Xiaomi e Samsung estariam desenvolvendo chip próprio para brigar com a Qualcomm

Xiaomi e Samsung estariam desenvolvendo chip próprio para brigar com a Qualcomm

Por Diego Sousa | Editado por Wallace Moté | 28 de Abril de 2021 às 10h10
Reprodução/Gizchina

Um novo relatório divulgado em Hong Kong nesta quarta-feira (28) revelou que a Xiaomi e a Samsung LSI, divisão responsável pelos chips da linha Exynos, estariam desenvolvendo um processador personalizado baseado na arquitetura ARM, assim como o poderoso Apple M1. A ideia, aqui, seria brigar diretamente com a Qualcomm no segmento de plataformas premium.

De acordo com informações do site local CLIEN.NET, as duas fabricantes teriam feito cinco reuniões até o momento para discutir sobre o desenvolvimento de um novo processador baseado no inédito Cortex-X2, da ARM, sucessor do Cortex-X1 presente em modelos como o Qualcomm Snapdragon 888 e o Samsung Exynos 2100.

A CPU foi anunciada pela ARM em maio do ano passado como parte do programa Cortex-X Custom (CSC), onde os parceiros da empresa poderiam personalizar seus núcleos conforme o uso esperado, ajustando parâmetros de desempenho, consumo de energia e dimensões. A X1 é o primeiro lançamento do programa e, segundo a própria ARM, oferece potência 30% maior que o Cortex-A77 em processamento tradicional e duas vezes maior em tarefas de inteligência artificial.

Cortex-X1 é a CPU mais poderosa da ARM até o momento (Imagem: Divulgação/ARM)

Até o momento, a ARM não anunciou o modelo-base do Cortex-X2, mas ele é esperado ainda para este ano. Há alguns meses, surgiram rumores de que a chinesa Xiaomi se aventuraria novamente no segmento de chips, algo que não acontece desde 2017, quando a empresa lançou o Surge S1. O chip, que estreou no Mi 5c, era fabricado no processo de 28 nanômetros (nm) da TSMC e contava com oito núcleos Cortex-A53 (mais econômico) rodando a até 2,2 GHz. Já a GPU ficava a cargo a Mali-T860.

O relatório divulgado nesta quarta revelou, ainda, que a terceira maior empresa de celulares do mundo deve continuar utilizando as placas gráficas da linha ARM Mali, em vez da tão esperada GPU da Samsung em parceria com a AMD. A justificava, no entanto, é de que haveriam poucas unidades da futura Radeon disponíveis no momento, provavelmente devido à atual escassez de chips que afeta os principais nomes da cadeia de produção.

De qualquer maneira, o primeiro lançamento da parceria entre Samsung e AMD continua previsto para o segundo semestre deste ano. Em janeiro, um suposto chip Exynos com GPU da AMD foi encontrado na plataforma GFXBench, que mede o desempenho gráfico, qualidade de renderização e consumo de energia dos processadores, com desempenho bastante superior ao A14 Bionic, chip dos iPhone 12.

Radeon substituirá as GPUs Mali na próxima geração do Exynos (Imagem: divulgação/Samsung)

A onda dos chips personalizados

Não é só a Xiaomi que pretende adotar chips próprios nos próximos lançamentos. Rumores recentes revelaram que até o Google estaria preparando um chip para substituir a linha Qualcomm Snapdragon, que atualmente equipa os smartphones Pixel. O modelo também seria desenvolvido em parceria com a Samsung LSI e contaria com três conjuntos de núcleos, sendo dois Cortex-A78 de máximo desempenho, dois Cortex-A76 de alto desempenho e quatro Cortex-A55 de baixo consumo.

A chinesa OPPO, atual maior fabricante do mercado chinês, também estaria desenvolvendo seu próprio processador, um movimento que seria beneficiado pela "saída" da conterrânea Huawei do mercado após as sanções norte-americanas bloquearem o acesso a tecnologias e serviços originadas de empresas ocidentais.

Até o momento, tudo não passa de um rumor, portanto continue acompanhando o Canaltech para não perder nenhuma novidade sobre as movimentações no segmento de processadores.

Fonte: CLIEN.NET (via Notebook Check)  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.