Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Nvidia GeForce RTX 4070 chega ao desktop com alta potência para 1440P

Por| Editado por Wallace Moté | 12 de Abril de 2023 às 16h14

Link copiado!

Reprodução/Nvidia
Reprodução/Nvidia
Tudo sobre Nvidia

Confirmando os inúmeros vazamentos das últimas semanas, a Nvidia apresentou nesta quarta-feira (12) a versão de desktop da GeForce RTX 4070, novidade que tenta ser a mais equilibrada na nova família de placas baseadas na arquitetura Ada Lovelace. Prometendo desempenho sólido para games em resolução 1440P mesmo sem DLSS — algo comprovado pelos reviews —, o lançamento traz uma ficha técnica similar à da antecessora, a RTX 3070, mas se beneficia bastante dos avanços arquitetônicos e da maior eficiência.

Quem olha a ficha técnica da RTX 4070 imagina que a Nvidia não trouxe avanços na nova geração: a solução é equipada com o mesmo chip AD104 da irmã mais potente RTX 4070 Ti, mas embarca apenas 46 Streaming Multiprocessors (SMs), apresentando 5.888 núcleos CUDA, 46 RT Cores para Ray Tracing e 184 Tensor Cores para DLSS e outros recursos de IA. Os números são os mesmos da RTX 3070, mas enganam em relação ao desempenho.

Continua após a publicidade

Com consumo (TGP) estabelecido em 200 W, representando uma redução de 20 W em relação à antecessora, a novidade traz clocks muito mais altos, de 1.920 MHz base e 2.480 MHz boost, entregando assim até 29,2 TFLOPs de poder computacional — potência próxima da RTX 3080, algo que se traduz em uso real como mostram os testes. Nesse caso, a vantagem é maior: o consumo médio é de 184 W, contra 296 W da topo de linha da família RTX 3000, o que representa uma redução de quase 40% pelo mesmo nível de desempenho.

O sistema de memória é outro ponto positivo, ao ser essencialmente o mesmo encontrado na RTX 4070 Ti: temos 12 GB de VRAM GDDR6X, trabalhando com velocidade de 21 Gbps, em uma interface de 192-bit para entregar largura de banda de 504 GB/s, um upgrade respeitável em todos os aspectos frente à RTX 3070. Outro ponto forte é o cache L2 de 36 MB, um aumento de 9 vezes em relação aos 4 MB da geração passada, que deve amplificar as transferências da memória e manter os núcleos com mais informação.

Fecha o pacote os novos recursos garantidos pela arquitetura Ada Lovelace, incluindo a geração de quadros com IA do DLSS 3, o RTX VSR para aumentar a qualidade de vídeos com IA e a capacidade de codificar e decodificar gravações usando o codec AV1, significativamente mais eficiente que soluções como H.264 e H.265, ainda que diferente das GPUs mais poderosas há apenas um par de estruturas NVENC/NVDEC para lidar com essa tarefa, e não dois.

A combinação entrega bons resultados, apesar de não ser o salto significativo que famílias como a GTX 1000 mostraram no passado, e faz a RTX 4070 brilhar quando as novas funcionalidades são utilizadas. Os reviews sugerem que, com a geração de quadros, a nova solução da Nvidia consegue turbinar a performance de maneira significativa, chegando a superar (mesmo que por poucos quadros) a RTX 4080 sem DLSS. O problema é que o DLSS 3 ainda está presente em um número limitado de jogos.

Continua após a publicidade

O preço é o ponto menos agradável, mas ao mesmo tempo é razoavelmente bom quando comparado ao das irmãs mais poderosas da linha RTX 4000, com os diversos analistas que já tiveram acesso à placa concluindo que a GPU estreante é um produto promissor e bastante sólido, mas cujo custo para o consumidor ainda não é tão atraente quanto poderia ser. Como tem sido o caso de outros modelos da linha, o poder avançado em Ray Tracing e o acesso à geração de quadros do DLSS são os principais diferenciais.

Preço e disponibilidade

A Nvidia GeForce RTX 4070 chega às lojas com uma variante Founders Edition (que não será vendida por aqui) e modelos customizados já nesta quinta-feira, 13 de abril, com preços sugeridos que partem dos US$ 599 (~R$2.960). A novidade também chega ao Brasil junto ao restante do mundo, com valores que começam em R$ 4.999.

Nvidia GeForce RTX 4070: ficha técnica

Continua após a publicidade
  • GPU: AD104
  • Streaming Multiprocessors (SMs): 46
  • CUDA Cores (Núcleos): 5.888
  • Tensor Cores (IA): 184
  • RT Cores (Ray Tracing): 46
  • Frequências: 1.920 MHz (Base), 2.480 MHz (Boost)
  • Poder computacional (FP32): até 29,2 TFLOPs
  • Memória VRAM: 12 GB GDDR6X
  • Interface da memória: 192-bit
  • Velocidade da memória: 21 Gbps
  • Largura de banda: 504 GB/s
  • Consumo (TGP): 200 W
  • Conector de energia: 1x conector PCIe 5.0 (12VHPWR) de 12 pinos ou 2x conectores de 8 pinos (adaptador na caixa); modelos customizados podem usar apenas 1x conector de 8 pinos
  • Fonte recomendada: 650 W

Fonte: Nvidia