Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

AMD anuncia linha Ryzen PRO 6000 para workstations portáteis

Por| Editado por Wallace Moté | 19 de Abril de 2022 às 10h00

Link copiado!

AMD/Divulgação
AMD/Divulgação
Tudo sobre AMD

Depois de atender usuários comuns com a linha Ryzen 6000, a AMD agora volta as atenções aos profissionais com o anúncio da linha Ryzen PRO 6000, novos chips para notebooks que unem os benefícios dos modelos tradicionais, incluindo os núcleos Zen 3+ e as robustas iGPUs RDNA 2, com os recursos avançados de segurança, suporte e gerenciamento dedicados ao público corporativo e desenvolvedores.

Linha Ryzen PRO 6000 traz núcleos Zen 3+ e GPUs RDNA 2

Os novos processadores profissionais da AMD compartilham das configurações e benefícios vistos na linha Ryzen 6000 tradicional, com destaque para a adoção dos núcleos Zen 3+ e das GPUs integradas RDNA 2. Além de prometer ganhos de até 30% de desempenho, com destaque para o processamento gráfico, os lançamentos prometem eficiência até 40% maior.

Continua após a publicidade

Uma mudança interessante realizada desde o anúncio na CES 2022 foi a promessa de autonomia, agora ampliada: em vez de até 24 horas, notebooks munidos dos chips Ryzen PRO 6000 (e por extensão Ryzen 6000) podem atingir até 29 horas de reprodução de vídeo, segundo a AMD. A companhia explica que novas otimizações foram implementadas conforme o desenvolvimento dos dispositivos junto às fabricantes parceiras era realizado.

Considerando que mudanças na microarquitetura não foram implementadas, esse é justamente o foco e o motivo pelo qual o símbolo "+" foi adicionado. Mais de 50 melhorias foram adotadas para garantir que as CPUs atingissem a meta de redução drástica de consumo, com destaque para a litografia de 6 nm, a capacidade do sistema observar o trabalho das threads, em vez de apenas os núcleos físicos, e a possibilidade de atualizar apenas trechos da tela.

Além disso, a AMD aproveitou para atualizar as conexões e o leque de recursos oferecidos, substituindo as memórias DDR4 e LPDDR4 pelas novas DDR5 e LPDDR5, trazendo suporte ao barramento PCIe 4.0 e modems compatíveis com redes Wi-Fi 6E e Bluetooth 5. Há ainda portas HDMI 2.1 com suporte a monitores externos 4K a 120 Hz, suporte ao protocolo DisplayPort 2.0 e hardware dedicado para decodificação de mídia no codec AV1.

Um destaque entre os novos recursos é a adoção de portas USB 4, com taxas de transferência de até 40 Gbps, o que as torna viáveis para transmissão de vídeo com ampla largura de banda, bem como compatíveis com SSDs PCIe 4.0 de alta velocidade e acessórios Thunderbolt. Dito isso, a empresa explica que não há certificação Thunderbolt por padrão — as fabricantes dos notebooks devem ser as responsáveis por aplicar seus designs para obter o certificado.

Alta eficiência "sem concessões"

Mesmo com as melhorias em eficiência, a AMD garante que os novos Ryzen PRO 6000 entregam desempenho superior em produtividade e cargas de trabalho mais pesadas. A empresa deu destaque a alguns testes realizados em benchmarks que estressam a CPU, bem como a testes que representam o uso intenso de aplicativos de produtividade junto a videoconferências, em que os chips superam por boa margem os concorrentes da 12ª geração Alder Lake da Intel.

Continua após a publicidade

De acordo com os comparativos, feitos contra um Lenovo ThinkPad X1 Carbon com Core i7 1260P e 16 GB de RAM LPDDR5-5500, os lançamentos são até 17% mais rápidos em tarefas relacionadas ao pacote Office executadas simultaneamente a uma chamada de vídeo, e até 15% superiores em tarefas de produtividade variadas, ao mesmo tempo em que ofereceriam até 45% mais autonomia durante ligações de vídeo.

Vale destacar, no entanto, que os números foram obtidos a partir de um ThinkPad Z13 equipado com o processador Ryzen 7 PRO 6860Z, modelo customizado para a Lenovo dedicado a oferecer eficiência energética ainda maior, junto a 16 GB de RAM LPDDR5-6400. Isso significa que os resultados podem variar entre os chips e até entre notebooks de variadas marcas, com implementações diferentes.

As novas GPU integradas Radeon 600M, baseadas na microarquitetura RDNA 2, são outro aspecto a receber atenção — os gráficos integrados seriam até 2,1 vezes mais potentes para tarefas que demandam maior processamento gráfico, possibilitando o desenvolvimento de workstations ainda mais portáteis, como o Lenovo P16s com Ryzen 7 PRO 6850U, para engenheiros, artistas 3D e outros profissionais que dependam do poder da GPU.

Continua após a publicidade

Um trabalho conjunto está sendo realizado com 19 das maiores distribuidoras de softwares profissionais para que drivers otimizados sejam certificados e disponibilizados aos usuários, garantindo máxima estabilidade e melhor desempenho nessas aplicações.

Recursos PRO de proteção e gerenciamento

Em relação às soluções de suporte empresarial, a AMD fez questão de destacar como o pacote AMD PRO é tão robusto quanto o Intel vPro, tendo trabalhado com as fabricantes parceiras e a Microsoft para suportar todos os recursos de segurança proprietários das marcas e do Windows 11, junto às próprias soluções da linha Ryzen.

Continua após a publicidade

A suíte reúne múltiplas camadas de segurança que cobrem desde o chip até funções na nuvem, gerenciamento inteligente para múltiplas máquinas em ambientes corporativos, bem como suporte prolongado com contato direto com a AMD para garantir a estabilidade dos sistemas por até 2 anos após a aquisição, e traz neste ano três novidades: a tecnologia AMD Shadow Stack, a adoção do chip Microsoft Pluton e um novo método de gerenciamento sem fio.

Adotado primeiro na família Threadripper PRO 5000WX para desktops, o Shadow Stack é um recurso de proteção que detecta e elimina ameaças que tiram proveito de brechas no gerenciamento de memória durante a execução de códigos mais complexos, nos chamados ataques Control-flow.

Já o Pluton, desenvolvido em conjunto com a Microsoft, Intel e Qualcomm, e presente nos recentes consoles da famíllia Xbox, é responsabilizado por cargas de trabalho criptografadas de maiores intensidade e requerimentos de segurança, prometendo oferecer proteção mais robusta.

Continua após a publicidade

Por fim, os novos recursos de gerenciamento tiram proveito da adição de um processador dedicado integrado às CPUs, que aprimora o controle das máquinas e possibilita o uso de mais de 32 perfis baseados em padrões de código aberto para gerenciamento sem fio.

Com as novidades, a linha Ryzen PRO 6000 promete oferecer maior flexibilidade e escolha, implantação inteligente dos dispositivos sem obstáculos com suporte a ferramentas na nuvem, como o Windows Autopilot, e gerenciamento em escala mais robusto para diferentes ambientes corporativos.

Linha Ryzen PRO 5000 ganha novos modelos

Continua após a publicidade

Visando oferecer mais opções para atender a alta demanda, a AMD revelou ainda três novos modelos da família Ryzen PRO 5000, com aprimoramentos frente aos modelos lançados anteriormente. Limitadas a um TDP de 15 W, configurável entre 10 W e 25 W, essas variantes serão totalmente focadas em notebooks ultrafinos e dispositivos voltados para o mercado empresarial.

A série é composta por três chips, também espelhados em modelos atualizados para usuários comuns lançados juntos à família Ryzen 6000: o topo de linha Ryzen 7 PRO 5875U, com 8 núcleos e 16 threads rodando a até 4,5 GHz; o intermediário Ryzen 5 PRO 5675U, com 6 núcleos e 12 threads rodando a até 4,3 GHz; e o chip de entrada Ryzen 3 PRO 5475U, com 4 núcleos e 8 threads rodando a até 4,1 GHz.

Como os nomes sugerem, os novos Ryzen PRO 5000 não trazem as novidades vistas na série Ryzen PRO 6000 — fabricados em 7 nm, os núcleos ainda são baseados na microarquitetura Zen 3, enquanto os gráficos integrados contam com a arquitetura Vega, mais antiga. Dito isso, a AMD garante que as novidades entregam mais performance e melhor eficiência energética que os rivais Intel Tiger Lake-U de 11ª geração.

Continua após a publicidade

A empresa comparou o Core i7 1185G7, um dos modelos mais avançados da família Tiger Lake-U, rodando a 28 W com o novo Ryzen 7 PRO 5875U trabalhando a 15 W. Nos resultados divulgados, o chip da AMD seria de 14% a 95% superior, graças à contagem de núcleos — 4 para o rival da Intel, 8 para o novo Ryzen. Cargas de trabalho que tiram melhor proveito de um número maior de threads serão as mais beneficiadas.

Além disso, a gigante fez questão de destacar como segue sendo a única a oferecer 8 núcleos de alto desempenho no segmento de CPUs de 15 W — mesmo que a contagem total de núcleos tenha aumentado com a 12ª geração Alder Lake-U da Intel, a maioria desses núcleos são E-Cores de baixo consumo, focados na eficiência, enquanto os P-Cores de alta performance são limitados a 4 ou 2 unidades, a depender do TDP.

Ainda é cedo para confirmar as promessas do time vermelho, sendo necessário aguardar por testes mais aprofundados para que conclusões possam ser tiradas, mas de fato é possível que tarefas que exijam mais da CPU tenham melhor performance com a configuração da AMD.

Continua após a publicidade

Notebooks estreiam já no segundo trimestre

Segundo a AMD, os primeiros notebooks equipados com os novos chips Ryzen PRO 6000 e Ryzen PRO 5000 devem começar a chegar ao mercado ainda no segundo trimestre de 2022, até junho. A maioria dos modelos, no entanto, deve estrear apenas no terceiro trimestre, entre julho e setembro.

HP e Lenovo são as principais parceiras da companhia, lançando inúmeros modelos munidos dos componentes. Entre as novidades confirmadas estão a nona geração dos HP EliteBook e ProBook, bem como novos Lenovo ThinkPad das séries T e L, ThinkBook 14 e 15, ThinkPad E e a série Lenovo V.

Continua após a publicidade

Apesar do foco nessas marcas, a gigante confirmou que diversas outras fabricantes estão trabalhando em modelos com os novos Ryzen, incluindo Acer, ASUS e Dell. Vale lembrar que a linha Ryzen PRO 6000 já teve lançamento confirmado no Brasil, previsto para a segunda metade de 2022.

AMD Ryzen PRO 6000H: ficha técnica

ProcessadorNúcleos/ThreadsFrequência (Base/Boost)ArquiteturaLitografiaConsumo (TDP)
Ryzen 9 PRO 6950H8/163,3 GHz/4,9 GHzZen 3+6 nm45 W
Ryzen 9 PRO 6950HS8/163,3 GHz/4,9 GHzZen 3+6 nm35 W
Ryzen 7 PRO 6850H8/163,2 GHz/4,7 GHzZen 3+6 nm45 W
Ryzen 7 PRO 6850HS8/163,2 GHz/4,7 GHzZen 3+6 nm35 W
Ryzen 5 PRO 6650H6/123,3 GHz/4,5 GHzZen 3+6 nm45 W
Ryzen 5 PRO 6650HS6/123,3 GHz/4,5 GHzZen 3+6 nm35 W

AMD Ryzen PRO 6000U: ficha técnica

Continua após a publicidade
ProcessadorNúcleos/ThreadsFrequência (Base/Boost)ArquiteturaLitografiaConsumo (TDP)
Ryzen 7 PRO 6850U8/162,7 GHz/4,7 GHzZen 3+6 nm28 W (15 W — 30 W)
Ryzen 5 PRO 6650U6/122,9 GHz/4,5 GHzZen 3+6 nm28 W (15 W — 30 W)

AMD Ryzen PRO 5000U: ficha técnica

ProcessadorNúcleos/ThreadsFrequência (Base/Boost)ArquiteturaLitografiaConsumo (TDP)
Ryzen 7 PRO 5875U8/162,0 GHz/4,5 GHzZen 37 nm15 W (10 W — 25 W)
Ryzen 5 PRO 5675U6/122,3 GHz/4,3 GHzZen 37 nm15 W (10 W — 25 W)
Ryzen 3 PRO 5475U4/82,7 GHz/4,1 GHzZen 37 nm15 W (10 W — 25 W)