Publicidade

Donald Trump enfim lança a Truth Social, sua própria rede social

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 21 de Fevereiro de 2022 às 09h27

Link copiado!

Gage Skidmore/Flickr
Gage Skidmore/Flickr
Donald Trump

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump lançou a rede social Truth Social nesta segunda-feira (21) na App Store. Anunciada no ano passado e já envolvida em polêmicas, a plataforma diz que pretende contornar o que chama de “tirania das Big Tech” seguindo uma fórmula parecida com a do Twitter.

No lugar de tuítes, usuários da Truth postam “verdades” (do inglês, “truths”) e podem compartilhar as falas uns dos outros no feed, tal qual fariam com retuítes. Os recursos-chave da plataforma, segundo a descrição na App Store, seriam a página de perfil, o “Truth Feed”, a barra de pesquisa e as notificações.

Continua após a publicidade

A Truth Social está disponível para download no iPhone, mas usuários relatam problemas no cadastramento. Além disso, provavelmente para evitar uma enxurrada de acessos, a plataforma tem uma fila de espera na qual já estariam aguardando 85 mil usuários — segundo um print compartilhado no Twitter.

As polêmicas da Truth Social

No ano passado, quando foi liberada para experimentação por parte do público, a Truth Social enfrentou perfis falsos que se passavam por Donald Trump e acusações de uso indevido de um código aberto, aparentemente derivado do Mastodon, site estilo Twitter lançado em 2016.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Na época, a Software Freedom Conservancy (SFC) exigiu que a Truth Social tivesse o código-fonte exposto, algo que é uma das exigências das licenças de redistribuição do projeto original. Confirmando a acusação, a rede social disponibilizou o download da estrutura da plataforma num arquivo compactado numa seção do site.

Perguntas ainda sem resposta

Não se sabe como a Truth Social lidará com a moderação de conteúdo, mas esse é um tópico delicado após a comoção criada pelo Parler — removido da App Store, da Play Store e do Amazon Web Services após possível envolvimento com a invasão ao Capitólio, no início do ano passado. Porém, se não andar na linha, a rede social de Trump corre o risco de também ser removida das lojas de apps.

Futuramente, a plataforma terá uma seção para mensagens diretas e uma política mais aberta para verificação de perfis, revelou um executivo do app aos usuários experimentais. Atualmente, o site oficial nega acesso de novos usuários, talvez para evitar ataques de negação de serviço (DDoS), e o app não está disponível para Android.

Continua após a publicidade

Fonte: Engadget, The Next Web