Nvidia oficializa compra da ARM por US$ 40 bilhões

Por Felipe Ribeiro | 14 de Setembro de 2020 às 10h17
Nvidia
Tudo sobre

Nvidia

Saiba tudo sobre Nvidia

Ver mais

A Nvidia fez um anúncio bombástico no domingo (13) e que promete mudar completamente o mercado de chips mobile. A empresa confirmou que irá adquirir a ARM, fabricante britânica pertencente ao grupo Softbank e que é especializada em chips para smartphones e data centers. O negócio foi fechado em US$ 40 bilhões e será dividido entre uma bela quantia em dinheiro mais ações da Nvidia.

Se concluída, a transação instantaneamente transformará a Nvidia em um dos players mais influentes na tecnologia de smartphones, um mercado em que ela não é tão presente. Por outro lado, a ARM, que já é referência no setor mobile, recentemente começou a investir pesado em data centers, um mercado que a Nvidia tem mais participação.

Além disso, com o fechamento dessa aquisição, a Nvidia certamente passará por uma investigação minuciosa das autoridades antitruste, uma vez que a ARM mantém negócios intrínsecos com a Apple, Amazon, Qualcomm, Samsung e a Huawei.

Como ficará o funcionamento da ARM?

De acordo com Jensen Huang, CEO da Nvidia, a ARM vai continuar operando como sempre. “O modelo de negócios da ARM é brilhante. Manteremos seu modelo de licenciamento aberto e neutralidade do cliente, atendendo clientes em qualquer setor, em todo o mundo", escreveu ele em uma carta aos funcionários da Nvidia no domingo.

A Nvidia também confirmou que a ARM permanecerá em Cambridge, na Inglaterra, e honrará os compromissos assumidos pela SoftBank de continuar investindo na Grã-Bretanha. Huang disse que ele e Simon Segars, o presidente-executivo da ARM, já haviam mantido conversas iniciais com funcionários britânicos, que estavam "encantados" com os planos de expansão da empresa.

Vamos falar de grana?

O negócio todo será concretizado por aproximadamente US$ 40 bilhões. Para o pagamento, que já foi aprovado pelos conselhos da Nvidia, do Softbank e da ARM, a divisão ficou da seguinte maneira:

  • US$ 21 bilhões em ações da Nvidia
  • US$ 12 bilhões em dinheiro (sendo US$ 2 bi no ato da assinatura)
  • US$ 5 bilhões caso a ARM atinja metas
  • US$ 1,5 bilhão em ações para os funcionários da ARM

Ainda no domingo, Huang disse que o acordo criaria a "principal empresa de computação do mundo para a era da IA", indo além do data center para levar essa tecnologia a dispositivos distribuídos em um modelo conhecido como "computação de ponta". Ele disse, ainda, que a Nvidia também começará a licenciar algumas de suas próprias tecnologias para outras empresas pela primeira vez, usando os serviços da ARM.

A Nvidia disse que espera que a transação seja concluída em cerca de 18 meses, assumindo a aprovação regulatória nos Estados Unidos, Grã-Bretanha, União Europeia e China.

Fonte: The New York Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.