Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Domínio do Google dificulta evolução do Bing, diz CEO da Microsoft

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 03 de Outubro de 2023 às 08h24

Link copiado!

Brian Smale/Microsoft/Wikimedia Commons/CC-4.0
Brian Smale/Microsoft/Wikimedia Commons/CC-4.0
Tudo sobre Microsoft

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, prestou depoimento ao Departamento de Justiça dos EUA nesta segunda-feira (2), como parte do julgamento que acusa o Google de práticas monopolistas. Na visão do executivo, o domínio do rival como mecanismo de busca padrão é responsável por prejudicar indiretamente o crescimento do Bing.

Parceria com Apple impulsionaria o Bing

Nadella confirmou as tentativas da Microsoft para incluir o Bing como ferramenta de busca padrão nos dispositivos da Apple. O acordo não deu certo e a Maçã possui uma parceria bilionária para destacar o Google como a opção padrão nos aparelhos — um dos pontos principais da investigação da corte dos EUA.

Continua após a publicidade

De acordo com o CEO, a parceria com a Apple mudaria o cenário e a Microsoft estaria disposta a oferecer toda a vantagem econômica para a Maçã, assumindo um risco de perder até US$ 15 bilhões por ano (cerca de R$ 75 bilhões em conversão direta). A empresa de Redmond ainda estaria disposta a esconder a marca do Bing para isso e respeitaria todas as diretrizes de privacidade da dona do iPhone porque, na visão dele, a opção padrão seria “a única coisa que importa” em termos de mudar o comportamento dos usuários.

Falta de usuários dificulta evolução

Ainda segundo Nadella, o aumento da presença do Bing contribuiria para a evolução do mecanismo graças a um conceito chamado “fluxo de consulta”. É um ciclo simples: quanto maior a distribuição, mais pessoas fazem pesquisas; com mais buscas, a equipe do Bing pode melhorar os mecanismos e tornar a plataforma mais atrativa para anunciantes. Resumidamente, quanto mais o buscador é usado, mais dados são gerados, e isso moveria todo o processo.

Nesse cenário, o Google seria responsável por dificultar a evolução de outros concorrentes por se tornar o mecanismo padrão em todos os lugares. Já que os usuários não possuem o costume de mudar a opção pré configurada, concorrentes como o Bing teriam uma dificuldade maior para obter os dados, melhorar os respectivos produtos e acirrar a competição.

Para fortalecer a tese, os advogados da Microsoft usaram a própria empresa como exemplo. O Windows usa o Microsoft Edge com o Bing como padrão, e isso fez com que mais usuários começassem a usar o buscador, que recebeu melhorias e conseguiu reter uma base de pessoas. De acordo com o CEO da MS, nem todos abandonariam o Google imediatamente, mas o controle da opção nativa ajudou a empresa de Redmond a ganhar espaço no segmento.

O que diz o Google

Os advogados do Google contra-atacaram as falas de Nadella. Primeiramente, a defesa da empresa de Mountain View mencionou o que considera uma série de erros da Microsoft ao longo dos anos que teriam prejudicado a busca e os produtos para dispositivos móveis. Os exemplos duraram quase duas horas, segundo relata o site The Verge, e passaram por temas como o fiasco do MSN Search e o fim do Windows Phone.

Continua após a publicidade

Os argumentos ficam alinhados com o que a defesa do Google apresentou no julgamento até então: na visão da empresa, o Google domina o mercado simplesmente porque construiu a melhor opção disponível.

A disputa jurídica, que já contou com a participação de executivo da Apple, ainda continua nos EUA.

Fonte: The Verge