Executiva do Google: 'Senha é coisa do passado'

Por Redação | 12.09.2013 às 18:23

Em meio a debates acerca da segurança das informações dos usuários por parte das empresas de internet, a gerente de segurança da informação do Google, Heather Adkins, foi bem clara ao manifestar sua opinião e dizer que "as senhas estão mortas". Adkins falou sobre o assunto na última quinta-feira (10), durante um painel na conferência de tecnologia "TechCrunch Disrupt", que acontece na Califórnia. A executiva disse que em um futuro próximo, startups que dependam de senhas como seu método principal para garantir a segurança dos usuários e de seus dados estarão fora do jogo.

"A nossa relação com as senhas acabou, e as senhas acabaram no Google", disse Adkins se referindo aos próximos passos da empresa em relação a tecnologias de segurança. Ela falou brevemente sobre o uso de autenticação em duas etapas do Google e do fato de a gigante da web estar trabalhando em inovações na área de segurança com senhas que fogem do padrão.

Embora Adkins não tenha citado nenhuma especificidade real de como o Google pretende inovar além da segurança que já oferece atualmente, ela disse que a empresa está experimentando tokens baseados em hardware. Lembrando que o Google e a Motorola já falaram de seus planos de desenvolver novas formas dos usuários realizarem seus logins, o que inclui tatuagens eletrônicas e pílulas.

O assunto coincide com o lançamento do iPhone 5S da Apple, que inovou ao trazer um sensor capaz de ler as impressões digitais do usuário para desbloquear o dispositivo. Na verdade, a biometria é hoje um dos grandes elementos na proteção de ativos de informação, baseada no tripé que envolve integridade, disponibilidade e confidencialidade dos dados. Na autenticação de dados, a biometria entra como o terceiro e mais recente de três elementos de segurança.

Durante a conversa na conferência, Adkins também falou sobre o escândalo da NSA, segurança cibernética e de tecnologias cibernéticas ofensivas, apontando que hackers com a intenção de ganhar dinheiro com seus atos ilícitos encontravam constantemente maneiras de explorar os usuários do Google que ainda não adotaram a autenticação de dois fatores.

Ela explica que, essencialmente, os hackers são capazes de entrar em contas de usuários que ainda utilizam o método menos eficiente de segurança, ativam a autenticação de dois fatores e bloqueiam o dono da conta para que ela possa ser utilizada para enviar spam. "Eles estão encontrando novas maneiras de ganhar dinheiro com isso. Maneiras que não tínhamos previsto", disse.

Por fim, Adkins argumentou que as empresas de tecnologia precisam intensificar e desenvolver produtos que protegem os usuários. Ela ainda deixou uma dica para quem está começando uma startup de tecnologia: é preciso contratar uma pessoa que se concentre e se dedique apenas na segurança e privacidade dos clientes, e que os primeiros 25 funcionários devem trabalhar em tempo integral em segurança e privacidade.