Live Text não vai funcionar em todos os iPhones com iOS 15; entenda

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 09 de Junho de 2021 às 11h25
Divulgação/Apple

Na última segunda-feira (7), a Apple apresentou o Live Text, recurso de visão computacional capaz de ler, copiar e interagir com conteúdos de fotos e que segue os mesmos moldes do Google Lens. Após o anúncio, a fabricante detalhou a disponibilidade das novidades e mencionou que a ferramenta de reconhecimento só estará disponível em iPhones embarcados com o processador A12 Bionic.

Isso significa que, apesar de o iOS 15 ser compatível com todos os iPhones a partir do modelo 6s, somente os produtos lançados a partir de 2018 conseguirão “ler” as fotos. Portanto, a lista inclui: iPhone XR, XS, XS Max, iPad Air e iPad Mini de 2019 e o iPad (2020), bem como qualquer adição mais recente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Live Text permite copiar, compartilhar e pesquisar o conteúdo escrito em fotos da galeria (Imagem: Divulgação/Apple)

Entretanto, não é somente este recurso do iOS 15 limitado aos modelos com processador de 2018. A compatibilidade restrita também inclui: melhorias do FaceTime, processamento local de comandos de voz para a Siri, mapas tridimensionais e orientação por realidade aumentada do Apple Maps, Visual Look Up (reconhecimento e pesquisa de objetos) do Fotos e as chaves virtuais do Apple Wallet.

Em discussões no Reddit, usuários acreditam que tal limitação se dá pelo forte uso de capacidades de aprendizado de máquina com a Neural Engine, recurso melhorado significativamente na CPU A12 Bionic. O processamento inferior resultaria numa experiência ruim em modelos mais antigos e, por isso, a Apple optou por cortar a compatibilidade.

Se esta for realmente a razão, dificilmente os recursos serão disponibilizados para os modelos mais antigos em algum momento do futuro, portanto não há outro meio de experimentá-los senão adquirindo um iPhone ou iPad mais recente.

Fonte: Apple

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.