Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

AMD confirma novos Ryzen 7000 "Dragon Range" para notebooks "extremos"

Por| Editado por Wallace Moté | 04 de Maio de 2022 às 09h48

Link copiado!

Reprodução/AMD
Reprodução/AMD
Tudo sobre AMD

Durante o anúncio dos resultados financeiros do primeiro trimestre de 2022, a AMD revelou novas informações sobre os aguardados Ryzen 7000, próxima família de chips para consumidores da companhia baseados na arquitetura Zen 4. O destaque vai para a estreia da "Dragon Range", nova série dedicada a notebooks gamer "extremos", cuja existência pode já ter sido indicada por rumores no passado.

Ryzen 7000 "Dragon Range" chega para notebooks "extremos"

Até a estreia dos chips Ryzen 6000, a família de processadores da AMD para consumidores era basicamente dividida em duas séries: uma para desktops, baseada em chiplets com especificações mais robustas e maior consumo, e outra para notebooks, com die monolítico, ajustes nos núcleos e consumo reduzido para melhor aproveitamento do espaço limitado. As mais recentes são os Ryzen 5000 "Vermeer" para desktop, e os Ryzen 6000 "Rembrandt" para laptops.

Continua após a publicidade

Com a chegada dos Ryzen 7000 no final de 2022, a AMD confirmou que irá adotar um novo esquema, com a adição da série Dragon Range. Destinada a notebooks "extremos", com espessura de mais de 2 cm, essas soluções prometem oferecer a maior contagem de núcleos e threads, junto a maior quantidade de cache já oferecida em um laptop gamer.

Assim como as séries Ryzen 7000 "Raphael" para desktop e Ryzen 7000 "Phoenix" para notebooks mais tradicionais, os chips Dragon Range também utilizarão os novos núcleos Zen 4, fabricados no processo de 5 nm da TSMC, suportarão memórias DDR5 e utilizarão o novo barramento PCIe 5.0, mas terão uma faixa própria de consumo, trabalhando com 55 W ou mais.

Ainda de acordo com a AMD, esses processadores utilizarão o sufixo "HS" e substituirão as soluções "HX", devendo estrear no início de 2023. Além disso, apesar do foco no extremo, a empresa promete que manterá a alta eficiência energética pela qual ficou conhecida nos últimos anos, prometendo entregar altíssima performance por Watt.

Informações como presença de gráficos integrados, contagem precisa de núcleos e outros aspectos não foram revelados, mas há grandes chances de que estes modelos sejam os especulados "Raphael-H", indicado por antigos rumores. Se este realmente for o caso, os chips Ryzen Dragon Range podem utilizar o mesmo die da família Raphael para desktops, apenas limitados a um consumo mais baixo para lidar com as restrições térmicas dos laptops.

Com isso, a companhia passaria a oferecer até 16 núcleos para o segmento, barreira superada apenas neste mês com a chegada dos rivais Intel Alder Lake-HX, também baseados em dies para desktop. Outro aspecto que se pode inferir a partir disso, e que também já foi apontado por rumores, é que os Ryzen 7000 Raphael e consequentemente Dragon Range podem contar com gráficos integrados RDNA, algo inédito em desktops.

Ryzen "Raphael" e "Phoenix" ganham novos detalhes

Continua após a publicidade

Junto ao anúncio dos novos Dragon Range, a AMD revelou ainda mais algumas características das séries Raphael e Phoenix. Os primeiros, destinados a desktops, contarão com suporte a memórias DDR5 e ao barramento PCIe 5.0, núcleos Zen 4 e operarão com faixas de consumo a partir de 65 W. Já as variantes para laptop adotarão primariamente memórias LPDDR5, junto aos núcleos Zen 4 e PCIe 5.0, e trabalharão na faixa de 35 W a 45 W.

Os chips Phoenix, em especial, podem trazer soluções gráficas integradas bastante robustas. Rumores sugerem que a AMD pode triplicar a quantidade de núcleos em comparação aos chips Rembrandt, além de adotar a nova microarquitetura RDNA 3, o que permitiria aos Ryzen 7000 mobile ter performance suficiente para substituir placas de vídeo mais básicas.

Um ponto interessante também confirmado pela empresa é que, a partir do próximo trimestre, as operações e produtos relacionados a games serão separados em uma categoria própria, contendo não apenas as placas Radeon, como também os chips customizados para consoles e dispositivos similares, incluindo PS5, Xbox Series X|S e até mesmo o Steam Deck.

Continua após a publicidade

As CPUs Ryzen curiosamente não farão parte dessa categoria, entrando em "Client" (mercado consumidor) — a gigante afirma que explicará melhor a nova organização durante a próxima apresentação de resultados financeiros, em junho.

Fonte: Engadget, VideoCardz