É verdade que o celular escuta nossas conversas?

É verdade que o celular escuta nossas conversas?

Por Lu do Magalu | Editado por Guadalupe Carniel | 17 de Dezembro de 2021 às 11h25
Canaltech/Felipe Freitas

Será que o celular escuta nossas conversas? Você já teve essa sensação? Afinal, muitas vezes parece que os celulares já sabem e começam a direcionar anúncios personalizados sobre coisas que falamos ou estamos pesquisando, né? Além disso, os anúncios também aparecem em todos os lugares, até mesmo nas redes sociais.

Então, você pode estar se perguntando: — “Lu, como isso tudo acontece?”. Se você também tem essa dúvida, nessa matéria vamos falar um pouquinho sobre: assistentes virtuais, Google Ads, cookies e algoritmos. Essas são algumas ferramentas quase “invisíveis” que funcionam na internet e também nos nossos celulares. Veja nas próximas linhas!

O celular escuta nossas conversas?

Hoje em dia, a maioria dos smartphones, sejam eles Android ou iOS, contam com a tecnologia dos assistentes virtuais inteligentes como o Google e a Siri, né? Com esses serviços, as pessoas podem usar comandos de voz em aplicativos e fazer pesquisas na internet.

Os assistentes virtuais ficam a procura de palavras de ativação (Imagem: Canaltech/Felipe Freitas)

Só que a grande dúvida das pessoas é: — “eles ficam escutando a gente o dia todo?” Sim. Quando ativados, eles podem identificar palavras de ativação como “Ei, Siri” ou “Ok, Google”. Mas, segundo as empresas eles não guardam dados sobre suas conversas, tá?

Lei Geral de Proteção de Dados no Brasil

No Brasil, o tratamento de dados passou por várias mudanças nos últimos anos com a chegada da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Então, quando o assunto são seus dados pessoais as empresas precisam sempre oferecer informações claras e acessíveis sobre o uso desses dados lá nos “termos de uso”, tá? Se você quiser saber mais sobre o assunto, temos algumas matérias sobre a LGPD aqui no Canaltech.

A LGPD protege o uso dos seus dados por empresas com mais transparência (Imagem: Canaltech/ Felipe Freitas)

Agora, quando um anúncio específico começa a aparecer em todas as suas redes sociais, páginas de internet e até mesmo em novas pesquisas, existe uma grande chance disso estar relacionado aos algoritmos, cookies e Google Ads. Olha só!

Anúncios em todos os lugares na internet

Os anunciantes “sabem” o que você deseja comprar, por conta de uma técnica de marketing chamada “Retargeting”. Se você usa o Facebook ou Instagram, certamente já deve ter encontrado anúncios parecidos por lá, né? Isso acontece através dos cookies de internet. Esses cookies (biscoitos) são pequenos dados que os sites pedem para guardar durante sua navegação, eles também estão em todos os lugares até mesmo nos nossos celulares.

Cookies de internet também funcionam em smartphones (Imagem: Unsplash/The Creative Exchange)

Assim, esses dados ficam salvos nos navegadores e os sites sempre pedem permissão para usar esses cookies oferecendo uma experiência mais personalizada. Por exemplo, se você procurar por uma “geladeira” no Google, provavelmente você será direcionado várias vezes a propagandas de “geladeira” que o Google Ads (ferramenta de anúncios do Google) acredita ser interessante para você.

Anúncios personalizados aparecendo no Facebook usando dados de Cookies (Captura: Canaltech/Felipe Freitas)

Desse jeito, quando o assunto são anúncios, os algoritmos da internet funcionam como sistemas que apresentam várias alternativas de produtos e serviços nas redes sociais. Então, não se assuste! Às vezes eles costumam ser muito certeiros nas recomendações, mas, na verdade, eles usam apenas dados de pesquisa que você já permitiu aos sites, tá?

Gostou dessa matéria? Compartilhe essa dica com seus amigos!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.