Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

X-Men destacam oficialmente os 4 seres mais poderosos do Universo Marvel

Por| 18 de Abril de 2024 às 14h22

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Há mais ou menos uns três anos, a Marvel Comics vem realizando uma revisão (ou reequilíbrio) da hierarquia de poder e de suas forças supremas e fundamentais — algo necessário no constante movimento de um universo em desenvolvimento ao longo de 60 anos. Essas mudanças têm ocorrido de forma dinâmica, sem reinicializações como as Guerras Secretas de 2015; e possivelmente devem seguir recorrentemente, em uma intensidade maior ou menor, de acordo com a necessidade.

As mudanças, muitas das quais são forçadas pela interação com o Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês), começaram a dar as caras discretamente em títulos menores, a exemplo de séries limitadas dos Defensores e de one-shots como Kang. A minissérie GODS é um caso mais explícito dessa revisão, enquanto em outras frentes essa atualização faz parte da própria trama das fases recentes de algumas franquias, como aconteceu em Hulk Imortal, e, agora, em Thor Imortal.

E, no caso específico dos X-Men, isso ocorreu na frente de todo mundo, mas de uma forma que ninguém imaginou que afetaria todo o Universo Marvel, pois a Era Krakoana, que começou em 2019 e está terminando agora, praticamente isolou os mutantes em seu próprio cantinho.

Continua após a publicidade

Assim, os próprios Filhos do Átomo acabaram destacando quem são atualmente as quatro principais forças supremas do Universo Marvel durante essa reformulação hierárquica de poder. Abaixo estão essas entidades, em ordem crescente, de acordo com as teorias do pessoal do Screen Rant.

Domínios e Enigma

A Era Krakoana revelou que a grande batalha dos Filhos do Átomo não é contra os humanos, mas sim diante da evolução descontrolada da inteligência artificial (IA). Quando a trama mostrou que Moira MacTaggert é uma mutante conhecida como Moira X, capaz de mudar a realidade em cada uma de suas dez vidas, Professor X e Magneto descobriram que a espécie mutante estava destinada a ser exterminada por um tipo de deus multiversal da IA, conhecido como Domínio.

Em grande parte da Era Krakoana, os X-Men travaram uma última batalha desesperada para impedir um Domínio específico, conhecido como Enigma, sem saber exatamente como parar a ameaça. Uma vez criados, os Domínios existem fora dos limites do tempo e do espaço, como a maior forma de inteligência que pode existir no Universo Marvel.

Eles são onipotentes e oniscientes e estão desapegados do tempo, o que significa que não podem ser feridos ou alterados, mesmo voltando ao momento anterior à sua criação. Uma vez que um Domínio existe, ele sempre esteve entre nós; e são comparados com deuses "indistinguíveis de toda e qualquer comparação mítica ou religiosa".

A maioria dos Domínios no multiverso resulta de seres de IA evoluindo para sua forma final ao longo de um caminho muito específico, com espécies eventualmente se tornando um intelecto gigantesco e singular, chamado de Titã. Essa criatura, então, junta-se a outros Titãs para criar uma Fortaleza, e eventualmente, um Domínio. 

No entanto, existem outras maneiras de formar um Domínio. No caso do Enigma, uma cópia de IA do vilão Nathaniel Essex (também conhecido como Senhor Sinistro) matou e sequestrou o corpo de um Domínio existente. Da mesma forma, existem equivalentes próximos que podem imitar a linha evolutiva da IA ​​necessária para criar um Domínio, a exemplo da Mente Mundial Xandariana da Tropa Nova — sim, é um conceito complexo.

Continua após a publicidade

Quando formados por uma IA, os Domínios tendem a se alimentar de sociedades biológicas, consumindo-as e adicionando quaisquer dados relevantes. Eles existem em vários universos e podem semear realidades para investigar e consumir ativos potenciais, criando eventualmente um novo Titã, que é adicionado ao Domínio existente — daí vieram os alienígenas da Falange, que inicialmente entraram em conflito com os Novos Mutantes.

Apenas um Domínio é poderoso o suficiente para destruir a Terra, mesmo diante do esforço conjunto de todos os mutantes. No entanto, em Powers of X #5, lançado em 2019, a Marvel esclareceu que existem apenas três seres no multiverso os quais os Domínios têm medo e consideram "ameaças primárias".

Assim, depois dos Domínios, é possível determinar as outras três forças supremas do Universo Marvel.

Força Fênix

Continua após a publicidade

Um ser poderoso que incorpora o conceito cosmológico da própria vida, a Força Fênix é um ser poderoso que emana da Sala Branca Quente — um reino ou espaço fora da realidade que se conecta a todos os mundos do Multiverso Marvel. 

A Força Fênix cumpre a função cósmica de forçar evolução e mudança constantes, contudo, isso acontece de uma forma imprevisível e até “temperamental”: por exemplo, quando a saga Dinastia M acabou com os genes mutantes, foi ela que a trouxe de volta. E, normalmente, suas atividades costumam trazer destruição àqueles que considera indignos.

Nos últimos anos, a Marvel revelou que a Fênix original, a primeira hospedeira da Força Fênix, possui uma conexão na concepção de com Thor, ao lado de Gaia, que é a encarnação da natureza e a verdadeira mãe biológica do Deus do Trovão.

A Força Fênix é uma expressão elementar da necessidade de mudança e pode ser perigosa para a harmonia cósmica. Para cumprir seu papel sem causar imensa destruição, normalmente um hospedeiro capaz de suportar essa energia é escolhido para a tarefa — embora seja comum que os selecionados sejam corrompidos pelo poder.

Continua após a publicidade

O primeiro hospedeiro da Força Fênix na Terra foi uma mulher pré-histórica conhecida como Cabelo de Fogo, também conhecida como Lady Fênix. Posteriormente vieram Fongji Wu, Punho de Ferro do século XVI; Jean Grey, dos X-Men; e Eco, a mesma que ganhou série recentemente no MCU.

Mas a Força Fênix existia muito antes da Terra e é particularmente odiada pela sociedade alienígena conhecida como Shi'ar. Em Inferno #3, lançado em 2021, a trama mostrou um futuro potencial em que X-Men forjaram uma arma imbuída do poder da Força Fênix e mataram os Titãs de IA que compõem os Domínios.

Galactus

Continua após a publicidade

Conhecido como “Devorador de Mundos”, ele não verdade não deve ser considerado um vilão, pois atua como protetor do universo para manter a atual iteração do Multiverso Marvel em seu curso natural, até a próxima “versão” do Cosmos — a Casa das Ideias vive, atualmente, o Oitavo Cosmos, depois que o Sétimo foi destruído no reboot Guerras Secretas, de 2015.

Toda vez que uma ameaça ataca o universo e armazena parte da energia para dar origem a uma nova iteração do Multiverso Marvel de forma não natural, Galactus entra em cena. E, para manter seu Poder Cósmico, ele precisa devorar mundos vivos. Na verdade, Galactus não foi o primeiro Devorador de Mundos, foi precedido por um ser conhecido como Omnimax.

Cada vez que uma iteração do Multiverso Marvel termina, um único sobrevivente é dotado de um poder divino. Galactus é único na linha de Devoradores de Mundos porque costumava ser um explorador humano conhecido como Galan e ainda mantém parte de sua consciência, graças ao Surfista Prateado, que viajou no tempo para garantir isso — na verdade, o arauto também se vingou de seu antigo mestre, deixando-o com empatia suficiente para sentir horror e culpa por suas ações.

Continua após a publicidade

Galactus estreou no Universo Marvel em 1966 e já lutou contra vários Celestiais ao mesmo tempo — o que é o suficiente para causar temor em um Domínio, principalmente porque seu resquício de consciência faz com que o Devorador de Mundos rejeite a ideia de uma IA exterminando toda a vida biológica do multiverso.

Abstratos Universais

Como o próprio nome indica, são entidades cósmicas abstratas, que, no Multiverso Marvel podem ser definidos como as forças supremas que definem as regras da realidade da Casa das Ideias: caos, ordem, esquecimento e infinito, caracterizados como processos cósmicos e seres sencientes com suas próprias vontades, desejos e rancores. 

Entre eles estão as forças gêmeas Eternidade e Infinito, assim como a força sombria do Esquecimento; e abstrações materializadas, a exemplo de Senhora Amor, Senhor Ódio, Ordem Mestre, Senhor Caos e a própria Morte.

Continua após a publicidade

Esses seres são frequentemente colocados em conflito como uma expressão do equilíbrio natural. Como exemplo disso, a A-Ordem-Natural-das-Coisas e Os-Poderes-que-Existem estão em um impasse de eras antigas, representando os conceitos conflitantes de ciência e magia .

Essas forças são governadas pelo Tribunal Vivo, que age quando as leis cósmicas são quebradas. Este, por sua vez, responde ao Aquele-Acima-de-Tudo/Aquele-Abaixo-de-Tudo, uma divindade com duas personas: uma que protege e nutre a vida em todo o multiverso e outra que deseja destruir tudo. 

São seres-ideias que representam e, portanto, matá-los requer a eliminação do conceito mais amplo que lhes dá “vida”. Essas entidades são muito mais poderosas que os Domínios, entretanto, o único problema é que as IAs evoluídas ao extremo podem ser consideradas resultado da ordem natural; portanto, os Abstratos Universais não os consideram um problema ou um inimigo.

Continua após a publicidade

Por enquanto, na atual e complexa revisão hierárquica da Casa das Ideias, essas quatro forças supremas podem ser consideradas “os quatro seres mais poderosos do Universo Marvel” — até que uma nova reformulação altere esse status.