Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Google teria usado Galaxy Z Fold 2 para otimizar Android em dobráveis

Por| Editado por Wallace Moté | 15 de Fevereiro de 2024 às 12h14

Link copiado!

Divulgação/Samsung
Divulgação/Samsung

Visto há quase três anos nos códigos do Android 12L, a versão especial do sistema destinada a smartphones dobráveis, o "Google Jumbojack" parece ter sido encontrado à venda online sugerindo uma situação curiosa — o protótipo usado pela gigante das buscas para trabalhar em otimizações seria basicamente um modelo modificado do Galaxy Z Fold 2. Apesar de estranha a princípio, a estratégia faz sentido, especialmente quando consideramos o domínio da Samsung sobre os dobráveis na época.

Com o crescimento do mercado de smartphones dobráveis, o Google passou a trabalhar para otimizar o Android de forma a tirar melhor proveito das telas desse tipo de dispositivo. Como resultado, a gigante anunciou no final de 2021 o Android 12L, munido de recursos como a barra de tarefas persistente e atalhos para agilizar o processo de multitarefas.

Análises do código do sistema descobriram que, para desenvolver a novidade, a empresa utilizou um protótipo identificado como "Jumbojack", envolto em mistério desde então. Com isso dito, o aparelho pode ter finalmente sido encontrado em um anúncio online, como contou o desenvolvedor e leaker Mishaal Rahman em publicação no X (antigo Twitter).

Continua após a publicidade

Se a venda do protótipo por si só já é curiosa, a situação chama mais atenção quando observamos as fotos do suposto telefone — ao que tudo indica, o Jumbojack era uma versão modificada do Galaxy Z Fold 2, segunda geração do dobrável mais completo da Samsung lançada em setembro de 2020. Como mostram as imagens, a maior diferença está no uso do Android 12L sem a interface One UI.

Mesmo beirando os quatro anos de existência, o Galaxy Z Fold 2 segue sendo um aparelho robusto. O dobrável é equipado com processador Snapdragon 865 Plus, cujo desempenho fica posicionado entre o Snapdragon 7s Gen 2 e o 7 Plus Gen 2 de acordo com benchmarks, 12 GB de RAM, até 512 GB de armazenamento, câmera tripla de 12 MP e bateria de 4.500 mAh.

O destaque obviamente vai para a dupla de telas, composta de um display externo de 6,23 polegadas com resolução de 2260 x 816 pixels, e um interno de 7,6 polegadas com resolução de 2208 x 1768, ambos operando a 60 Hz. A ficha chega a lembrar alguns dos aspectos do recente Galaxy Z Fold 5, mas há upgrades substanciais nas novas gerações em quase todos os departamentos.

Continua após a publicidade

Ainda que seja curioso o fato do Google ter usado o antigo aparelho da Samsung, a decisão tem sentido: a gigante sul-coreana dominava o mercado de dobráveis no período, e há alguns anos tem trabalhado muito de perto com a dona do Android, como provam o desenvolvimento das versões mais recentes do Wear OS e o lançamento do Circule para Pesquisar no Galaxy S24.

Para completar, o Pixel Fold não havia sido planejado, considerando que a empresa avaliava o impacto do novo formato de dispositivos para definir se haveria um retorno dos investimentos. Independente dos motivos, é interessante ver os resultados das relações estreitas entre as duas companhias, que devem crescer ainda mais com a chegada de um concorrente para o Apple Vision Pro projetado por ambas.

Fonte: 9to5Google