O Xbox Series X vale a pena? Comparamos com o Series S e Cloud Gaming

O Xbox Series X vale a pena? Comparamos com o Series S e Cloud Gaming

Por Diego Sousa | Editado por Léo Müller | 22 de Dezembro de 2021 às 11h12
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Eu poderia começar esta matéria respondendo um simples “sim, vale a pena apostar no Xbox Series X”, mas não é bem assim. O console mais potente da Microsoft para a nova geração tem suas inúmeras qualidades, mas há alguns pontos que devem ser considerados antes de gastar R$ 4.999.

Meu colega Jones Oliveira já fez uma análise completa do Xbox Series X, portanto o foco, aqui, não é fazer um novo review. O recorte é sobre alguns “empecilhos” — se é que podemos chamar assim — e características que podem te afastar ou aproximar do console mais potente.

Antes de começarmos, lembro que, se você se interessar por algum dos modelos e serviços citados nesse artigo, deixaremos links de compra confiáveis para você aproveitar. Vamos nessa?

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Xbox Series X: o mais poderoso, mas a um custo alto

Não é novidade que o Xbox Series X é o console mais poderoso desta nova geração ao lado do PlayStation 5. SSD NVMe de 1 TB, processador equivalente ao poderoso Ryzen 7 3700X para PCs, 16 GB de RAM, 12 TFLOPs de poder de fogo, tudo isso e mais um pouco rodando para oferecer conteúdos em 4K a 120 quadros por segundo (fps).

Parece incrível — e realmente é —, mas todo esse desempenho tem um grande preço: cerca de R$ 5.000 em diversos varejistas brasileiros. A principal pergunta: vale a pena pagar esse valor em um console tão potente só para jogar os títulos desta nova geração?

O Xbox Series X é o console mais potente da nova geração ao lado do PlayStation 5 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Isso porque a própria Microsoft possui alternativas mais “acessíveis” para quem procura jogar os títulos mais recentes sem gastar muito. Uma delas é o Xbox Series S, versão mais simples do console da marca. Já o xCloud é o serviço de streaming de jogos no qual é possível aproveitar os games mais recentes através da nuvem.

Mas, afinal, o que se perde e ganha apostando nessas soluções menos caras? Decidi preparar esta matéria responder a esses e outras perguntas!

Xbox Series S: o mais acessível da nova geração

Eu venho testando o Xbox Series S há algumas semanas e já posso cravar que ele é o console ideal para você neste início de nova geração.

Em um cenário no qual ainda não se tem tantos jogos exclusivos, ou até mesmo que não rodam em 4K/120 fps, o Series S chega para oferecer ótimo desempenho em todos os games atuais por um preço que pode ser até duas vezes menor que o seu irmão mais potente.

Obviamente, o corte preço de quase 50% do Xbox Series S precisa estar em algum lugar. Talvez o principal downgrade do console esteja na resolução máxima, que pode chegar a “apenas” 1440p, também conhecido como Quad HD, enquanto o Series X alcança o 4K.

O Xbox Series S é menor e menos potente que o Series X, porém é ainda mais barato (Imagem: Ivo/Canaltech)

Além disso, o Series S perde quando o assunto é Ray Tracing e HDR. No entanto, pelo menos durante o período em que eu fiquei com os dois consoles não percebi uma diferença muito significativa na qualidade em jogos como Control e Forza Horizon 5, com exceção de algumas sombras e texturas aqui e ali.

Por ser bem menor que o Series X em tamanho, o Series S também não traz leitor de discos Blu-ray. Particularmente, a ausência não fez falta para mim porque não tenho jogos em mídia física ou discos Blu-ray em casa. Mas é algo que você precisa considerar antes de comprá-lo.

Outra diferença que eu considero importante entre os dois é a capacidade de armazenamento. O Series S tem 512 GB, enquanto o Series X, 1 TB. Basicamente, no modelo mais simples, você terá que gerenciar melhor a sua biblioteca, já que não poderá deixar todos os jogos instalados.

No geral, no entanto, adorei a proposta do Xbox Series S. Ele representa uma ótima evolução em desempenho em relação ao Xbox One X, da geração passada, mesmo custando basicamente o mesmo valor.

Isso fica claro nos tempos de carregamento graças à inclusão de um SSD NVME, além da performance geral do sistema e dos jogos.

Um último recurso muito bem-vindo do Series S é o Quick Resume, que permite trocar de jogo sem precisar reiniciá-los. Ele aguenta até três jogos nesse modo, que, para mim, já é mais que suficiente — o Series X suporta até cinco jogos.

Xbox Cloud Gaming: jogos da nova geração na nuvem

Outra forma de aproveitar os jogos da nova geração é com o Xbox Cloud Gaming, serviço de streaming de games da Microsoft. Com ele você pode jogar em computadores, smartphones, tablets e, futuramente — pelo menos aqui no Brasil —, pelos próprios consoles, incluindo os da geração passada.

A ideia do Xbox Cloud Gaming é basicamente permitir que o usuário jogue alguns títulos mais recentes mesmo sem ter um console da nova geração. Você só precisa ser assinante do Xbox Game Pass Ultimate, que custa R$ 45, e ter uma internet boa para ter jogos sem travamentos ou alta latência.

O Cloud Gaming permite rodar os jogos da nova geração em celulares e tablets (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Diferentemente do Xbox Series X, que roda jogos em até 4K a 120 fps, o Cloud Gaming funciona em resolução Full HD a até 60 fps.

Mesmo assim, a promessa é de tempos de carregamento reduzidos, frame rates melhores, gráficos mais definidos e inteligência artificial mais poderosa, por funcionar através de hardwares personalizados do Xbox Series X em servidores da Azure.

Vale mencionar, também, que a Microsoft confirmou a disponibilização do Cloud Gaming para consoles. Isso quer dizer que, caso você ainda tenha um Xbox One, por exemplo, ainda poderá jogar os títulos mais recentes em Full HD a 60 fps.

Xbox Series X vale a pena?

Na minha opinião, não vale a pena comprar o Xbox Series X no momento ao ter o Series S custando até duas vezes menos.

Os cortes no projeto do Xbox Series S fazem dele um console muito mais acessível e que deve preencher mais as casas dos consumidores.

Não se importa muito com gráficos em 4K? Compre o Series S, que roda a maioria dos jogos em resolução Full HD e alguns até em Quad HD. Você não vai perder muito na qualidade de imagem.

Se você não pretende comprar jogos em mídia física, o Series S também acaba fazendo mais sentido. Eu só ficaria de olho na sua capacidade armazenamento, já que 512 GB não é muito grande para armazenar muitos jogos — jogadores de Call of Duty: Warzone, estou falando com vocês.

Importante mencionar, por fim, que, independentemente do console, você terá que comprar uma TV com entrada HDMI 2.1 para habilitar os 120 fps. A entrada está disponível apenas em modelos mais recentes.

Você também pode conectá-lo a sua TV com entrada HDMI 2.0, porém a taxa de quadros fica limitada a apenas 60 fps.

E aí, esse artigo ajudou você a decidir entre o Xbox Series X e o Series S? E o Xbox Cloud Gaming, já testou? Conte-nos nas nossas redes sociais!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.