novidades já confirmadas, o que podemos esperar desses aparelhos?

Galaxy S7 (e Galaxy S7 Edge)

Começando pela câmera, um dos quesitos onde os "tops" de linha da Samsung geralmente se saem muito bem, podemos esperar um sensor customizado da Sony em vez do IsoCell. Rumores mais recentes dizem que o S7 e S7 Edge contarão com uma câmera traseira de 12 megapixels e uma frontal de 5 megapixels. Curiosamente, são as mesmas especificações de câmera dos iPhones 6s e 6s Plus, sendo o único motivo para a escolha da Samsung, já que houve uma diminuição do tamanho do sensor traseiro em relação às versões anteriores (16 megapixels).

Galaxy S7 Render

Ainda falando de recursos “inspirados” no iPhone, a Samsung sugeriu que seus aparelhos tragam algum tipo de tecnologia de pressão de tela com recursos customizados (um 3D Touch da Samsung), algo interessante de aguardar, já que veremos como a sul-coreana pretende competir com a Apple nesse quesito. Por falar em tela, a Samsung tomou a boa decisão de não aumentar ainda mais a resolução, que permanecerá Quad-HD (2560x1440) tanto no Galaxy S7 (5,1 polegadas) quanto Galaxy S7 Edge (5,5 polegadas), ambos contando com uma nova geração de telas Super AMOLED.

Galaxy S7 Render

Outro ponto praticamente certo é que a Samsung volte a utilizar dois chips, com parte da produção utilizando o Exynos 8890 e outra parte com o Snapdragon 820. Isso é um indicativo de que a Qualcomm realmente resolveu os problemas da geração anterior, já que a Samsung não arriscaria usar o componente se não fosse o caso, como aconteceu com o Snapdragon 810. E a quantidade de memória RAM? Provavelmente 4 GB, o novo padrão de tops de linha daqui para frente, algo iniciado pelo Zenfone 2 no começo de 2015.

Há uma novidade bacana que, se confirmada, vai chamar muito a atenção dos usuários: o mínimo de 64 GB de memória interna por padrão. Se isso acontecer, mostrará que a Samsung realmente quer tomar o posto da Apple no segmento top de linha, já que os iPhones começam com 16 GB de memória interna, o que é ridículo nessa altura do campeonato. E, claro, temos a volta do suporte a cartões microSD, o que não chega a ser um recurso, mas sim um reconhecimento da Samsung que errou no Galaxy S6 (e derivados), já que a ausência desse suporte não foi bem vista pelo público.

Galaxy S7 Render

No quesito bateria, é praticamente confirmado que o Galaxy S7 traga uma bateria de 3000 mAh, mas ainda não é certo se ela será removível ou não, já que depende da construção do aparelho. De qualquer forma, considerando que o Galaxy S6 tinha uma bateria de 2600 mAh, podemos esperar uma autonomia ligeiramente maior, em especial por melhorias de consumo dos novos SoCs, já que a resolução de tela será a mesma.

LG G5

Aparentemente, a LG anunciará seu novo top de linha lado a lado com o Galaxy S7, o que é ótimo, já que os lançamentos da linha G ocorriam semanas depois da Samsung. O LG G4, por exemplo, tinha tudo para competir diretamente com o Galaxy S6 em 2015 (com exceção do processador), mas chegou atrasado, dando uma boa margem de trabalho para a Samsung. E o que o G5 trará de novo? Novamente, começando pela câmera, uma configuração de 20 megapixels (traseira) e 8 megapixels (frontal), mostrando que a LG não está preocupada em copiar a Apple, e sim em oferecer a melhor qualidade possível de imagem.

Um dos pontos de maior destaque do LG G4 foi o seu software de câmera que, além de extremamente completo, permitia um bom nível de controle manual, além de qualidade de sobra no modo automático, e parece que a LG vai melhorar ainda mais nesse quesito. Ou seja, há uma grande chance de vermos uma das melhores câmeras do mercado, ponto que os aficionados de fotografia devem ficar de olho.

LG G5

Não podemos esquecer que existe uma grande possibilidade de o novo G5 utilizar um design modular

Em relação à construção, a LG aumentará o tamanho da tela em 0,1 polegada, chegando a 5,6 polegadas, mas aparentemente sem aumentar, pelo menos significativamente, o tamanho do aparelho, já que os renders mostram um melhor aproveitamento de tela. A resolução estacionará nos 2560x1440, assim como o Galaxy S7, e estamos bastante ansiosos para ver o que a LG fará nesse segunda geração de telas Quantum IPS, já que a primeira geração foi uma bela novidade.

LG G5

Ainda é uma dúvida se a LG oferecerá algum tipo de solução de sensor de impressões digitais, algo que fez falta no G4 e que seria bem vindo em um aparelho tão grande. Há uma boa chance que sim, já que é um recurso que está se tornando comum mesmo em aparelhos do segmento médio, como o Lenovo Vibe A7010, de forma que provavelmente veremos alguma solução híbrida de sensor de impressões digitais e o Knock Code da LG.

Já as especificações são mais ou menos certas: chip Snapdragon 820 com 4 GB de memória RAM e versões com 32 GB ou 64 GB de armazenamento interno, dependendo de onde o G5 será vendido. O único ponto “a se confirmar” é a capacidade de bateria. A LG tem utilizado baterias de 3000 mAh desde o LG G2, então seria bacana equipar o G5 com mais capacidade, aproveitando o fato de que o aparelho já não é pequeno. Já imaginou essa nova geração capaz de ficar 2 dias fora da tomada?

Conclusão: é para ficar ansioso?

Claro que sim! Mais do que tops de linha, tanto G5 quanto S7 são modelos de referência para o Android, uma vitrine dos principais recursos da plataforma. Qualquer novo recurso em ambos afeta o ecossistema como um todo, e é sempre bom ver duas das empresas mais estabelecidas no universo Android competirem ferozmente pelo posto de primeiro lugar. Em menos de um mês veremos o lançamento oficial de ambos, onde faremos uma análise mais precisa das novidades.

Porém, podemos adiantar algumas coisas, em especial a postura de ambas as empresas para alcançar o mesmo objetivo. Enquanto a LG faz uso de uma estratégia de experimentação mais agressiva, observando as tendências de mercado, a Samsung ainda se preocupa demais com a Apple. Isso é algo triste de se ver ainda hoje, como se a Samsung realmente precisasse se inspirar no iPhone para conseguir inovar.

Prova disso é a diminuição do sensor de câmera e o “3D Touch da Samsung”, inspirações claras nos iPhones 6s e 6s Plus, da mesma forma como o Galaxy S6 cortou o suporte para cartões micro SD e baterias removíveis, duas cópias claras dos iPhones que não foram bem aceitas pelo público. A Samsung ainda mantém o pódio no Android, mas se não olhasse tanto para os iPhones como faz, talvez estivesse em um estágio muito superior tecnicamente. Mas vamos esperar para ver.