Prótese biônica promete movimentos e sensações naturais em amputados; veja

Prótese biônica promete movimentos e sensações naturais em amputados; veja

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 02 de Setembro de 2021 às 14h43
Cleveland Clinic

Pesquisadores norte-americanos acabam de apresentar os resultados de experimentos com um novo tipo de braço biônico, que promete oferecer mais qualidade de vida a amputados. Com a prótese, a promessa é que os pacientes possam pensar, se comportar e agir como uma pessoa sem amputação. 

Para chegar no resultado, os cientistas combinaram três funções importantes no projeto: controle motor intuitivo, cinestesia de preensão e toque, e sensação intuitiva de abrir e fechar a mão. Com isso, a pessoa consegue mover o braço biônico de uma forma mais intuitiva, ao mesmo tempo em que consegue ter sensações de toque e movimento.

Imagem: Reprodução/Cleveland Clinic

"Essas descobertas são um passo importante para entregar às pessoas com amputação uma restauração completa da função natural do braço", conta Paul Marasco, professor e líder da pesquisa. A prótese é a primeira que testa as três funções sensoriais e motoras em um braço protético com interface neural, sendo conectado aos nervos do membro perdido. Com isso, os pacientes enviam pulsos nervosos ao cérebro para o movimento.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Nos testes, realizados em duas pessoas com amputações dos membros superiores, foi possível executar tarefas com o mesmo grau de precisão de pessoas não amputadas. "Com o novo membro biônico, as pessoas se comportaram como se tivessem uma mão natural", explica Marasco. "Normalmente, esses comportamentos cerebrais são bem diferentes entre pessoas com e sem próteses do membro superior", completa.

Imagem: Reprodução/Cleveland Clinic

Antes de passarem pelos testes, os participantes passaram por procedimentos de reinervação sensorial e motora para o funcionamento da interface que conecta o cérebro e a máquina. Através da reinervação sensorial direcionada, é gerada a sensação do toque, e com a reinervação motora direcionada, os músculos se comunicam com a prótese para o movimento. Com a ajuda de pequenos robôs nos músculos com receptores sensoriais cinestésicos, os pacientes conseguiram sentir que as mãos e braços estavam se mexendo.

A pesquisa ainda precisa passar por mais testes, mas os cientistas esperam que a prótese ofereça uma chance para que amputados consigam fazer as tarefas do dia a dia com mais naturalidade, sem pensar que estão usando um braço biônico. Você pode conferir o estudo na revista científica Science Robotics

Fonte: TechXplore

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.