MedTech | As 5 inovações cientificas mais interessantes do mês [09/21]

MedTech | As 5 inovações cientificas mais interessantes do mês [09/21]

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 30 de Setembro de 2021 às 10h40
Twenty20photos/Envato Elements

Neste mês de setembro, houve uma série de inovações científicas, que a curto ou longo prazo, podem representar um verdadeiro avanço para a humanidade, tornando a vida mais fácil, de acordo com o que está ao alcance da tecnologia e da ciência. E como de praxe, o Canaltech traz a lista das cinco inovações mais interessantes do mês. 

Prótese biônica

(Imagem: Reprodução/Cleveland Clinic)

Logo no início de setembro, mais precisamente no dia 2, noticiamos um novo tipo de braço biônico, sob a proposta de oferecer mais qualidade de vida a amputados. Os pesquisadores combinaram controle motor intuitivo, cinestesia de preensão e sensação intuitiva de abrir e fechar a mão para que a pessoa em questão consiga mover o braço biônico de forma intuitiva, com direito a sensações de toque e movimento.

Os participantes do estudo conseguiram executar tarefas com o mesmo grau de precisão de pessoas não amputadas.  Por meio da ajuda de pequenos robôs nos músculos com receptores sensoriais cinestésicos, os pacientes conseguiram sentir que as mãos e braços estavam se mexendo. A ideia agora é passar por mais testes.

Curativo de açafrão

(Imagem: Paulo Chagas/Embrapa)

E que tal um curativo criado a partir de açafrão protege contra bactérias e inflamação? No dia 15, o Canaltech trouxe à tona um projeto de cientistas da cidade de São Carlos, em São Paulo, que combinaram materiais biodegradáveis com curcumina, uma substância retirada do açafrão-da-terra que conta com propriedades medicinais, atividade bactericida, antioxidantes e anti-inflamatórias. Ao realizar testes, os pesquisadores perceberam que o curativo evitou a entrada de bactérias no organismo por cerca de dez dias.

Chips em cérebros de roedores

(Imagem: riccardo ragione/Unsplash)

No dia 22, noticiamos um novo estudo da Universidade de Brown (EUA), que tinha o objetivo de entender o cérebro humano. Trata-se, basicamente, de microchips bem pequenos (do tamanho de um grão de sal), projetados para se espalhar pela superfície do cérebro. A partir desses sensores, o grupo conseguiu registrar a atividade cortical de roedores. O próximo passo desse estudo é testar os chips em roedores acordados, e posteriormente, em macacos. 

Neurônios impressos em 3D

(Imagem: Raman Oza/Pixabay)

No dia 23, foi a vez de entendermos o quão longe a impressão 3D chegou: pesquisadores da Concordia University (Canadá) conseguiram criar neurônios "vivos" e funcionais a partir dessa técnica. A maioria desses neurônios sobreviveu por mais de dois dias depois de serem impressos, o que os torna ferramentas viáveis ​​para pesquisas pré-clínicas.  A equipe espera que suas células cerebrais impressas em 3D ajudem melhorando a pesquisa médica. O objetivo é substituir modelos animais por novos testes farmacêuticos, eventualmente imprimindo e experimentando em neurônios humanos.

Vaso sanitário inteligente com câmera

(Imagem: Vladdeep/Envato)

Para encerrar nossa lista, que tal um vaso sanitário inteligente que usa câmera para reconhecer a "impressão anal" das pessoas? O projeto, desenvolvido por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford (EUA) e noticiado no Canaltech no último dia 25, é capaz de analisar amostras de fezes e urina das pessoas e utilizar algoritmos de aprendizado de máquina para identificar quem fez. Isso é possível por meio de uma análise de características únicas da anoderme, a pele que reveste o ânus, o que depende da instalação de uma câmera. O mecanismo é ativado por meio do sensor de pressão, que reconhece quando alguém está sentado no vaso.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.