Review Poco F4 GT | O melhor celular gamer barato de 2022

Por Ramalho Lima (Maldditu Xavier) | Editado por Léo Müller | 25 de Julho de 2022 às 17h07
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

A Poco se destacou no segmento de smartphones por inundar o mercado com os chamados "flagship killers”. No caso do Poco F4 GT, o celular continua com câmeras com qualidade abaixo de outros de seus recursos. Esta é uma característica comum quando falamos de smartphones voltados para gamers.

No entanto, desta vez, temos um celular Poco com desempenho geral mais homogêneo. Se as câmeras do Poco F4 GT não são excelentes, elas também não podem ser consideradas um mero quebra-galho, como eram em modelos anteriores.

Sendo assim, será que vale a pena investir em um celular com chipset topo de linha, mas que pode desapontar em outros quesitos? Se você quiser a resposta para esta pergunta, acompanhe minha análise sobre o Poco F4 GT.

Prós

  • Preço bom
  • Design premium
  • Chipset de alto desempenho
  • Botões físicos para jogos
  • Tela AMOLED, com 120 Hz e HDR+
  • Som estéreo de boa qualidade
  • Carregamento ultrarrápido de 120 W

Contras

  • Bateria poderia ser maior
  • Sem entrada para fones de ouvido
  • Sem slot para microSD
  • Sem proteção contra água ou poeira

Design e construção

O design do Poco F4 GT traz algumas semelhanças com o do Poco F3 GT, lançado em 2021. E se o aparelho da geração anterior tinha um ótimo visual, o mais recente também não faz feio. O aparelho é disponibilizado em três cores: prata, preto e amarelo. Eu testei o modelo prata e fiquei impressionado com a beleza do celular, cuja traseira possui uma linha central espelhada.

  • Dimensões: 162.5 x 76.7 x 8.5 mm;
  • Peso: 210 gramas.
O Poco F4 GT tem pegada firme, com ótimo aproveitamento de tela. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

O Poco F4 GT tem traseira de vidro, sendo que na frente sua tela é protegida pelo Gorilla Glass Victus. O aparelho tem moldura de alumínio, que combina perfeitamente com a cor prata do modelo que testei.

Sua tela tem proporção 20:9 e um furo central na parte superior, que abriga a lente da câmera frontal. O módulo de câmeras triplas, situado na traseira, é bem desenhado, sendo ao mesmo tempo elegante e discreto.

Falando sobre os botões, o de volume fica do lado esquerdo do aparelho, junto com o slot para dois chips SIM e um microfone. Na parte de cima, temos outro microfone, o emissor de infravermelho e dois alto-falantes. Do lado direito, temos o botão liga/desliga (com leitor biométrico embutido) e dois botões magnéticos pop-up, que servem como atalhos rápidos para recursos configurados pelo usuário, mas também podem ser usados como botões dedicados em jogos.

Esses gatilhos magnéticos podem ser retraídos quando não estiverem em uso. Na parte de baixo, temos mais dois alto-falantes, um terceiro microfone e a entrada USB-C para carregamento.

Na parte de construção, o Poco F4 GT tem três pontos fracos. Ao contrário do modelo anterior, ele não conta com nenhuma proteção contra água ou poeira. E, considerando que ele é um aparelho gamer, faltam também a entrada de 3,5 mm para fones de ouvido e o suporte para cartões de memória.

O celular traz um adaptador USB-C para fones de ouvido, mas alguns “hard gamers” ainda preferem a conexão nativa de 3,5 mm. Caso o usuário perca este adaptador, pode ser que um comprado à parte não funcione adequadamente, tanto na questão da qualidade sonora quanto da latência.

Outra baixa é que, mesmo a variante com 256 GB pode não ter tanto espaço assim para jogos, pois já temos títulos que ocupam facilmente mais de 10 GB de armazenamento do aparelho.

O Poco F4 GT tem design premium, com identidade própria, que entrega beleza e robustez. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

"O Poco F4 GT é um excelente smartphone gamer com preço acessível. Seu design impressiona pela beleza e sofisticação, e consegue agradar tanto a usuários mais jovens quanto usuários que curtem celulares com visual mais discreto"

— Ramalho Lima (Maldditu Xavier)

Tela

O Poco F4 GT tem uma belíssima tela AMOLED de 6,67 polegadas, com 1 bilhão de cores, HDR+, atualização de 120 Hz e amostragem de 480 Hz. Enquanto que a atualização serve para deixar as animações mais fluidas, a amostragem da tela serve para responder com mais rapidez aos toques (comandos). Neste sentido, quanto maior, melhor.

  • Tamanho: 6,67 polegadas, 107,4 cm² de área, ~86,2% de ocupação;
  • Tecnologia do painel: AMOLED;
  • Resolução e proporção: Full HD+ (1080 x 2400 pixels), 20:9;
  • Densidade aproximada: 395 pixels por polegada;
  • Extras: 120 Hz, 480 Hz, HDR+.

A qualidade da tela do celular é excelente para todo tipo de conteúdo: fotos, vídeos e jogos. Ela chegou a bater de frente com a tela do Galaxy Note20 Ultra, mostrando até mesmo contraste superior. O nível de brilho também é muito bom, mesmo em dias ensolarados. Já o brilho mínimo deixa a tela bastante escura, o que é confortável em determinadas situações.

A tela AMOLED do Poco F4 GT é um de seus destaques. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

O usuário pode optar por duas taxas de atualização, 60 Hz e 120 Hz, mas não fica claro se a taxa mais alta é adaptável. No entanto, eu suponho que seja sim, a fim de poupar bateria.

Configuração e desempenho

Assim como os principais modelos Poco anteriores, o Poco F4 GT é equipado com o melhor chipset Android do mercado (na data de seu lançamento), o Snapdragon 8 Gen 1. O aparelho possui duas variantes: com 8/128 GB e 12/256 GB. Eu testei o modelo com mais memória RAM e armazenamento e comprovo que o celular é realmente muito potente.

  • Sistema operacional: Android 12 e MIUI 13
  • Plataforma: Qualcomm Snapdragon 8 Gen 1 5G (4 nm);
  • Processador: Octa-core (1x 3.00 GHz Cortex-X2 + 3x 2.50 GHz Cortex-A710 + 4x 1.80 GHz Cortex-A510);
  • GPU: Adreno 730;
  • RAM e armazenamento: 8/128 GB e 12/256 GB.

Quando falamos de desempenho, temos que ir além do poder de processamento bruto. Digo isso porque, comparado o supracitado Note20 Ultra, o Poco F4 GT oferece praticamente a mesma experiência de uso no dia a dia, sendo que o celular da Samsung usa o chipset Exynos 990, que é pouco eficiente.

Em outras palavras, o Poco F4 GT consegue entregar muito mais desempenho, só que consumindo muito menos energia. Embora os dois celulares abram aplicativos com a mesma rapidez, em tarefas mais pesadas o Poco certamente supera o Samsung.

O Poco F4 GT está entre os celulares mais rápidos do mercado em 2022. (Imagem: Maldditu Xavier/Canaltech)

Umas das tarefas mais chatas em celulares Android é a atualização de aplicativos: demora para baixar e para instalar, mesmo que você tenha conexão acima de 500 Mbps. Já no Poco F4 GT, essa tarefa é executada com muita rapidez.

Sobre jogos, eu testei o aparelho jogando Asphalt 9 por uma hora, com qualidade gráfica no máximo. Não houve engasgo em nenhum momento sequer.

O celular esquentou um pouco, mas nada considerado anormal. Percebi que o sistema de resfriamento líquido do smartphone funciona bem, espalhando o calor por todo o corpo do aparelho, o que ajuda o usuário a suportar temperaturas mais altas. No mais, o dispositivo dá conta de qualquer game da Play Store, mesmo na configuração mais pesada.

O Poco F4 GT é um celular extremamente ágil, e que mostra sua força em tarefas onde o Android se mostra mais lento, como na instalação e remoção de aplicativos, entre outras. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Falando de conectividade, o Poco F4 GT já está preparado para redes 5G, assim como para redes Wi-Fi 6. Há também Bluetooth 5.2, emissor de infravermelho e NFC, para pagamentos por aproximação.

Usabilidade

Assim que peguei o Poco F4 GT já atualizei tudo o que tinha para atualizar. Durante meus testes, estava rodando a MIUI 13.0.6 sobre o Android 12. O celular já vem com vários apps instalados, entre as redes sociais mais populares, diversos serviços da Google, o Game Turbo (gerenciador de jogos), entre outros.

Como alguém que só usou Samsung a vida toda, eu fiquei um pouco perdido usando a MIUI de início. Porém, logo me acostumei com as duas abas superiores, a de notificações e a de atalhos para controles rápidos do celular.

A MIUI 13 conta com atalhos rápidos para habilitar serviços do aparelho e reduzir/aumentar o brilho e o volume. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Ao arrastar na tela para a direita, surge um serviço de notícias da Google, semelhante ao que temos em modelos da Samsung. O ponto negativo é que eu não vi uma forma de configurar este serviço para mostrar conteúdo relevante para o usuário.

Ao tentar explorá-lo, eu dei de cara com notícias sobre “famosos” que eu nunca ouvi falar. Nos aparelhos da sul-coreana, no entanto, este recurso é desenvolvido pela própria fabricante, e é personalizável.

Apesar disso, MIUI 13 é cheia de recursos, e traz várias opções de personalização. O usuário consegue atribuir até dois atalhos para cada botão de gatilho pop-up, sendo que eles também são usados em jogos.

Eu não consegui descobrir quantas atualizações do Android o Poco F4 GT vai receber, mas considerando que ele sai de fábrica com a versão 12 do SO da Google, é esperado que ele receba ao menos a versão 13 do sistema, além de mais uns dois anos de atualizações de segurança.

Câmeras

Chegamos no departamento em que o Poco F4 GT se mostra mais fraco. O aparelho possui um conjunto triplo de câmeras traseiras, sendo o sensor principal com 64 MP, um sensor com lente ultrawide de 8 MP e um macro de 2 MP. Já na câmera frontal temos uma lente com sensor de 20 MP.

  • Principal: 60 MP, abertura f/1.9;
  • Ultrawide: 8 MP, abertura f/2.2, 120˚;
  • Macro: 2 MP, abertura f/2.4;
  • Selfies: 20 MP, abertura f/2.4;
  • Vídeos: 4K a 60 fps com a principal, 1080p a 60 fps com a frontal.

Contudo, preciso afirmar que, mesmo estando abaixo dos demais recursos do aparelho, essas câmeras atendem muito bem à maioria dos usuários. Em geral, as fotos são de boa qualidade, principalmente durante o dia.

Já em situações com pouca luz, será necessário fazer ao menos uma segunda captura com o flash ligado, a fim de garantir que a fotografia não será descartada. O modo noturno está presente, mas só ajuda quando o ambiente já conta com certo nível de luminosidade. De qualquer forma, estamos falando de um celular que custa muito menos que um legítimo topo de linha.

Esta foto foi tirada à noite e com a luz apagada. O quarto estava bem escuro. Como podemos perceber, o modo noturno do Poco F4 GT é pouco eficaz nesse tipo de situação, ao menos quando comparado a um topo de linha de 2020 (Galaxy N20 Ultra). (Imagem: Maldditu Xavier/Canaltech)

Já a câmera frontal faz selfies até que nítidas, mas as pessoas tendem a ficar um tanto pálidas. A lente ultrawide faz boas capturas, enquanto a macro é muito básica. O sensor principal é capaz de gravar vídeos em 4K com até 60 fps. Não há estabilização óptica de imagem, mas o software faz um trabalho decente.

Vídeo captado com o Poco F4 GT em 4K a 60 fps

Sistema de som

No quesito som o Poco F4 GT está bem servido. O aparelho conta com áudio estéreo, que é emitido por meio de quatro alto-falantes. A localização destes falantes também foi bem pensada, a fim de que eles não sejam abafados quando o usuário estiver jogando.

  • Alto-falantes: quatro, com som estéreo;
  • Recursos: Dolby Atmos.

Aliás, é interessante que o sistema de som do smartphone tenha a assinatura da JBL, que pertence à Harman. Eu comparei o celular novamente com um Note20 Ultra, cujo sistema de som foi desenvolvido pela AKG (que também pertence à Harman).

O Poco F4 GT tem quatro alto-falantes e som estéreo. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

O N20U tem apenas dois alto-falantes, o principal e o que é usado em chamadas, e mesmo assim tem som um pouco mais alto que o do Poco F4 GT. O aparelho da Poco também tem áudio com agudos menos definidos.

De qualquer forma, o Poco F4 GT manda muito bem neste departamento, e com certeza não irá desapontar fãs de jogos, músicas e filmes.

Bateria e carregamento

Eis uma área que parece ter dividido os usuários do Poco F4 GT. Nos meus testes, o celular se comportou muito bem, com consumo bastante controlado, seja em tarefas leves como nas mais pesadas.

  • Capacidade de carga: 4.700 mAh;
  • Recarga: até 120 W com fio.

Vi um comparativo no YouTube entre o Poco F4 GT e o Galaxy S22 Ultra (ambos com o Snapdragon 8 gen 1), em que foram realizados alguns benchmarks. No final, restavam 90% de carga no celular da Samsung, enquanto que o Poco ainda tinha 97% de bateria. Ainda assim, vi alguns youtubers reclamando que o consumo do aparelho era alto demais.

De acordo com minha análise, eu considero o desempenho de bateria do smartphone extremamente satisfatório. São 4.700 mAh que duram bastante, indicando que o chipset foi muito bem implementado neste celular.

No nosso teste padrão, reproduzimos vídeos no app da Netflix por três horas consecutivas, com o volume e o brilho da tela em 50%. Ao final deste período, apenas 14% da bateria havia sido consumido.

Eu usei o celular até descarregar por completo e desligar. Ao conectar no carregador, o aparelho encheu totalmente a bateria em apenas 19 minutos, um feito realmente impressionante.

No teste com o Asphalt 9, eu joguei o jogo durante uma hora, com a qualidade gráfica no máximo. No final, dos 100% de bateria, ainda sobravam 84% de carga.

Os botões de gatilho pop-up do Poco F4 GT são retráteis. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Resumidamente, posso dizer que o consumo do Poco F4 GT está longe de ser ruim. Fora o fato de que, caso o usuário precise sair de casa e esteja com pressa, apenas 5 minutos na tomada serão suficientes para que o aparelho tenha energia para o dia todo, se usado com “sabedoria”. Coloquei o Poco F4 GT para carregar por cinco minutos e a bateria foi de 46% para 90% neste tempo.

Mesmo assim, eu devo dizer que a bateria do aparelho poderia ter no mínimo 5.000 mAh de capacidade, visto que se trata de um celular gamer. Além do mais, vários intermediários já possuem bateria com esse tamanho ou maior.

Concorrentes diretos

Fica difícil indicar um celular lançado em 2022 que bata de frente com o Poco F4 GT e use o mesmo chipset, pois a tendência é serem aparelhos mais caros, o que foge da proposta do celular analisado. Por isso, eu escolhi o Xiaomi 12, lançado em dezembro de 2021, como o concorrente mais adequado para o badalado flagship killer.

O Xiaomi 12 também é equipado com o Snapdragon 8 Gen 1 e possui variantes com 8/128 GB de 12/256 GB. Sua tela AMOLED e sua bateria são menores, com 6.28 polegadas e 4.500 mAh, respectivamente, mas ele leva vantagem no conjunto de câmeras.

Vale lembrar que o Xiaomi 12 tem carregamento de 67 W (menos rápido, mas muito acima da média comparado a celulares da Samsung e Apple) e não conta com botões físicos para jogos. No entanto, o smartphone tem o ótimo recurso de carregamento sem fio, que é de 50 W.

O Xiaomi 12 está custando entre R$ 3.340 e R$ 3.700 no Aliexpress, preços que englobam suas duas variantes.

"O consumo de bateria do Poco F4 GT pode dividir usuários, mas, durante meus testes, o celular se mostrou bastante eficiente. Além do mais, com cinco minutos de carga o aparelho já tem bateria para várias horas de uso"

— Ramalho Lima (Maldditu Xavier)

Vale a pena comprar o Poco F4 GT?

O Poco F4 GT é um smartphone com excelente desempenho, capaz de rodar qualquer aplicativo da Play Store com absoluta folga. Ele é equipado com o melhor chipset Android do mercado, considerando não haver aparelhos montados com o Snapdragon 8+ Gen 1 até o momento de publicação desta análise.

Todavia, ressaltamos alguns pontos negativos do smartphone, como falta de entrada para fones, memória interna não expansível, bateria com menos de 5.000 mAh e a falta de proteção contra água e poeira.

Vários apps abertos no Poco F4 GT. (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

De qualquer forma, ele conta com refrigeração líquida de boa qualidade, dois botões físicos retráteis ideais para jogos, bateria com bom desempenho, carregamento incrível de 120 W, design premium e o melhor conjunto de câmeras dentre todos os modelos Poco.

Adicionalmente, o Poco F4 GT está com um preço realmente muito bom, custando em torno de R$ 3.900 em sua variante de 8/128 GB, o que o torna a melhor opção de celular gamer da atualidade.

Agora, se você preferir um celular com o mesmo chipset, com maior desempenho em fotos e vídeos, mas que também tem ótimo preço, então pode ir de Xiaomi 12 sem medo.