Rede social de Donald Trump é acusada de violar licenças de código aberto

Rede social de Donald Trump é acusada de violar licenças de código aberto

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Outubro de 2021 às 17h09
Reprodução/TRUTH Social

A rede social do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump nem começou e já cria problemas por aí: a Software Freedom Conservancy (SFC), uma organização sem fins lucrativos que dá suporte para projetos de software livre, acusa o empresário de violar licenças da rede social descentralizada Mastodon.

A Trump Media e Technology Group, empresa por trás da TRUTH Social, tem 30 dias para se adequar aos termos determinados pela licença ou terá o acesso a ela suspenso — se desrespeitado, o caso pode parar na justiça. A rede social do ex-presidente promete ser um espaço de comunicação “aberto, livre e sem discriminação”, conceito semelhante ao adotado pelo app Parler.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Tretas antes do lançamento

As primeiras descobertas foram feitas por curiosos que conseguiram entrar e criar contas na rede social de Trump, ainda indisponível para o grande público. Notou-se a partir dos prints compartilhados na web que a plataforma é basicamente uma ramificação da Mastodon, site estilo Twitter que surgiu em 2016. A relação também foi flagrada em partes não polidas pela equipe do ex-presidente, como em mensagens de erro que ainda constam a mascote do projeto original.

“A licença propositalmente trata a todos da mesma forma (até mesmo as pessoas de quem não gostamos ou com as quais não concordamos), mas elas devem operar sob as mesmas regras das licenças copyleft que se aplicam a todos os outros”, explica o colaborador da SFC Bradley Kuhn. A TRUTH Social indica, inclusive, que o código da rede é “proprietário”.

Interface da TRUTH Social se parece com o Twitter em seus primeiros dias (Imagem: Reprodução/Drew Harwell)

Para solucionar o impasse e evitar que o caso medidas litigiosas, a SFC exige que a TRUTH Social tenha seu código exposto. “Estaremos acompanhando a questão de muito perto e exigindo que o TMTG forneça a fonte correspondente a todos os que usam o site”, afirma Kuhn.

Começo conturbado

A rede social de Donald Trump ainda não foi lançada para todos, mas já é alvo de ataques. Usuários conseguiram encontrar endereços experimentais da plataforma e fazer os mais diversos tipos de testes por lá, incluindo o registro de um usuário com o nome @donaldjtrump, usando-o para realizar publicações falsas.

Nem mesmo a troca do domínio de testes conseguiu amenizar o ataque, já que usuários logo conseguiram encontrar o link alternativo. Desde então, a rede continua infestada de pessoas nada satisfeitas com a ideia de Donald Trump, que compartilham e interagem com as publicações falsas a todo instante.

A plataforma começará a funcionar a partir de novembro apenas com convidados, mas o lançamento para o público geral é previsto para o primeiro trimestre de 2022. Considerando que a TRUTH Social já não está em boas condições de segurança, é provável que outras ondas de ataques persistam — talvez, até que a rede caia no esquecimento.

Fonte: The Verge, SFC, Drew Harwell  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.