Apple estaria trabalhando em buscador próprio para não depender mais do Google

Por Felipe Junqueira | 27 de Agosto de 2020 às 13h43
Caio/Pexels
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Mais uma vez surgem rumores de que a Apple pode desenvolver o próprio sistema de buscas para não depender mais do Google. Desta vez, o site Coywolf listou uma série de razões para defender esta teoria, e talvez o sinal mais forte seja o esforço europeu para reduzir práticas anticompetitivas.

“O acordo entre Apple e Google pode chegar ao fim em breve. Em julho de 2020, a Reuters reportou que a autoridade de defesa da competição do Reino Unido está de olho no acordo”, escreveu Jon Henshaw. “Se os reguladores britânicos tomarem ação, pode haver um efeito cascata na União Europeia, que tem um histórico de perseguir o Google por comportamento anti-competitivo”, explicou.

Por isso, é bastante provável, defende a publicação, que a Apple já esteja se adiantando a uma possível exigência de países europeus para que o Google não seja mais o buscador padrão no Safari e em outros apps de iOS, iPadOS e macOS. Dito isso, haveria sinais que mostram uma possível movimentação da Maçã nesse sentido. Segundo o site, são eles:

  • A Apple não precisaria do dinheiro do Google;
  • A empresa está investindo dinheiro e recursos em busca;
  • iOS e iPadOS beta não utilizam a busca do Google no Spotlight;
  • A página do AppleBot, rastreador da web da Maçã, foi atualizada recentemente;
  • O AppleBot está rastreando sites.

Acordo entre Google e Apple

Apple pode desenvolver buscador com mais privacidade (Imagem: Reprodução/Coywolf)

Você provavelmente já sabe que o Google paga à Apple para se manter como o buscador padrão nos sistemas da companhia. Em 2018, a Gigante das Buscas teria pago cerca de US$ 9,46 bilhões à Maçã em custo de aquisição de tráfego (TAC). Valor maior do que a própria Apple somou com assinaturas do iCloud e Apple Music.

Não se sabe qual foi a soma paga no ano passado, mas a expectativa é que tenha sido um valor maior. Pode ser que as assinaturas de serviços da Maçã tenham superado o pagamento do TAC, mas de qualquer forma parece um pouco prematuro dizer que a Apple não precisa do dinheiro do Google, apesar de ter se tornado uma empresa de US$ 2 trilhões recentemente.

O primeiro argumento da publicação pode até parecer forçado, mas não podemos dizer o mesmo do restante.

Apple se movimenta para criar mecanismo de busca

Spotilight mostra resultados da web diretamente no iOS 14 (Imagem: Reprodução/Coywolf)

Há sinais de que a Maçã esteja investindo no desenvolvimento de "Apple Search". O próprio Coywolf mostrou que a companhia divulgou vagas na área de engenharia de buscas e as atualizações no rastreamento do AppleBot indicam que a companhia começou a varrer a web para indexar sites, inclusive publicando uma espécie de guia de SEO para webmasters saberem como suas páginas podem ser encontradas pelo sistema.

Por fim,há também a questão do buscador Spotlight, um mecanismo interno dos sistemas da Apple, que no iOS 14 beta passou a mostrar uma lista de sites sobre o assunto pesquisado em vez de resultados da web que levam à busca do Google.

Com um sistema de busca próprio, a Apple pode prometer mais privacidade a seus usuários, além de entregar resultados de busca voltados àquilo que a empresa acredita ser mais útil para eles. De quebra, evita problemas com órgãos reguladores europeus que se esforçam para evitar práticas consideradas anticompetitivas, reduzindo o monopólio do Google no que se refere a buscas — fora a possibilidade de criar uma nova frente de disputa com a rival de Mountain View.

E aí, o que você acha? É plausível que a Apple esteja prestes a abandonar o acordo bilionário que mantém o Google como mecanismo de busca padrão em seus sistemas e apostar em uma solução caseira? Conta aí nos comentários.

Fonte: Coywolf

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.