Nintendo Switch Pro: vazamento da Nvidia detalha possível chip do novo console

Nintendo Switch Pro: vazamento da Nvidia detalha possível chip do novo console

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 02 de Março de 2022 às 09h53
Alvaro Reyes/Unsplash

O suposto Nintendo Switch Pro, ou Switch 2, voltou às manchetes nesta semana após ter possíveis referências encontradas no vazamento massivo de dados sofrido pela Nvidia. Algumas das informações vão ao encontro dos antigos rumores e voltam a indicar que o console terá hardware significativamente mais poderoso, finalmente contando com suporte a Ray Tracing e DLSS.

Nintendo Switch Pro ressurge em vazamento da Nvidia

As informações chegam através do usuário Nikki (@NWPlayer123 no Twitter), que avaliou a documentação divulgada pelos cibercriminosos do grupo Lapsus, e foram corroboradas pelo leaker kopite7kimi, cujo histórico de vazamentos relacionados à Nvidia se mostrou confiável no passado. O destaque vai para a menção à API gráfica "nvn2", uma suposta evolução da "nvn" utilizada pelo Switch, e múltiplas referências ao suposto hardware do console.

Segundo os dados, o próximo Switch contaria com chip T239, de codinome "Drake", solução customizada para a Nintendo baseada no já lançado Nvidia T234 "Orin". Não se sabe quais seriam as configurações do Drake, mas as especificações do Orin podem nos dar uma ideia do que esperar, a começar pela CPU de 12 núcleos, ainda baseada em ARM, mas agora com núcleos Cortex-A78AE, versão do A78 dedicada a dispositivos termicamente limitados como o Switch.

A GPU, com possível número de modelo GA10F, seria baseada na microarquitetura Ampere, mesma presente nas placas de vídeo da família GeForce RTX 3000, e assim não apenas contaria com suporte a Ray Tracing, como também comportaria upscaling com DLSS 2.2. O recurso permitiria ao console ganhar desempenho ao renderizar os games em resoluções mais baixas, ou mesmo entregar uma qualidade de imagem superior quando conectado a TVs e monitores.

O chip gráfico seria composto de 2.048 núcleos CUDA, 16 RT Cores para Ray Tracing e 64 Tensor Cores para recursos de Inteligência Artificial, como o DLSS, e poderia entregar até 4 TFLOPs de poder computacional. Completando o conjunto, o T239 poderiam incluir suporte a até 16 GB de RAM LPDDR5, com largura de banda de 200 GB/s.

Na prática, isso significaria que o Switch Pro, no melhor dos cenários, poderia ter performance próxima à do PS4 Pro, guardadas as devidas proporções. Ainda assim, é importante reforçar que, por ser customizado, o processador do suposto novo Switch pode ser menos potente, como foi o caso do próprio Switch. Também vale lembrar que essas configurações são especulações, tomando como base o que o Nvidia Orin entrega.

Outro ponto interessante é que a plataforma citada ainda é a "NX", mesma do Switch atual, detalhe que reforça os rumores de que o novo dispositivo seria apenas uma versão atrasada mais potente do aparelho, e não uma nova geração, como apontado por especulações mais recentes. Isso é corroborado pelo fato da documentação ser de 2019, mas possuir atualizações datadas de 2022.

É provável que tenhamos mais detalhes sobre o suposto Nintendo Switch Pro já na próxima semana, considerando que, ao assumir a autoria dos ataques, o grupo Lapsus demandou uma resposta da Nvidia sobre as exigências requisitadas até esta sexta-feira (4). Caso não sejam atendidas, ou não haja uma resposta da empresa, os cibercriminosos divulgarão todos os dados coletados no ataque.

Dito tudo isso, vale manter as expectativas sobre o novo console baixas, já que as informações ainda não são oficiais, apesar de haver múltiplos indicativos que as apoiem. Além disso, mesmo que a existência do Switch turbinado se confirme, deve demorar um bom tempo até que a novidade chegue às prateleiras, se considerarmos os números exorbitantes de vendas do modelo atual e a postura da Nintendo frente ao ciclo de vida do aparelho.

Switch ainda está "no meio do ciclo de vida"

Segundo levantamento do Bloomberg, o Nintendo Switch já superou a barreira dos 100 milhões de unidades vendidas, o que o posiciona como o terceiro console mais popular já lançado pela gigante japonesa, atrás apenas do Game Boy, com 118,69 milhões de vendas, e do Nintendo DS, com 154,02 milhões de vendas. O portátil híbrido é ainda o quinto videogame mais vendido da história, próximo de superar o PlayStation 4, com 116,9 milhões de vendas.

Com mais de 100 milhões de unidades vendidas, o Nintendo Switch ainda estaria no meio de seu ciclo de vida, conforme afirma o presidente da empresa, Shuntaro Furukawa (Imagem: Divulgação/Nintendo)

Esse posicionamento de enorme sucesso dá à empresa conforto para operar no próprio ritmo, descolado da separação de gerações em que os rivais PlayStation e Xbox funcionam. Comentando os números, o presidente da Nintendo, Shuntaro Furukawa, mostrou confiança ao sugerir que o Switch ainda tem muito fôlego para vendas, e que o console estaria apenas "no meio do seu ciclo de vida".

A declaração descarta a chegada de um sucessor no momento, mas deixa em aberto a possibilidade do lançamento de uma versão revisada mais potente. Avaliando o posicionamento atual da empresa, Nikki, responsável pela análise dos dados vazados, acredita que o Switch Pro possa ser lançado entre o final de 2023 e o final de 2024.

Fonte: Nikki, kopite7kimi, NotebookCheck

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.