Anatel aprova vendas de Mi 11, Realme 8 5G e TCL 20 Y no Brasil

Anatel aprova vendas de Mi 11, Realme 8 5G e TCL 20 Y no Brasil

Por Felipe Junqueira | Editado por Wallace Moté | 24 de Maio de 2021 às 13h20
Ivo/Canaltech

Três novos celulares foram homologados pela Anatel e já podem ter a comercialização iniciada no Brasil. E são todos de fabricantes chinesas: Realme 5G, Xiaomi Mi 11 e TCL 20 Y, intermediário, top de linha e básico, respectivamente.

Os modelos da Xiaomi e da TCL estão com o certificado datado de 17 de maio, enquanto do Realme 5G tem data um pouco anterior, do dia 14. Porém, a documentação dos dispositivos só apareceram de fato no sistema nestes últimos dias, entre sexta-feira (21) e segunda (24). Há um quarto novo registro, do Poco F3, que curiosamente já estava à venda nos canais oficiais da Xiaomi no Brasil. O documento data de 18 de maio, mas o aparelho já aparecia no sistema desde 9 de abril.

Nas certificações pedidas pela DL, não há nada além do próprio certificado nos arquivos anexados. Há informações sobre os testes de conexões móveis, que inclui Wi-Fi e as bandas largas 2G, 3G e 4G, acessórios que acompanham, como as baterias e carregadores, e que foram usados no teste, como o fone de ouvido. Não é surpresa que o acessório de áudio não esteja incluso na caixa dos celulares da Xiaomi.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mi 11 está ofiicalmente a caminho do Brasil (Imagem: Ivo/Canaltech)

O Mi 11, caso você não conheça, é um celular topo de linha da Xiaomi com tela AMOLED de 6,81 polegadas com resolução Quad HD e taxa de atualização de 120 Hz, processador Snapdragon 888 e opções de 8/128 GB, 8/256 GB ou 12/256 GB de RAM e armazenamento. Ainda traz conjunto de câmeras triplo com principal de 108 MP, ultra wide de 13 MP e macro de 5 MP, além da frontal de 20 MP. Já roda Android 11 e tem bateria de 4.600 mAh, com carregador de 50 W que, tudo indica, já vem na caixa.

Realme 8 5G

Já o dispositivo da Realme traz bastante arquivo anexado, incluindo o manual e fotos externas. O nome comercial do aparelho não aparece em lugar nenhum, mas é fácil encontrar o celular pelo seu modelo RMX3241 no Google. A homologação foi feita a pedido da mesma empresa que solicitou outros modelos da marca, a New Paths Representação Comercial.

O smartphone será vendido com o carregador e possui bateria de 5.000 mAh e traz carregador de 18 W, de acordo com o certificado, que aponta apenas uma unidade fabril da China como local de produção. Há suporte ao 2G, 3G e 4G brasileiros e Wi-Fi apenas na frequência 2,4 GHz.

Realme 8 5G é pequena evolução do 7 5G, que já está à venda no Brasil (Imagem: Divulgação/Realme)

As especificações do Realme 8 5G incluem tela IPS LCD de 6,5 polegadas com resolução Full HD e taxa de atualização de 90 Hz, plataforma Dimensity 700 5G, da MediaTek e opções de 4/64 GB, 4/128 GB, 6/128 GB e 8/128 GB de memória — das quais possivelmente só a última será vendida oficialmente por aqui. O conjunto de câmeras é triplo com uma principal de 48 MP, macro de 2 Mp e profundidade de 2 MP, além da frontal de 16 MP. O dispositivo já roda Android 11 de fábrica.

TCL 20 Y

Já o modelo mais simples recém-homologado na Anatel é um celular difícil de encontrar por aí. Buscando pelo modelo, dá para achar no site da TCL Iraque e em uma loja da Austrália, mas somente a primeira oferece algumas das especificações do dispositivo. — e nem são tão completas assim.

O modelo tem tela HD de tamanho não informado, utiliza a plataforma MediaTek MTK6762D, cujo nome comercial é Helio A25 e tem oito núcleos Cortex-A53 de até 1,8 GHz, tem 4GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento e traz bateria de 4.000 mAh. Não há muito mais detalhes, mas ao menos ele já roda o Android 11.

Lançamento no Brasil

Ainda não há data para o lançamento de Mi 11, Realme 8 5G ou TCL 20 Y no Brasil. O Poco F3 já está à venda nos canais oficiais da Xiaomi e pode ser encontrado também no varejo, apesar de muitas vezes pelas mãos de importadores que comercializam unidades sem o selo da Anatel e, portanto, sem a garantia de 12 meses da Xiaomi Brasil.

Sempre bom reforçar que a homologação junto à Anatel é um passo necessário para a comercialização oficial no país, mas não garante que um produto será disponibilizado nas lojas brasileiras.

Fonte: InsiraFicha (via)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.