Google compra startup drawElements para padronizar Android em todos os aparelhos

Por Redação | 25.07.2014 às 13:45
photo_camera Divulgação

Assim como nos computadores e videogames, os smartphones possuem entre si uma concorrência entre diferentes sistemas operacionais, nos quais cada usuário escolhe a plataforma que mais atende suas necessidades. Há quem não goste do iOS, mas uma das principais vantagens do software mobile da Apple é que todos os aparelhos mais recentes da companhia são otimizados com a última versão do sistema - o último levantamento apontou que 90% dos dispositivos estão equipados com o iOS 7.

Por outro lado, a situação é bem diferente no Android que, mesmo sendo o sistema móvel dominante do mercado de tablets e celulares, ainda é bastante fragmentado, uma vez que a plataforma está presente em aparelhos com diferentes tamanhos de tela e especificações de hardware. Com o objetivo de solucionar esses problemas, o Google adquiriu a startup finlandesa drawElements, especializada em otimizar gráficos mais complexos para vários componentes de dispositivos móveis.

Essa tal fragmentação é uma das principais reclamações de quem usa o sistema do robozinho verde. Pelo fato de estar presente em milhões de tablets e smartphones, o software acaba passando batido por algumas medidas que devem ser seguidas justamente para se adaptar a cada tipo de produto, independentemente do tamanho da tela ou da potência interna. Soma-se a isso a dificuldade dos desenvolvedores em adaptar suas ferramentas e apps à enorme variedade de dispositivos, que já precisam ser alteradas para rodar em diferentes versões do Android.

É aí que entra a drawElements. Fundada em 2008, a empresa possui funcionários peritos em análise e avaliação de gráficos 3D, e como adaptá-los a vários formatos de peças de hardware móvel. Uma delas é o chamado dEQP, um conjunto de ferramentas utilizado para medir e comparar milhares de parâmetros e situações distintas para garantir que todos os gráficos funcionem perfeitamente em qualquer aparelho, de qualquer marca e fabricante. Dessa forma, o Google vai conseguir padronizar seu sistema móvel e diminuir sua fragmentação.

"Nos próximos meses, vamos trabalhar com nossos colegas do time do Android para incorporar um pouco de nossa tecnologia no conjunto de testes de compatibilidade do sistema", disse a drawElements em comunicado no site oficial. Parte da equipe da startup deve se mover para Mountain View, na Califórnia (Estados Unidos), enquanto os membros restantes devem continuar na sede da companhia, na Finlândia.

O Google ainda não publicou um anúncio oficial sobre a aquisição. Valores da transação também não foram divulgados, mas o site ArticStartup especula que as negociações custaram cerca de US$ 10 milhões.

Android

Este não é o primeiro esforço da gigante das buscas em padronizar seu sistema operacional móvel. No final de junho, a companhia anunciou na conferência I/O uma iniciativa batizada de Material Design, que consiste em unificar os aspectos visuais e funcionais dos produtos do Google em todos os dispositivos. Isso tudo através de um mecanismo que garante mais cores e profundidade de pixels exibidos na tela do aparelho.

Na prática, essa profundidade faz com que imagens e ícones do dispositivo tenham um espaçamento maior em relação à versão atual do sistema, tornando sua visualização mais simples e direcionada. Um dos exemplos mostrados na conferência foi o Gmail. O aplicativo ganhou uma nova tipografia que se adapta em diversos formatos de tela, seja de um tablet ou celular, o que garante que o app tenha o mesmo design em todos os displays e plataformas.

Leia também: