Samsung e TSMC brigam por incentivo fiscal de US$ 52 bilhões nos EUA

Samsung e TSMC brigam por incentivo fiscal de US$ 52 bilhões nos EUA

Por Lupa Charleaux | Editado por Wallace Moté | 30 de Março de 2022 às 13h50
Babak/Unsplash

O governo dos EUA planeja um programa de incentivo fiscal no valor de US$ 52 bilhões para ampliar a produção de semicondutores no país. Contudo, a ação está gerando tensão entre as três principais fabricantes de chips do mundo: TSMC, Samsung e Intel.

A taiwanesa TSMC e a sul-coreana Samsung, duas das maiores fabricantes de chips do mundo, têm interesse no subsídio bilionário oferecido pelo governo dos EUA. Do outro lado, a norte-americana Intel defende que os impostos dos americanos não deveriam ser usados para investimentos em empresas estrangeiras.

“O favoritismo arbitrário e o tratamento preferencial com base na localização da sede de uma empresa não é um uso eficaz ou eficiente da concessão. Além disso, isso ignora a realidade da propriedade pública para a maioria das principais empresas de chips”, citou a TSMC em nota apoiada pela Samsung.

A TSMC ainda destaca que os EUA não deveriam tentar ampliar a cadeia de suprimentos, mas investir em tecnologias avançadas que aumentem a competitividade. Para mais, a marca sugeriu mudanças na política de imigração americana como meio de atrair mais talentos estrangeiros que possam contribuir com a inovação.

A mensagem da taiwanesa é uma crítica direta ao posicionamento da Intel em relação ao uso do dinheiro dos contribuintes dos EUA. Vale ressaltar que a tecnologia da empresa norte-americana está cerca de uma geração atrás dos rivais asiáticos, algo que deve começar a mudar com investimentos bilionários planejados pela Intel em novas fábricas.

TSMC critica postura da Intel e política de imigração do governo dos EUA (Imagem: Divulgação/TSMC)

Investimento norte-americano em semicondutores

Em 2021, o presidente americano Joe Biden se reuniu com membros da indústria de semicondutores para discutir sobre a crise global de chips. Para evitar que isso ocorra no futuro e encerrar a dependência da cadeia de suprimentos da China, o governo dos EUA passou a fomentar a produção de semicondutores no país com incentivos fiscais.

Desde então, as principais fabricantes de chips têm investido fortemente no país. A TSCM iniciou a construção de uma instalação de US$ 12 bilhões no Arizona, enquanto a Samsung está construindo uma fábrica de US$ 17 bilhões no Texas.

Enquanto isso, a Intel anunciou um investimento de US$ 20 bilhões em um hub para fabricação de chips em Ohio. Além disso, a empresa norte-americana começou a construção de duas novas fábricas no Arizona.

Por fim, o texto final sobre o programa de incentivo de US$ 52 bilhões ainda deve passar pela análise da Câmara e do Senado dos EUA. Segundo a Bloomberg, o pacote deve ser aprovado antes do final de maio.

Fonte: Android Headlines, Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.